Compartilhe!

Léo Lemos/Náutico

A surpreendente derrota do Bahia para o Sergipe em Salvador, na véspera, alimentou a possibilidade alvirrubra de enfim entrar na zona de classificação do grupo B, muito mais disputado que o A – neste momento, com o dobro de pontos (78 x 39). Então, ao Náutico cabia buscar um resultado fora da curva nesta campanha na Copa do Nordeste. No Rei Pelé, o time foi bastante competitivo e lutou até os 50 minutos do segundo tempo para segurar a vitória.

O momento timbu já era de ascensão. Na Lampions, embora estivesse fora do G4, a única derrota havia sido na estreia, diante do Fortaleza, um dos favoritos. De lá pra cá, foi remando em todas as frentes. Tanto que ampliou a invencibilidade para 12 jogos, sendo 8V e 4E. Este triunfo diante dos alagoanos colocou de vez o time na disputa pela vaga nas quartas (hoje, é o 4º).

A vitória por 2 x 1 saiu numa partida com 36 finalizações, com leve vantagem para o CRB (14 x 12). Porém, enquanto o mandante se mostrou afobado na maioria das oportunidades, o Náutico foi mais frio – neste contexto, especificamente. O gol de Odilávio, logo aos 6 minutos, é uma mostra disso, se aproveitando de uma saída errada do adversário para avançar em velocidade e deslocar o goleiro. No 1T, o timbu teve 45% de posse, mais orientado à marcação. No 2T, Roberto Fernandes, campeão com o Náutico no ano passado, fez duas mudanças no intervalo para tentar pressionar o visitante. De fato, aconteceu. Mas aí vale o “parêntese”, com o gol de Jiménez logo aos 2 – um prêmio ao volante paraguaio, que foi um batalhador. Ou seja, o gol posterior de Felipe Menezes, com a bola batendo nele num rebote de Bruno, até colocou fogo no jogo, mas dentro de um cenário com a equipe mais organizada ainda em vantagem.

Escalação do Náutico (melhores: 1 Jiménez e 2 Odilávio)
Bruno; Hereda, Camutanga, Sueliton e Josa; Jiménez, Luiz Henrique e Danilo Pires (Fábio, intervalo); Thiago (Assis, 27/2T), Odilávio (Jorge Henrique, 18/2T) e Robinho. Técnico: Márcio Goiano

Escalação do CRB (pior: Danilinho)
Edson Mardden; Júnior (Polaco, 32/2T), Guilherme Matis, Edson e Igor; Claudinei, Ferrugem, Danilinho (Mailson, intervalo) e Felipe Menezes; William Barbio e Hugo Sanches (Danillo Bala, intervalo). Técnico: Roberto Fernandes

Histórico geral de CRB x Náutico (todos os mandos)
59 jogos
29 vitórias pernambucanas (49,1%)
14 empates (23,7%)
16 vitórias alagoanas (27,1%)

A análise do Podcast 45 Minutos (João de Andrade, Clauber Santana e Rafael Brasileiro):

Léo Lemos/Náutico


Compartilhe!