Compartilhe!

Em Pernambuco, os dados em relação à quantidade de torcedores nos estádios passaram a ser divulgados com frequência na década de 1960. Até então, priorizava-se a informação sobre a bilheteria da partida. Em alguns casos, os públicos eram tratados com estimativas, acredite. Então, a partir deste recorte, confira quais são os dez maiores públicos dos cinco maiores palcos do futebol local. Com critérios distintos ao longo dos anos, o blog considerou o público total, com a soma entre pagantes e não pagantes. Ocorre que na década de 1980, por exemplo, os jornais da cidade tinham como hábito informar apenas os pagantes. De toda forma, é possível relembrar as multidões.

No Arruda, por exemplo, as marcas foram quebradas sistematicamente após a construção do anel superior, em 1982 – com o dobro da capacidade liberada hoje em dia. Além disso, foi durante três décadas a casa da Seleção Brasileira no Recife, com inalcançável público de 1993, pelas Eliminatórias da Copa.

Enquanto isso, a introdução da campanha promocional Todos com a Nota, em 1998, resultou em sete dos dez maiores borderôs da Ilha do Retiro – o desempenho leonino nos gramados também ajudou, com o título estadual invicto e as quartas de final na Série A. Na Arena, em operação desde 2013, as partidas entre seleções nacionais tomam à frente, até mesmo pela ausência divisórias entre torcidas, uma (necessária) norma de segurança que afeta a carga de ingressos nos jogos envolvendo clubes.

Já nos Aflitos os dados são curiosos. Começando pelo recorde, estabelecido em sua versão anterior, bem acanhada. Seis dos demais jogos registrados foram disputados a partir da ampliação, iniciada em 1996. Sobre a Batalha dos Aflitos, trata-se de um dado divulgado por parte da imprensa, mas sem confirmação do clube. Por fim, o Lacerdão, o maior estádio particular do interior nordestino.

Você já esteve em algum dos jogos abaixo? Relembre a história…

Dados atualizados até 26 de julho de 2019

Os 10 maiores públicos no Arruda
1º) 96.990 – Brasil 6 x 0 Bolívia (29/08/1993, Eliminatórias)
2º) 90.400 – Brasil 2 x 0 Argentina (23/03/1994, Amistoso)
3º) 80.203 – Náutico 0 x 2 Sport (15/03/1998, Estadual)
4º) 78.391 – Santa Cruz 1 x 1 Sport (21/02/1999, Estadual)
5º) 76.800 – Brasil 2 x 0 Paraguai (09/07/1989, Copa América)
6º) 76.636 – Santa Cruz (6) 1 x 1 (5) Náutico (18/12/1983, Estadual*)
7º) 75.135 – Santa Cruz 1 x 2 Sport (03/05/1998, Estadual)
8º) 74.280 – Santa Cruz 2 x 0 Sport (18/07/1993, Estadual)
9º) 71.243 – Santa Cruz 2 x 1 Náutico (28/07/1993, Estadual*)
10º) 70.003 – Santa Cruz 0 x 2 Náutico (11/07/2001, Estadual*)

Capacidade máxima: 110.000 (1982)
Capacidade atual: 55.582 (2019)

Os 10 maiores públicos na Ilha do Retiro
1º) 56.875 – Sport 2 x 0 Porto (07/06/1998, Estadual*)
2º) 53.033 – Sport 0 x 2 Corinthians (12/09/1998, Série A)
3º) 50.106 – Sport 4 x 1 Santa Cruz (29/03/1998, Estadual)
4º) 48.564 – Sport 1 x 1 Cruzeiro (27/09/1998, Série A)
5º) 48.328 – Sport 5 x 0 Grêmio (20/09/1998, Série A)
6º) 46.018 – Sport 1 x 1 Grêmio (03/12/2000, Série A)
7º) 45.697 – Sport 3 x 0 Náutico (15/12/1991, Estadual*)
8º) 45.399 – Sport 2 x 1 Botafogo (24/10/1998, Série A)
9º) 45.151 – Sport 1 x 0 São Paulo (16/08/1998, Série A)
10º) 44.346 – Sport 2 x 0 Santa Cruz (31/07/1988, Estadual)

Capacidade máxima: 60.000 (1988)
Capacidade atual: 30.000 (2019)

Os 10 maiores públicos na Arena Pernambuco
1º) 45.010 – Brasil 2 x 2 Uruguai (25/03/2016, Eliminatórias)
2º) 42.352 – Náutico 2 x 1 Central (08/04/2018, Estadual*)
3º) 42.025 – Sport 0 x 2 Palmeiras (23/07/2017, Série A)
4º) 41.994 – Sport 2 x 0 São Paulo (19/07/2015, Série A)
5º) 41.876 – Alemanha 1 x 0 Estados Unidos (26/06/2014, Copa do Mundo)
6º) 41.705 – Espanha 2 x 1 Uruguai (16/06/2013, Copa das Confederações)
7º) 41.242 – Costa Rica (5) 1 x 1 (3) Grécia (29/06/2014, Copa do Mundo)
8º) 41.212 – México 3 x 1 Croácia (23/06/2014, Copa do Mundo)
9º) 40.489 – Itália 4 x 3 Japão (16/06/2013, Copa das Confederações)
10º) 40.285 – Costa Rica 1 x 0 Itália (20/06/2014, Copa do Mundo)

Capacidade máxima: 46.214 (2013)
Capacidade atual: 45.500 (2019)

Os 10 maiores públicos nos Aflitos
1º) 31.613 – Náutico 1 x 0 Santa Cruz (16/08/1970, Estadual)
2º) 31.061 – Náutico 1 x 0 Sport (21/07/1968, Estadual*)
3º) 29.891 – Náutico 0 x 1 Grêmio (26/11/2005, Série B)
4º) 28.022 – Náutico 0 x 2 América-MG (04/12/1997, Série B)
5º) 22.177 – Náutico 0 x 1 Santa Cruz (05/07/2001, Estadual)
6º) 21.474 – Náutico 1 x 0 Sport (14/07/1968, Estadual*)
7º) 21.121 – Náutico 0 x 1 Sport (21/04/2001, Nordestão)
8º) 20.699 – Náutico 2 x 0 Ituano (18/11/2006, Série B)
9º) 20.506 – Náutico 1 x 0 Santa Cruz (11/12/1974, Estadual*)
10º) 20.100 – Náutico 1 x 0 Sport (02/12/2012, Série A)

Capacidade máxima: 30.000 (1988)
Capacidade atual: 18.968 (2019)

Os 10 maiores públicos no Lacerdão
1º) 24.450 – Central 2 x 1 Flamengo (22/10/1986, Série A)
2º) 19.995 – Central 0 x 0 Sport (12/10/1980, Estadual)
3º) 19.338 – Sport 0 x 1 Santa Cruz (30/11/1983, Estadual)
4º) 18.171 – Central 0 x 1 Vasco (15/11/1979, Série A)
5º) 16.000 – Central 0 x 0 Náutico (29/03/1998, Estadual)
6º) 14.957 – Central (4) 1 x 1 (5) Santa Cruz (02/08/1986, Estadual)
7º) 14.080 – Central 0 x 0 Náutico (01/04/2018, Estadual*)
8º) 13.434 – Náutico 2 x 1 Santo André (08/08/2009, Série A
9º) 13.409 – Náutico 0 x 1 Internacional (23/09/2017, Série B)
10º) 13.058 – Central 2 x 2 Grêmio (02/11/1986, Série A)

Capacidade máxima: 30.000 (1982)
Capacidade atual: 16.000 (2019)

* Finais (ida ou volta) do Campeonato Pernambucano


Compartilhe!