Compartilhe!

Considerando os últimos anos de atividade, existem 27 clubes profissionais em Pernambuco, entre participantes na A1, na A2 e licenciados. Analisando os balanços financeiros sobre 2018, publicados dentro do período estabelecido, até 30 de abril, apenas 5 registraram superávit.

No caso, este resultado é a subtração da receita pela despesa. Entre os times com as contas no “azul”, o destaque fica por conta do Salgueiro, com R$ 753 mil – na temporada anterior o carcará havia registrado um déficit de R$ 386 mil. Além de receitas importantes como patrocínio da prefeitura (400 mil) e venda de atletas (558 mil), ajudou bastante a redução das despesas no clube, com R$ 1,3 milhão a menos.

Na sequência vem o Náutico, com superávit bem abaixo, de 55 mil reais. Nos Aflitos, porém, foi o primeiro balanço positivo nesta década. Vera Cruz, Íbis e Afogados completam a lista, com os dois últimos sendo os únicos que repetiram o cenário de 2017 – pois é, o pássaro aparece positivo pelo segundo ano seguido.

Somado, o quinteto teve um superávit de R$ 816.954. E o lado positivo acaba aqui, pois 8 clubes terminaram no vermelho, com nada menos que R$ 18.134.078, com 79% disso presente no balanço do Sport (com o déficit pelo 6º ano seguido). Ou seja, no geral, os clubes do estado tiveram um déficit de R$ 17.317.124. Vale destacar que 9 times apresentaram balanços com “empate” na receita e na despesa, até nos centavos. Haja equilíbrio – na prática, a maioria desses demonstrativos contábeis tem apenas uma página, com poucos detalhes.

Entre os times no quadro no fim do post, cinco não divulgaram no site da FPF. No caso do Central, a explicação é que o clube teve três contadores diferentes no ano, dificultando a tabulação – assim, ganhou um prazo até junho. Portanto, dos 22 clubes com dados acessíveis, a receita total foi de R$ 133.583.242, o que corresponde a 98,1% da receita do Bahia, a maior do Nordeste (136,1 mi), e a 20,4% da receita do Palmeiras, a maior do Brasil (653,9 mi).

Como curiosidade, a divisão de receita em 2018 entre as mesorregiões pernambucanas…

Grande Recife (9 clubes)
Cabense, Ferroviário do Cabo, Íbis, Ipojuca, Jaguar, Náutico, Retrô, Santa Cruz e Sport
Receita total: R$ 129.096.440 (96,64% do estado)
Receita sem o grandes: R$ 180.367 (0,13% do estado)

Zona da Mata (4 clubes)
Atlético-PE, Barreiros, Timbaúba e Vera Cruz
Receita total: R$ 158.095 (0,11% do estado)

Agreste (6 clubes)
Belo Jardim, Centro Limoeirense, Decisão, Pesqueira, Porto e Ypiranga
Receita total: R$ 1.259.027 (0,94% do estado)

Sertão (3 clubes)
1º de Maio, Afogados e Salgueiro
Receita total: R$ 3.069.680 (2,29% do estado)

Abaixo, os dados de receita, despesa e saldo do exercício de todos os clubes que divulgaram os seus balanços, no site da FPF ou nos respectivos sites oficiais. Para ranquear cada coluna, basta clicar na seta na letra “P” (de posição) ao lado de cada uma das três opções no alto do quadro.

Leia mais sobre o assunto
O 1º balanço financeiro de Pernambuco divulgado em 2019, com R$ 91 mil de receita no Centro

Balanço do Sport em 2018 com déficit de R$ 14 milhões e passivo recorde

Balanço do Náutico em 2018 registra passivo de R$ 284 milhões. Quase mil ações em negociação

Balanço do Santa Cruz em 2018 com apenas R$ 8 milhões de receita. Já o passivo caiu

Receita da FPF cai pelo 2º ano. Crise? Balanço registra 6º superávit seguido


Compartilhe!