Compartilhe!

A proposta brasileira foi entregue na sede da Fifa, na Suíça, em 12 de dezembro de 2019.

A CBF oficializou a candidatura do Brasil para organizar a Copa do Mundo Feminina de 2023. A competição, que acumulou 1,1 bilhão de telespectadores na edição francesa, em 2019, terá 32 países e 64 jogos. Ou seja, repetindo o formato do Mundial realizado no país em 2014. Entretanto, em vez de 12 arenas, o país listou apenas 8. Todas já erguidas e duas delas localizadas no Nordeste: Arena Pernambuco e Fonte Nova.

O relatório brasileiro foi produzido em quatro línguas: inglês, espanhol, francês e alemão. Abaixo, então, a tradução para o português sobre as subsedes da região – tanto o estádio quanto a cidade. Na sequência, dados gerais, inclusive sobre reformas. Afinal, é claro que haveria algum custo para o “Padrão Fifa”.

O país concorre com três candidaturas: Colômbia, Japão e Austrália/Nova Zelândia. O anúncio da proposta vencedora será feito em junho de 2020, durante o congresso da Fifa.

Para mais detalhes sobre a candidatura brasileira, clique aqui.

Recife
“O Recife é uma das joias da coroa do Nordeste do Brasil. Bem conhecido pela influência holandesa na cidade, hoje é um dos centros urbanos mais desenvolvidos do país. Simultaneamente, conseguiu alinhar o seu charme clássico e colonial, garantindo que uma viagem à capital do estado de Pernambuco combine espaços urbanos, bairros bucólicos e praias surpreendentes. Recife é cercado por rios e pontes, ganhando o apelido de ‘Veneza Brasileira’ por suas semelhanças com a cidade europeia. Para quem também procura um pouco de cultura, principalmente os amantes da música, é o berço do forró, um dos ritmos populares originários do Brasil,”

Arena Pernambuco
“A Arena de Pernambuco foi inaugurada em 14 de abril de 2013 e foi palco de jogos da Copa das Confederações de 2013 e da Copa do Mundo de 2014. Depois, outros jogos internacionais também ocorreram na arena e no dia 25 março de 2016 o estádio recebeu o seu maior público durante as Eliminatórias da Copa 2018, no jogo entre Brasil e Uruguai. A capacidade do estádio é de 44.300. Além disso, também possui 5 mil vagas de estacionamento para facilitar o acesso ao campo. Geralmente recebe jogos do Campeonato Brasileiro e também costuma abrigar shows de música, eventos e congressos. Como subsede, atende a todos os requisitos da Fifa, precisando de pequenas intervenções. Para 2023 a despesa seria de US$ 1,1 milhão para estruturas temporárias.”

Locais de treino: Estádio dos Aflitos, CT, do Náutico, CT do Sport e CT do Retrô.

Salvador
“Salvador está situada no Nordeste do Brasil, é a capital da Bahia e a terceira cidade mais populosa do Brasil. Lar de algumas das melhores praias do planeta, foi a primeira capital do Brasil e ainda é vista como o centro econômico do Nordeste, tendo sido fundada em 1549, antes da mudança da capital para o Rio, em 1763. O carnaval de Salvador é o maior da região. O evento atraia centenas de milhares para as ruas da cidade em um festival de música, alegria e celebração. Salvador cresceu sob a profunda influência de afrodescendentes e nativos portugueses, o que contribuiu para a riqueza cultural que caracteriza a cidade. Religião, música, gastronomia e dança falam alta em sua herança africana.”

Fonte Nova
“A Arena Fonte Nova, casa do Esporte Clube Bahia, da elite, já esteve envolvida em algumas das maiores competições internacionais disputadas no Brasil durante a última década e foi completamente reconstruída para a Copa do Mundo de 2014, onde foi palco de seis jogos. . O estádio também foi utilizado na Copa América de 2019, recebendo cinco partidas, incluindo um confronto das quartas de final. Aberta desde 2013, a arena é uma mais modernas e inovadoras do Brasil. . Geralmente recebe jogos do Campeonato Brasileiro e também costuma abrigar shows de música, eventos e congressos. Como subsede, atende a todos os requisitos da Fifa, precisando de pequenas intervenções. Para 2023 a despesa seria de US$ 740 mil para estruturas temporárias.”

Locais de treino: Estádio Barradão, Estádio Pituaçu, CT do Vitória e CT do Bahia (Fazendão).

Note que os textos terminam com a observação de “pequenos ajustes”, em dólar – co  cotação em R$ 4,00, segundo o relatório. Os oito estádios precisam de estruturas temporárias, com o total estimado em US$ 8,83 milhões. Na conversão, R$ 35,32 milhões. A conferir.

Estimativa de investimento nas arenas
US$ 1.325.000 (RS 5,30 mi) – Mané Garrincha e Maracanã
US$ 1.175.000 (R$ 4,70 mi) – Arena Corinthians e Mineirão
US$ 1.100.000 (RS 4,40 mi) – Arena Pernambuco
US$ 1.065.000 (R$ 4,26 mi) – Beira-Rio
US$ 925.000 (R$ 3,7 mi) – Arena da Amazônia
US$ 740.000 (R$ 2,96 mi) – Fonte Nova

A capacidade dos oito estádios candidatos
78.838 – Maracanã (Rio de Janeiro)
72.231 – Mané Garrincha (Brasília)
63.876 – Mineirão (Belo Horizonte)
49.688 – Arena Corinthians (São Paulo)
48.728 – Beira-Rio (Porto Alegre)
47.911 – Fonte Nova (Salvador)
44.300 – Arena Pernambuco (Recife)
44.000 – Arena da Amazônia (Manaus)

Nº de jogos previstos por cidade*
9x – Brasília, Rio de Janeiro e São Paulo
8x – Belo Horizonte, Porto Alegre e Salvador
7x – Recife
6x – Manaus
* Final no Maracanã; Recife e Salvador receberiam jogos das quartas


Compartilhe!