Em 20 edições da Copa do Mundo, 13 tiveram ao menos um jogador nascido em Pernambuco defendo a Seleção Brasileira, o que corresponde a 65% do torneio. E olhe que o quadro é ainda mais relevante considerando o reinício do Mundial, em 1950, pois todos os convocados foram chamados no período, com 17 edições – ou seja, 76%. Ao todo, foram dez jogadores, com três deles disputando dois torneios. Apesar do início nos gramados do estado, as convocações vieram em clubes do eixo Rio-São Paulo e no exterior.

Entretanto, após sete edições consecutivas, de 1990 a 2014, a lista de 23 jogadores do país foi definida sem atletas do estado. E aqui não cabe crítica alguma a Tite.  Visando a Copa de 2018, nenhum pernambucano jogou bola o suficiente para fazer parte do grupo. Hernanes, o último listado, teve um bom desempenho no São Paulo, em 2017, mas acabou voltando para a Hebei China Fortune, saindo do radar do treinador – mantendo-se durante todo o trabalho à parte das convocações.

Assim, a ‘tradição’ local foi quebrada, com o uniforme verde e amarelo valendo apenas para torcedores, literalmente. Infelizmente, sem direito à reclamação.

Naturalmente, os clubes pernambucanos não são focados na revelação de ‘jogadores pernambucanos’, mas simplesmente de ‘jogadores’, com peneiras em outros estados. Tanto que o último chamado para a Seleção, saído da base, foi Douglas Santos. Cria do CT Wilson Campos, do Náutico, o lateral-esquerdo é paraibano. Ressalva à parte, quais revelações do estado podem ser cogitadas para o próximo ciclo da canarinha, em 2022?

Obs. Em 2018, apenas um nordestino foi chamado. No caso, o atacante alagoano Firmino.

Os pernambucanos que já disputaram a Copa (entre parênteses, o clube de origem)
1 – Ademir Menezes, 1950 (atacante, Sport) – 6 jogos e 9 gols
2 – Vavá, 1958/1962 (atacante, Sport) – 10 jogos e 9 gols
3 – Zequinha, 1962 (volante, Santa Cruz) – nenhum jogo
4 – Rildo, 1966 (lateral-esquerdo, Sport) – 1 jogo e 1 gol
5 – Manga, 1966 (goleiro, Sport) – 1 jogo
6 – Ricardo Rocha, 1990/1994 (zagueiro, Santa Cruz) – 3 jogos
7 – Rivaldo, 1998/2002 (meia, Santa Cruz) – 14 jogos e 8 gols
8 – Juninho Pernambucano, 2006 (meia, Sport) – 3 jogos e 1 gol
9 – Josué, 2010 (volante, Porto) – 1 jogo
10 – Hernanes, 2014 (meia, Unibol) – 3 jogos

Total: 10 jogadores em 13 Copas, com 42 partidas e 28 gols

Campeões mundiais: Vavá (2x), Zequinha (1x), Ricardo Rocha (1x) e Rivaldo (1x)

Pin It on Pinterest