Compartilhe!

O importante (e inédito) posicionamento dos principais clubes do Nordeste.

Chega a ser surreal, mas somente em 17 de maio de 1990 a Organização Mundial de Saúde excluiu a homossexualidade da classificação de doenças e problemas relacionados à saúde.

Quase três décadas depois, a luta contra a homofobia se mantém, num empenho necessário para derrubar tabus e incluir toda a sociedade – não entender isso, adianto, é preconceito. Como um retrato da sociedade, o futebol também expõe essa dificuldade. Tanto na aceitação de jogadores homossexuais (eles existem) quanto no trato de torcedores LGBT (eles existem).

Por isso, o posicionamento dos clubes a favor do respeitos aos gays, lésbicas e transexuais neste Dia Internacional contra a Homofobia, em 2019, é um passo a mais numa atuação social equivalente ao peso de cada camisa, enorme – como períodos de prevenção a doenças, adoção, doação de órgãos, engajamento etc. Aqui, os primeiros exemplos do Nordeste, via redes sociais, a partir do Bahia, que adotou uma política de inclusão e diversidade que é traduzida pelo seu povo, plural. Idem com outras torcidas de massa, como Náutico e Sport.

Observação – Após a publicação deste post, mais clubes postaram em seus perfis oficiais ao longo do dia – com o blog atualizando a lista, ordenada por ordem cronológica. Entretanto, apenas 7 dos 16 fundadores da Liga do Nordeste registraram o apoio. Segue a luta.

Bahia

Botafogo-PB

Náutico

Sport

Santa Cruz

Fortaleza

ABC


Compartilhe!