Compartilhe!

Em 12 de dezembro de 2018, o governo federal promulgou a lei 13.756/18, liberando as apostas esportivas de cotas fixas no Brasil. No caso, com o apostador já tendo a definição do quanto pode ganhar na efetivação da aposta. No futebol, o impacto da polêmica decisão foi imediato, com a chegada de empresas investindo no patrocínio de competições – com clubes de futebol já na mira. Foi o que aconteceu com a Copa do Nordeste de 2019.

O site Bodog já havia dado o primeiro passo ainda em janeiro de 2018, quando firmou um contrato com a Copa do Brasil – como a empresa tem sede no exterior, o acordo acabou sendo permitido. Em 2019, a empresa também assinou com o Nordestão. No regional, no embalo da flexibilização da lei, a visibilidade é evidente, com mensagens dos perfis oficiais da copa divulgando as projeções de resultado de cada partida, além do “craque do jogo”, também bancado pela patrocinadora.

Aqui, as projeções para o clássico entre Náutico e Santa Cruz em 9 de fevereiro, nos Aflitos, em jogo válido pela 4ª rodada. Segundo o algoritmo do Bodog, um leve favoritismo para o timbu.

Obs. Sobre o tema, ainda valerá uma análise mais aprofundada, pois a tendência é que o futebol nordestino siga sendo alvo de interesse para patrocínios do tipo, com sites de apostas expostos nos uniformes dos clubes. Na Premier League, a presença já é comum. Desde já: você concorda?


Compartilhe!