Compartilhe!

A 3ª edição do Campeonato Brasileiro de Aspirantes foi confirmada pela CBF, com 16 clubes inscritos em 2019. Neste cenário, o futebol nordestino terá a sua maior representatividade, com 5 times, quase 1/3 do total. Além do quarteto presente desde o ano passado (Bahia, Santa Cruz, Sport e Vitória), esta temporada marca a estreia do Ceará.

O sistema de classificação ao torneio envolvendo o último degrau da “base”, o Sub 23, consistia nos 16 primeiros colocados do Ranking da CBF. Com as desistências, algo possível nesta competição, a inscrição chegou até o 28º colocado, o tricolor pernambucano. Ao todo, 9 times entraram através da lista de espera.

Sobre a competição, seguem algumas observações do blog – com a tabela oficial logo na sequência.

A condição dos atletas (idade)
Esta edição é voltada para jogadores nascidos a partir de 1996, com no máximo oito nascidos a partir de 2000. Em relação aos jogadores sem limite de idade, é permitida a utilização de até quatro acima de 23 anos. Ou seja, oportunidade a atletas do Sub 20 e a nomes encostados no profissional.

Mais substituições liberadas
Cada clube pode fazer até cinco substituições por jogo, desde que ocorram em no máximo três atos durante a partida – à parte do intervalo, não considerado nesta conta.

Despesas pagas na competição (em parte)
Além da alimentação e da hospedagem, quando o clube estiver na condição de visitante, a CBF vai pagar 24 passagens de ônibus em jogos de até 500 km de distância e 24 passagens aéreas em viagens acima de 500 km. A entidade também será responsável pela taxa de arbitragem.

Fórmula de disputa
A competição tem quatro fases, sendo duas classificatórias e dois mata-matas. Começa com dois grupos de 8, com os times do A enfrentando apenas os do B e vice-versa – em turno único. Avançam os quatro primeiros de cada chave, formando dois grupos de 4. Aí, os times se enfrentam dentro dos respectivos grupos, em ida e volta. Os dois melhores de cada passam à semifinal, com partidas de ida e volta, idem na decisão. Nas edições anteriores, taças para Inter (2017) e São Paulo (2018).

As duas chaves em 2019 (e as posições no ranking nacional)
Grupo A: Grêmio (3º), Corinthians (5º), Bahia (15º), Coritiba (20º), Avaí (21º), Goiás (24º), Paraná (26º) e Santa Cruz (28º)

Grupo B: Santos (4º), Athletico-PR (8º), Inter (9º), Sport (16º), Vitória (17º), Ponte Preta (18º), Figueirense (22º) e Ceará (23º)

A sequência de jogos dos nordestinos em 2019
Bahia: Inter (1ª, C), Ceará (2ª, F), Vitória (3ª, C), Ponte Preta (4ª, F), Sport (5ª, C), Figueirense (6ª, F), Athletico-PR (7ª, C) e Santos (8ª, F)

Ceará: Santa Cruz (1ª, F), Bahia (2ª, C), Avaí (3ª, C), Corinthians (4ª, F), Paraná (5ª, C), Grêmio (6ª, F), Goiás (7ª, F) e Coritiba (8ª, C)

Santa Cruz: Ceará (1ª, C), Inter (2ª, F), Figueirense (3ª, C), Sport (4ª, F), Ponte Preta (5ª, F), Vitória (6ª, C), Santos (7ª, C) e Athletico-PR (8ª, F)

Sport: Paraná (1ª, C), Grêmio (2ª, F), Goiás (3ª, F), Santa Cruz (4ª, C), Bahia (5ª, F), Coritiba (6ª, C), Corinthians (7ª, C) e Avaí (8ª, F)

Vitória: Corinthians (1ª, C), Avaí (2ª, F), Bahia (3ª, F), Coritiba (4ª, C), Goiás (5ª, C), Santa Cruz (6ª, F), Paraná (7ª, C) e Grêmio (8ª, F)

O desempenho dos nordestinos em 2018
3º) Vitória (16 jogos; 9V, 3E e D)
11º) Bahia (8 jogos; 2V, 3E e 3D)
12º) Sport (8 jogos; 1V, 5E e 2D)
13º) Santa Cruz (8 jogos; 1V, 2E e 5D)

A seguir, a tabela básica da 1ª fase, com 64 partidas programadas entre 23/05 e 11/07.


Compartilhe!