Compartilhe!

ANAF/divulgação

Após a decisão do campeonato estadual da categoria Sub 20, na Arena Pernambuco, o árbitro Tiago Nascimento foi perseguido por integrantes da comissão técnica do Santa Cruz, que perdeu o título para o Porto – os corais se queixaram do primeiro gol do time caruaruense, validado pelo juiz apesar da bandeira levantada pelo auxiliar. Nas imagens do circuito interno do estádio é possível conferir a confusão após a partida, com o trio de arbitragem sendo pressionado por um grupo de pessoas. Em determinado momento, Tiago cai no chão, abrindo o supercílio direito – no vídeo (abaixo), não é possível determinar, no meu entendimento, se foi por alguma agressão naquele momento ou pela queda. Sobre o corte, recebeu 6 pontos.

No dia seguinte ao episódio, a direção do Santa publicou uma nota de esclarecimento, repudiando a violência e relatando a apuração interna sobre o ocorrido. Na mesma tarde, o presidente da FPF, Evandro Carvalho, publicou um ato oficial punindo severamente o clube coral, excluído da próxima edição do Sub 20 no futebol local. Sobre Tiago Nascimento, trata-se de um árbitro de 29 anos, formado em 2011 e que trabalhou em 18 partidas no estado nesta temporada, sendo 8 pela Série A1, 6 pela A2, 2 pelo feminino, 1 pelo Sub 15 e 1 pelo Sub 20, justamente a volta da final.

A seguir, o relato do árbitro na súmula da partida, com o passo a passo da agressão. Também chama a atenção a presença de um ex-dirigente de torcida organizada num local tão restrito.

“Informo que no intervalo do jogo, no corredor de acesso aos vestiários, fomos abordados por seguranças do Santa Cruz que se dirigiram a mim e proferiram as seguintes palavras: ‘tais de novo prejudicando o Santa, Tiago, toda vez tu faz isso…’ Após o término da partida, quando a equipe de arbitragem seguia para o seu vestiário, integrantes da equipe do Santa que se encontravam na porta do seu vestiário, devidamente caracterizados com uniformes da referida equipe, partiram em nossa direção e nos agrediram verbalmente e fisicamente com socos e pontapés”

“Um dos agressores, identificado com o nome de Rafael Silvério Leal, funcionário do clube, tomou a bandeira do meu assistente nº 1 (Bruno Cesar Chaves) e utilizou o instrumento para nos agredir. Este mesmo agressor atingiu o assistente nº 2 ( José Romão) com um violento soco na cabeça. Informo ainda que um dos agressores que estavam no incidente é o senhor Amilton Lima dos Santos, conhecido com Buiú, ex-presidente da Inferno Coral. Outros agressores não identificados nominalmente por não estarem relacionados nos documentos da equipe do Santa Cruz, me agrediram com socos e pontapés, o que me levou a desequilibrar e cair com o rosto no chão ocasionando um grave corte abaixo do supercílio, na região da pálpebra, que gerou grande sangramento. Após esse fato, os agressores evadiram-se do local”

Abaixo, a nota de esclarecimento do Santa Cruz, em 30/11, sobre o fato após a partida.

“O Santa Cruz Futebol Clube, em razão do incidente de ontem (29/11), após o término da partida decisiva pelo Campeonato Pernambucano Sub-20 2018, vem a público prestar esclarecimentos e comunicar ao seu torcedor que: Em primeiro lugar, registrar o veemente repúdio a todo ato de violência cometido contra qualquer pessoa que seja; Lamentar profundamente os atos de violência que todos os profissionais presentes na Arena Pernambuco possam ter sofrido; O Santa Cruz, como medida reativa, irá apurar as circunstâncias em que os fatos se deram e, em caso de evidência de participação de qualquer integrante do Clube, afastá-lo imediatamente de suas funções; Por fim, deixa claro que o Clube colaborará com todas as instituições para que os envolvidos sejam devidamente responsabilizados”

Por fim, a decisão da FPF, comunicando a exclusão do Santa do Estadual Sub 20 de 2019. O terceiro tópico da resolução da presidência (RDP nº 1/2018) trata do encaminhamento das informações (imagens, relatório e súmula) para a federação paulista de futebol, que irá decidir sobre a participação do clube do Arruda na Copa São Paulo de Juniores, em janeiro de 2019.

Nota do blog – Sobre a decisão administrativa, perguntei ao mandatário da FPF se cabia algum tipo de recurso do Santa Cruz para reverter a situação (ou para viabilizar um julgamento). A resposta: “É decisão minha. Se o Santa for para a justiça, eu vou defender a minha decisão”.


Compartilhe!