Compartilhe!

Os dados da pesquisa de torcida do Ibope em 2017, batizada de ‘DNA Torcedor’, começaram a vazar através do site Época Esporte Clube e do portal globoesporte. Como o instituto ainda não divulgou os números, o blog buscou mais informações com fontes, mensurando com os dados já divulgados. Com isso, foi possível traçar as 20 maiores torcidas do Brasil.

Como no primeiro post relacionado à pesquisa do Ibope, é preciso citar algumas observações sobres os vários números apresentados aqui.

O Ibope-Repucom produziu um material de divulgação contendo apenas as pessoas interessadas em futebol. A pesquisa, feita com 30 mil entrevistas em 6 mil domicílios, ocorreu com pessoas a partir de 16 anos. Segundo o material do instituto, o universo absoluto a partir desta faixa etária, incluindo o público que não acompanha futebol, seria de 159,7 milhões de pessoas, seguindo a estimativa do IBGE referente ao mesmo ano do levantamento. Portanto, os números divulgados – como os do site globoesporte, por exemplo – correspondem a este universo (76,9% da população).

Aqui, então, fiz uma projeção com a população absoluta do país, que é de 207,6 milhões, considerando o mesmo período. Naturalmente, os dados de todos os clubes  – ainda extraoficiais, lembrando – ficaram maiores que os do instituto. Por que fiz isso? Porque o Ibope sempre divulgou estimativas de torcida considerando toda a população – foram 5 pesquisas com este modelo, entre 1998 e 2014. E em todas a amostra de entrevistas variou, a partir de adolescentes (16 anos), como agora, ou até de crianças (10 anos). No cálculo de todos os cenários, os dados no blog ficaram com 2 casas decimais – embora o Ibope utilize apenas uma, optei por não arredondar, nem para cima nem para baixo.

Dito isso, apresento três rankings, um com torcedores, um com simpatizantes, a novidade na pesquisa, e um terceiro com a soma das duas listas. No caso dos simpatizantes, o contexto se aplica às pessoas que responderam sobre a existência de um 2º time do coração. Em relação ao ‘G7 do Nordeste’, formado por Sport, Bahia, Vitória, Ceará, Santa Cruz, Fortaleza e Náutico, são 10.093.170 torcedores e 5.919.047 simpatizantes, dando 16.012.217 aficionados.

Ibope-Repucom / Brasil 2017
Período: entre junho e agosto de 2017
Público: 30.000 (em 6 mil domicílios)
Margem de erro: não disponível
População estimada (IBGE/2017): 207.660.929

O percentual de torcedores de cada clube (a 1ª opção na pesquisa) e a estimativa absoluta neste recorte, num cálculo sobre a população brasileira em 2017:

Torcedores
1º) Flamengo – 16,09% (33.418.191)
2º) Corinthians – 13,14% (27.306.693)
3º) São Paulo – 6,88% (14.303.505)
4º) Palmeiras – 6,38% (13.263.250)
5º) Vasco – 4,13% (8.582.103)
6º) Grêmio – 2,75% (5.721.402)
7º) Santos – 2,50% (5.201.274)
8º) Cruzeiro – 2,44% (5.071.243)
9º) Internacional – 2,19% (4.551.115)
10º) Atlético-MG – 2,12% (4.421.083)
11º) Sport – 1,18% (2.457.602)
12º) Fluminense – 1,16% (2.418.592)
13º) Bahia – 1,11% (2.314.567)
14º) Botafogo – 1,10% (2.288.560)
15º) Vitória – 0,76% (1.586.388)
16º) Ceará – 0,70% (1.456.356)
17º) Santa Cruz – 0,66% (1.378.337)
18º) Atlético-PR – 0,53% (1.105.270)
19º) Paysandu – 0,30% (624.152)
20º) Fortaleza – 0,24% (518.927)

Remo – 0,23% (483.718)
Náutico – 0,18% (380.993)

O percentual de simpatizantes (a 2ª opção na pesquisa – caso o entrevistado tenha um segundo time) e a estimativa absoluta neste recorte, num cálculo sobre a população brasileira em 2017:

Simpatizantes
1º) Flamengo – 3,75% (7.801.912)
2º) Corinthians – 3,00% (6.241.529)
3º) Palmeiras – 2,12% (4.421.083)
4º) São Paulo – 2,06% (4.291.051)
5º) Santos – 1,25% (2.600.637)
6º) Vasco – 1,06% (2.210.541)
7º) Botafogo – 0,91% (1.898.465)
8º) Bahia – 0,88% (1.833.449)
9º) Fluminense – 0,81% (1.690.414)
10º) Cruzeiro – 0,75% (1.560.382)
10º) Atlético-MG – 0,75% (1.560.382)
12º) Sport – 0,51% (1.066.261)
13º) Grêmio – 0,43% (910.223)
14º) Vitória – 0,40% (832.203)
14º) Ceará – 0,40% (832.203)
16º) Internacional – 0,37% (780.191)
17º) Santa Cruz – 0,36% (767.188)
18º) Paysandu – 0,30% (624.152)
19º) Atlético-PR – 0,28% (585.143)
20º) Fortaleza – 0,21% (449.910)

Remo – 0,19% (414.801)
Náutico – 0,06% (137.833)

A lista de aficionados pelos clubes brasileiros, considerando a soma das repostas espontâneas sobre o 1º time (torcedores) e o 2º time (simpatizantes), caso tenha uma segunda opção, de acordo com a pesquisa do Ibope em 2017:

1º time + 2º time
1º) Flamengo – 19,84% (41.200.934)
2º) Corinthians – 16,14% (33.517.292)
3º) São Paulo – 8,94% (18.565.340)
4º) Palmeiras – 8,50% (17.651.610)
5º) Vasco – 5,19% (10.777.600)
6º) Santos – 3,75% (7.787.283)
7º) Cruzeiro – 3,19% (6.624.382)
8º) Grêmio – 3,18% (6.603.616)
9º) Atlético-MG – 2,87% (5.959.867)
10º) Internacional – 2,56% (5.316.119)
11º) Botafogo – 2,01% (4.173.984)
12º) Bahia – 1,99% (4.132.451)
13º) Fluminense – 1,97% (4.090.919)
14º) Sport – 1,69% (3.509.469)
15º) Vitória – 1,16% (2.408.866)
16º) Ceará – 1,1% (2.284.269)
17º) Santa Cruz – 1,02% (2.118.141)
18º) Atlético-PR – 0,81% (1.682.053)
19º) Paysandu – 0,60% (1.245.965)
20º) Fortaleza – 0,45% (934.474)

Remo – 0,42% (872.175)
Náutico – 0,24% (498.386)

A seguir, os dados das últimas seis pesquisas realizadas pelo Ibope, com as versões de 1998, 2001, 2004, 2010 e 2014 encomendadas pelo diário Lance! e a versão de 2018 através do braço Ibope-Repucom, visando a produção do estudo ‘DNA Torcedor”. A ordem de todas as listas é a mesma divulgada pelo Ibope – exceção a 2017, ainda extraoficial.

Sobre a população do Brasil em cada gráfico, as estimativas do IBGE utilizadas:
1998 – 170,2 milhões
2001 – 177,8 milhões
2004 – 184,7 milhões
2010 – 192,0 milhões
2014 – 201,0 milhões
2017 – 207,6 milhões

Obs. Para visualizar melhor o gráfico abaixo, caso esteja num celular, vire a tela do aparelho.


Compartilhe!