Compartilhe!

A medalha especial cunhada para o centenário do Central, em 15 de junho de 2019.

O pioneirismo do Central em 1937, como o primeiro clube do interior a disputar o Campeonato Pernambucano e o primeiro do estado a contratar um jogador profissional, Zago, já mostra a importância do alvinegro. Porém, o Central é muito mais. É, acima de tudo, o “Central de Caruaru”, é o representante da capital do agreste. E é também a resistência numa disputa cada vez mais inglória, por títulos, por torcida, por espaço. Com 100 anos, portanto, a patativa se mostra incansável contra todas as adversidades, com o sonho ainda vivo, apaixonante.

A seguir, 15 dos maiores triunfos do clube na era profissional. Tomei a liberdade de criar e ordenar a lista. Confira e comente o que achou. Faltou algum jogo? Saudações alvinegras!

1º) Central 2 x 1 Flamengo – 22/10/1986, Série A
Pelo recorde de público no Lacerdão, com 24.450 torcedores, este jogo já teria o seu espaço na história. Porém, a patativa fez mais. Venceu o campeão carioca num jogo válido pelo Brasileirão – algo bem difícil de imaginar hoje em dia. O alvinegro, comandado por Ernesto Guedes, foi a campo com a seguinte escalação: Carlinhos; Serginho, Dema, Vilmar e Macaé; João Luís, Zico e Pacheco; Ronaldo (autor dos dois gols), Evandro e Jorge Vinícius. Do outro lado, o Fla de Lazaroni contava com nomes como Mozer, Aldair, Jorginho, Bebeto e Zinho.

2º) Central 1 x 0 Sport – 21/03/2018, semifinal do Estadual
O gol marcado pelo atacante Leandro Costa, aos 14 minutos do segundo tempo, colocou o alvinegro pela primeira vez na decisão do campeonato estadual, numa espera de décadas. Diante de um algoz histórico, o Central fez uma boa partida e justificou a melhor campanha – não por acaso, a semifinal foi disputada em jogo único, em Caruaru. O resultado também recolocou o time na Copa do Brasil após dez anos.

3º) Central 2 x 1 Santa Cruz – 21/10/1995, Série B
O tricolor havia vencido o Campeonato Pernambucano e chegava como favorito ao acesso. Na 2ª fase, porém o Remo disparou no grupo, deixando a última vaga para um duelo pernambucano, na última rodada. O Santa foi a Caruaru com a vantagem do empate. Diante de 9 mil pagantes, com as torcidas meio a meio, o jogo foi duro, mas a patativa marcou duas vezes na etapa complementar, com Everaldo e Jailson. No fim, sufoco. Depois, o time do interior chegou até o quadrangular final, mas acabou superado por Atlético-PR, Coritiba e Mogi Mirim.

4º) Sport 1 x 4 Central – 25/01/2006, Estadual
O alvinegro começou mal no Estadual, com 2 empates e 3 derrotas na cinco primeiras rodadas. Na sexta, o Sport na Ilha. Num jogo transmitido ao vivo para todo o estado, a patativa voou, com gols de João Neto, Clébson, Rogério e Fernandinho – o leão só descontou nos acréscimos. Foi a maior goleada de um time do interior na Ilha do Retiro. Marca ainda vigente.

5º) Central 2 x 1 Íbis – 08/08/1999, final da Série A2
O Central integrou a elite do futebol pernambucano de forma ininterrupta de 1961 a 1998. E o rebaixamento foi duríssimo para o clube, imerso na maior crise financeira de sua história – não estava sequer jogando no Lacerdão, interditado por falta de grama. Na segundona local, contudo, fez ótima campanha e ganhou o título com duas vitórias sobre o Íbis, com Júnior Caruaru definindo o placar da decisão aos 42 do 2º tempo, num Antônio Inácio lotado. Voltou.

6º) Central 2 x 1 Ypiranga – 11/04/2007, Estadual
Era a última rodada do Estadual, com o Sport já campeão por antecipação – na época, havia a disputa em turnos. Restava a briga pelo vice, que ao alvinegro valeria demais. Até então, o time tinha como melhor resultado a 3ª colocação, duas vezes. No clássico do agreste, contra a máquina de costura, a patativa venceu com um gol no último lance, através do zagueiro e capitão Marcelo, na barra da Rua São Paulo. Com o tropeço do Náutico, ficou com vice, ganhando ainda a inédita vaga à Copa do Brasil. A noite terminou com a torcida invadindo o campo para festejar.

7º) Fluminense de Feira 2 x 2 Central – 05/10/1986, Série B
É quase um “jogo perdido” ao longo dos anos, mas teve muita importância. Foi na última rodada do grupo F do Torneio Paralelo da 1986, a segunda divisão nacional daquele ano. No mesmo horário, o Americano jogaria em casa, franco favorito diante do CRB. Portanto, a patativa precisava pontuar para ao menos igualar a classificação. Dito e feito. Ambos terminaram com 11 pontos, 5 vitórias, 11 gols marcados e 6 gols sofridos. No sorteio, a sorte enfim sorriu para a patativa – que celebrou a conquista, ainda não oficializada como título pela CBF.

8º) Central (3) 0 x 0 (1) Ferroviário – 18/02/1973, final do Torneio Início
Foi o primeiro título oficial do clube com a chancela da FPF. O Torneio Início foi disputado de 1919 a 1981, com todos jogos no mesmo dia, com um tempo mais curto. O alvinegro passou por três fases para levantar a taça. Curiosamente, foram três empates sem gols, com vitórias nos pênaltis. Nas quartas, 4 x 3 sobre o Náutico. Na semi, 4 x 2 sobre o Santa. Na decisão, após a prorrogação, 3 x 1 sobre o Ferroviário do Recife. Aquela edição ocorreu no Arruda, com 23.189 espectadores.

9º) Ceará 1 x 1 Central – 18/03/2009, Copa do Brasil
Como de praxe, o time foi desacreditado. Após o empate sem gols em Caruaru, o alvinegro precisaria surpreender o vozão em Fortaleza. Jogando melhor, o Ceará fez 1 x 0 e teve boas chances para ampliar. Porém, vacilou e levou o bote da patativa, a oito minutos do fim. Num recuo mal feito, Buiú roubou a bola do goleiro Adilson e empurrou para o gol vazio, silenciando o Castelão. Apoiado pela regra do gol qualificado, o Central segurou até o fim. Classificado.

10º) Central 3 x 1 Nigéria – 19/10/1980, amistoso
Após um bom tempo fechado para as obras de ampliação, o Lacerdão ganhou o tobogã na arquibancada e a marquise nas cadeiras. Na reabertura, a patativa convidou a seleção da Nigéria. Mais de 5 mil pessoas assistiram ao jogo, com vitória fácil do time pernambucano. O 1º gol foi anotado por Gil Mineiro, logo aos 10 minutos. Os outros tentos foram de Zequinha e Paulinho.

11º) Central 2 x 1 Decisão – 09/12/2001, final da Copa Pernambuco
Hoje descontinuada, a Copa Pernambuco surgiu como alternativa de calendário para os times do interior. Apesar da tradição, o Central precisou esperar um pouco pela primeira taça. Após os vices em 1996 e 1999, enfim faturou o título em 2001. Na final, venceu lá e lô. No Lacerdão, com 2.505 pagantes, o lateral Joãozinho e o volante Romildo marcaram os gols que consagraram a equipe de Ademir Bianconi.

12º) Petrolina 0 x 0 Central – 31/03/2002, final da Copa Jarbas Vasconcelos
Em 2002, as copas regionais foram ampliadas no calendário. Assim, estados como São Paulo, Minas e Rio Grande do Sul criaram os “supercampeonatos estaduais”, deixando os torneios sem os grandes como “estaduais”. Para evitar confusão, a FPF chamou o torneio secundário de Copa Jarbas Vasconcelos, que teve festa alvinegra na beira do São Francisco. Após a vitória na ida, com um gol aos 47, a patativa segurou o empate sem gols em Petrolina e levantou o 3º título oficial em 4 anos.

13º) Central 7 x 4 Great Western – 19/05/1937, Estadual
Provavelmente ninguém lembra, mas vale pela história. Foi a 1ª das 536 vitórias do clube no Campeonato Pernambucano. Aquela foi a estreia do interior na competição, embora o time tenha jogado apenas no Recife. Antes do pioneiro triunfo foram três derrotas seguidas, que não desanimaram o clube. Ao fim da competição, o Central acabaria em 5º lugar (6V, 1E e 8D), entre nove times. Porém, sentiu-se prejudicado pela arbitragem e saiu do campeonato, voltando apenas em 1961, após um hiato de 24 anos!

14º) Central 1 x 0 Náutico – 16/09/1962, Estadual
Foi a primeira vitória oficial da patativa sobre um grande clube da capital após a volta ao Estadual, em 1961. Representando o interior, o alvinegro começou naquela década a obter resultados mais expressivos, como o 3º lugar em 1964. Era o Central de Dudinha, Jucélio e Vadinho, que marcou o gol da vitória sobre o timbu, diante de 3.349 torcedores, numa época acanhada do estádio Pedro Victor de Albuquerque, hoje Lacerdão.

15º) Porto 0 x 5 Central – 26/03/2014, Estadual
Apesar do mando do gavião, o jogo aconteceu no Lacerdão – na época, através de acordo, os rivais dividiram o uso do estádio e do CT Ninho do Gavião. Embora aquela campanha não tenha ficado na memória, este jogo vale pela rivalidade. Foi a maior goleada já registrada no Clássico Matuto. A patativa venceu com gols de Danilo Lins (2x), Danilo Pires, Erivelton e Jailton.

Abaixo, um álbum de fotos com momentos marcantes do Central Sport Club, incluindo algumas das vitórias citadas acima.


Compartilhe!