Compartilhe!

Lucas FIgueiredo/CBF

Fundado em 1933, por jovens operários da ‘rede de viação cearense, o Ferroviário Atlético Clube jamais havia ficado tanto tempo sem vencer uma competição profissional, até 2018.

Após a conquista do bicampeonato estadual em 1995, o clube mergulhou numa crise técnica e financeira sem precedentes no futebol cearense. Tanto que, num olhar regional, o status de ‘terceiro grande’ acabou corroído, hoje a uma enorme distância dos tradicionais rivais, Ceará e Fortaleza. Por isso, o título brasileiro, mesmo numa quarta divisão, é tão emblemático para o tubarão, que renova o gostinho pelas taças após 23 anos. Fato corroborado pela torcida presente no estádio Amigão.

As conquistas do Ferroviário
1 título do Campeonato Brasileiro da Série D (2018)
9 títulos do Campeonatos Cearense (1945, 1950, 1952, 1968, 1970, 1979, 1988, 1994 e 1995)
5 títulos do Torneio Início (1940, 1941, 1946, 1949 e 1966)

Por sinal, o Ferrão é o primeiro clube da capital a conquistar uma competição nacional – no estado, só o Guarany de Sobral havia sido campeão de algo, também na Série D. Em Campina Grande, na grande decisão, o time de Marcelo Vilar perdeu do Treze por 1 x 0, mas levou vantagem no saldo de gols, após o 3 x 0 no Castelão. Assim, o resultado coroou uma temporada de destaque no tricolor. No primeiro semestre já havia feito a sua melhor campanha na Copa do Brasil, quando chegou à quarta fase, arrecadando R$ 4,3 milhões em cotas, dinheiro nunca visto na história do clube. Na campanha, eliminou o Sport na Ilha do Retiro, nos pênaltis, após empatar em 3 x 3 marcando os três gols nos último dez minutos.

A receita obtida na copa foi essencial para a montagem e manutenção (salários e premiações) do elenco durante o Brasileiro. E a campanha foi árdua. Na fase de grupos, avançou de forma invicta, embora com 2V e 4E. No mata-mata, como na Copa do Brasil, se mostrou mais arisco, passando por Cordino-MA (16 avos), Altos-PB (oitavas), Campinense-PB (quartas), São José-RS (semi) e Treze-PB (final) – vencendo todos ao menos uma vez. Para isso, contou com os gols do atacante Edson Cariús, de 29 anos. Foi contratado em abril junto ao Floresta, após a vice-artilharia do Cearense, com 9 gols. Na Série D ele balançou as redes 11 vezes.

Campanha do título do Ferroviário
16 jogos
7 vitórias
6 empates
3 derrotas
26 GP e 18 GC
56,2% de aproveitamento

Ferroviário/twitter (@ferroviario

Com o título da Série D, o Ferroviário entra para a galeria de campeões nacionais do futebol do Nordeste, contando todas as divisões, com campeonatos e copas. É o 9º clube da região neste contexto, somando a 14ª taça – lista completa abaixo.

Cronologia dos títulos nacionais do Nordeste
1º) 10/12/1959 – Bahia* 3 x 1 Santos (Taça Brasil)
2º) 17/12/1972 – Sampaio Corrêa* (5) 1 x 1 (4) Campinense (Série B)
3º) 07/02/1988 – Sport* 1 x 0 Guarani (Série A)
4º) 19/02/1989 – Internacional 0 x 0 Bahia* (Série A)
5º) 16/12/1990 – Sport* 0 x 0 Atlético-PR (Série B)
6º) 30/11/1997 – Sampaio Corrêa* 3 x 1 Francana (Série C)
7º) 11/06/2008 – Sport* 2 x 0 Corinthians (Copa do Brasil)
8º) 14/11/2010 – Guarany de Sobral* 4 x 1 América-AM (Série D)
9º) 20/11/2010 – ABC* 0 x 0 Ituiutaba (Série C)
10º) 21/10/2012 – Sampaio Corrêa* 2 x 0 Crac (Série D)
11º) 03/11/2013 – Botafogo-PB* 2 x 0 Juventude (Série D)
12º) 01/12/2013 – Santa Cruz* 2 x 1 Sampaio Corrêa (Série C)
13º) 21/10/2017 – CSA* 0 x 0 Fortaleza (Série C)
14º) 04/08/2018 – Treze 1 x 0 Ferroviário* (Série D)
* Campeão

Clubes nordestinos com conquistas nacionais*
3 – Sport (Série A 1987, Série B 1990 e Copa do Brasil 2008)
3 – Sampaio Corrêa (Série B 1972, Série C 1997 e Série D 2012)
2 – Bahia (Taça Brasil 1959 e Série A 1988)
1 – Guarany de Sobral (Série D 2010)
1 – ABC (Série C 2010)
1 – Botafogo-PB (Série D 2013)
1 – Santa Cruz (Série C 2013)
1 – CSA (Série C 2017)
1 – Ferroviário (Série D 2018)
* Desconsiderando o peso de cada título, com ordem a partir da última taça

Estados nordestinos com conquistas nacionais*
4 – PE (Série A 1987, Série B 1990, Copa do Brasil 2008 e Série C 2013)
3 – MA (Série B 1972, Série C 1997 e Série D 2012)
2 – BA (Taça Brasil 1959 e Série A 1988)
2 – CE (Série D 2010 e 2018)
1 – RN (Série C 2010)
1 – PB (Série D 2013)
1 – AL (Série C 2017)
* Desconsiderando o peso de cada título, com ordem a partir da última taça

Observação: Central e Treze ainda tentam junto à CBF a oficialização da segunda divisão nacional de 1986, quando dividiram a conquista do “Torneio Paralelo” com Inter de Limeira e Criciúma.

Lucas FIgueiredo/CBF


Compartilhe!