Compartilhe!

Rodrigo Baltar/Santa Cruz

O Santa Cruz segue vivo no Campeonato Brasileiro. Graças a uma virada incrível na Arena Pernambucano, com gols aos 44 e aos 46 do segundo tempo, num momento em que o time parecia abalado e com a torcida já deixando a arquibancada. Afinal, o Imperatriz havia desempatado pouco antes, aos 38 minutos. Pois é, foi um roteiro daqueles, necessário para sacudir time e torcida nesta reta final da fase classificatória da terceirona – tem 5V, 6E e 4D.

O tricolor quebrou uma sequência de cinco rodadas sem vitória, período no qual se afastou do G4, ficando a 5 pontos. Agora está a 2, com o secador ligado no turbo até o fim da 15ª rodada, na segunda-feira.

Embora tenha sido um jogo movimentado, com 3 x 2 no placar, foram apenas 13 finalizações, sendo 9 x 4 a favor do Santa. Esse scout diz bastante sobre a partida, bem amarrada. O que deixa o cenário ainda mais curioso é o fato de que o tricolor precisava da vitória para se manter na briga e o visitante mirava um lugar provisório no G4 em caso de triunfo.

Entretanto, o time maranhense mostrou-se mais interessado em cadenciar o jogo no 1T, buscando alguma brecha. Não foi exatamente assim que abriu o placar, pois a jogada foi bem construída, com o passe voltando para Gabriel Caju balançar as redes aos 29 – é difícil não comparar com o lance anterior dos corais, com Guilherme Queiroz, o substituto de Pipico, isolando a bola. Ao menos o baque foi rápido, pois o Santa empatou três minutos depois, com Everton tabelando com Dudu. Ainda assim, faltava futebol (na verdade, ainda falta).

No 2T, Milton Mendes promoveu as três mudanças, todas ofensivas, de forma gradativa. À medida em que o tempo ia passando, aumentava a pressão – lembrando, o treinador projeta 10 pontos em 12 nas últimas quatro rodadas. A bronca é que num vacilo Rayllan conseguiu escorar e deixar o 1 x 2. No último fôlego, com o ano literalmente em jogo, o Santa forçou a bola área, com Vitão e Augusto certeiros diante de uma defesa atônita. Três pontos na conta.

Escalação do Santa (melhores: 1 Everton, 2 Augusto; pior: Guilherme)
Anderson; Cesinha (Daniel Costa, 23/2T), João Victor, Vitão e Victor; Lucas Gonçalves, Everton e Kadu (Warley, intervalo); Jailson, Guilherme Queiroz (Augusto, 15/2T) e Dudu. Técnico Milton Mendes

Escalação do Imperatriz (melhor: Rayllan; pior: Ramon)
Jean; Jonas (Valderrama, 20/2T), Ramon, Renan Dutra e Renan Luís; Xaves, Lucas Campos e Dos Santos; Xavier (Matheus Lima, 8/2T), Gabriel Caju e Manoel (Rayllan, 12/2T). Técnico: Paulinho Kobayashi

Histórico de confrontos, ambos na Série C (2V do tricolor)
1º) 01/06/2019 – Imperatriz 0 x 1 Santa Cruz (Frei Epifânio)
2º) 02/08/2019 – Santa Cruz 3 x 2 Imperatriz (Arruda)

Santa Cruz como mandante na Arena Pernambuco
21 jogos
11 vitórias
7 empates
3 derrotas
63,4% de aproveitamento

Observação – O público foi de 5.124 espectadores. Como mandante em São Lourenço da Mata, o Santa levou 228.107 torcedores em 21 jogos, o que corresponde a uma média de 10.862.

Leia mais sobre o assunto
Os maiores públicos do Santa Cruz como mandante na Arena Pernambuco

A análise do Podcast 45 Minutos (Fred Figueiroa, Diego Borges e João Pereira):

Rodrigo Baltar/Santa Cruz


Compartilhe!