Compartilhe!

As rubro-negras do Rio não pararam de atacar durante os 90 minutos. Fotos: Flamengo/twitter.

Em 2013, a Acadêmica Vitória goleou o time da Polícia Militar por 34 x 0, pelo Campeonato Pernambucano Feminino. Na ocasião, as tricolores quebraram o recorde nacional em jogos oficiais, masculinos ou femininos. Na média, considerando os 90 minutos, um gol a cada 2min38s. Passados seis anos, um novo recorde. Se aquele resultado já era difícil de acreditar, este estabelecido pelo Flamengo vai um passo além.

Pela 3ª rodada do Campeonato Carioca, o rubro-negro venceu o Greminho por 56 x 0, colocando 22 gols acima da marca anterior. Foram 29 tentos no 1T e 27 no 2T, em jogo disputado no Centro de Educação Física Almirante Adalberto Nunes, o Cefan, em 28 de setembro. Na média, um gol a cada 1min36s. O clube tratou como a maior goleada da história da competição, mas foi, na verdade, a maior da história do país.

Em relação à disparidade, é algo visto corriqueiramente no futebol feminino do país, que evolui de forma lenta devido aos recursos escassos, embora já tenha duas divisões nacionais e obrigatoriedade de equipes femininas para os clubes da Série A masculina. De toda forma, uma goleada deste porte expõe a precariedade, o caráter semiamador. Em 2019 também teve outro recorde, mo Mundial Feminino, com a vitória dos EUA sobre a Tailândia por 13 x 0.

Abaixo, assista aos vídeos com alguns gols da histórica goleada da time feminino do Fla.

Flamengo 1 x 0 Greminho…

Flamengo 23 x 0 Greminho…

Flamengo 55 x 0 Greminho…

Como curiosidade, algumas das maiores goleadas da história do futebol masculino.

– AS Adema 149 x 0 SOE, pelo campeonato de Madagascar, em 2002.*

– Arbroath 36 x 0 Bon Accord, pela Copa da Escócia de 1885, na maior goleada reconhecida em um jogo oficial de futebol.

– Austrália 31 x 0 Samoa Americana, pelas Eliminatórias da Copa do Mundo de 2002. É o recorde em jogos oficiais entre seleções.

– Botafogo 24 x 0 Mangueira, no campeonato carioca de 1909. Foi a maior diferença de gols em uma partida masculina no Brasil. Há mais de 100 anos.

– Náutico 21 x 3 Flamengo do Recife, no Campeonato Pernambucano de 1945. A maior goleada do estado em um jogo na era profissional, iniciada em 1937.

– Dinamarca 17 x 1 França, em 1908, o recorde na Olimpíada.

– Argentina 12 x 0 Equador, em 1942, o recorde na Copa América.

– Atlético-MG 11 x 0 Caiçara-PI, em 1991, o recorde na Copa do Brasil.

– Peñarol 11 x 2 Valencia da Venezuela, em 1970, o recorde na Libertadores.

– Hungria 10 x 1 El Salvador, em 1982, o recorde na Copa do Mundo.

– Corinthians 10 x 1 Tiradentes-PI, em 1983, o recorde no Brasileirão.

– Uniclinic 0 x 9 Náutico, em 2017, o recorde na Copa do Nordeste.

– Paulista 9 x 0 Paysandu, em 2006, o recorde na Série B.

– América-MG 9 x 0 Jataiense, em 2006, o recorde na Série C.

– Plácido de Castro 9 x 1 Vila Aurora, em 2011, o recorde na Série D.

* Uma ressalva sobre a maior goleada. Todos os gols foram anotados pelos jogadores do derrotado SOE, revoltados com a arbitragem da liga nacional. Ou seja, só gol contra na supergoleada.


Compartilhe!