Compartilhe!

O Brocador festeja o 6º gol na Série B. Desta vez, o time segurou a vantagem. Imagens do Premiere.

Foi o 6º jogo do Sport como visitante na Série B. Em 5, o rubro-negro chegou a ficar em vantagem, o que mostra que o time consegue ser competitivo longe da Ilha.

Por inúmeros fatores, os pontos estavam escorrendo. À parte de reclamação sobre a arbitragem, a queda de rendimento ofensivo e a desatenção defensiva custaram resultados importantes. Em Curitiba, o time de Guto Ferreira conseguiu ir contra esta “escrita”. Abriu o placar e administrou a vantagem, num jogo difícil, mas bem jogado pelo Sport – numa análise considerando o nível da competição, naturalmente.

O Paraná vinha empurrado por cinco vitórias consecutivas, as duas últimas fora de casa. Não por acaso, a sua torcida encheu o Durival Britto. Só que o Sport começou a partida impedindo qualquer pressão inicial, com a marcação bem adiantada – algo que, por questões físicas, é difícil de manter por 90 minutos. Além disso, colaborou o gol cedinho, com um pênalti aos 11 minutos – deixo aqui a minha visão, de que vi a carga do lateral Guilherme em Ezequiel, sim. Na cobrança, Hernane chutou com tranquilidade e acabou um jejum pessoal de seis jogos.

Dali até o fim, o adversário teria mais a posse de bola (63% x 37%) e finalizaria mais (17 x 9), mas esses números não são tão frios assim – à parte da capital paranaense, com 17 graus. Ao contrário do último jogo fora, contra o Cuiabá, o Sport conseguiu trocar passes, conseguiu assustar o adversário – no 2T, acertou a trave e desperdiçou três bons contragolpes. Faltou algo mais para definir o jogo, com a incerteza seguindo até os 49 minutos, até uma última tentativa. Desta vez, não. O Sport venceu por 1 x 0 e chegou a uma sequência de 3V e 3E, com dois jogos fora do Recife na sequência. Ali em São Lourenço, com a torcida a caminho da arena contra Guarani e Coritiba. Na esperança de ver, novamente, uma regularidade coletiva.

Escalação do Sport (melhores: 1 Charles, 2 Ezequiel, 3 Thyere; pior: Elton)
Mailson; Norberto (Prata, 19/2T), Adryelson, Rafael Thyere e Lazaroni; Ronaldo, Charles e Leandrinho (Sammir, 31/2T); Ezequiel, Brocador (Elton, 14/2T) e Guilherme. Técnico: Guto Ferreira

Escalação do Paraná (pior: Guilherme)
Rodrigues; Eder Sciola, Bauermann, Rodolfo e Guilherme Santos; Luiz Otávio, Itaqui (Ramon, intervalo) e Fernando Neto (Caio Monteiro, 34/2T); João Pedro, Jenison (Rodrigo Porto, 26/2T) e Bruno Rodrigues. Técnico: Matheus Costa

Histórico geral de Paraná x Sport (todos os mandos)
20 jogos
12 vitórias rubro-negras (60,0%)
2 empates (10,0%)
6 vitórias tricolores (30,0%)

A análise do Podcast 45 Minutos (Cassio Zirpoli e Fred Figueiroa):


Compartilhe!