Compartilhe!

Mauro Jefferson/Ceará Sporting

Num duelo difícil, no Castelão, o Santa Cruz acabou derrotado pelo Ceará por 2 x 1, sofrendo o gol da virada aos 41 minutos do segundo tempo. Até ali, o pontinho – que seria essencial na classificação da Copa do Nordeste – podia ser creditado ao goleiro Anderson, de 20 anos, numa atuação espetacular. No futebol pernambucano, foi, na minha visão, o melhor rendimento de um jogador da posição nesta temporada, resultado à parte.

Apesar do revés, o tricolor segue no G4, mas com a necessidade de vitória na última rodada para garantir o mando nas quartas. Pelo início de jogo, parecia que a vantagem viria já neste sábado. No time, duas mudanças importantes no ataque, uma forçada, com Queiroz substituindo Pipico (dores na coxa) e outra por opção tática, com Augusto no lugar de Elias Carioca (que caiu de produção nas últimas semanas).

Diante de um time melhor, presente na Série A, o tricolor jogou de forma organizada para buscar os contragolpes. Nos dez primeiros minutos chegou duas vezes assim, ganhando um escanteio na segunda tentativa. Na cobrança, Bruno Ré se antecipou de cabeça e abriu o placar, o que, em tese, otimizaria a estratégia coral. Só que o Ceará teve mais posse (55%) e atacou mais (10 x 4 em finalizações) na primeira etapa, esbarrando em Anderson e na má pontaria do centroavante Roger, sacado no intervalo.

Anderson, que já vinha bem, cresceu na etapa complementar, com várias defesas – quatro delas num nível de dificuldade enorme. Ainda assim, foi vazado, duas vezes. Em ambos os casos, ficou numa situação complicada. No gol de empate, aos 5, o chutaço de Carleto foi no lado da barreira. Aos 41, Ricardo Bueno chegou no mano a mano com Cesinha – que caiu no drible – e tocou para as redes. A jogada foi a sequência de um escanteio a favor do Santa, com o time subindo quase todo – num risco inacreditável àquela altura. Para ser justo, a vitória ficou com o time que buscou o resultado o tempo inteiro, tendo ainda um gol mal anulado. Ao menos o tricolor deixou o jogo com plena confiança no goleiro. Algo importante.

Escalação do Santa (melhor: Anderson; piores: 1 Guilherme, 2 Cesinha, 3 Augusto)
Anderson; Cesinha, João Victor, William e Bruno Ré; Lorenzi, Ítalo e Allan Dias; Luiz Felipe (Patrick Vieira, 32/2T), Guilherme Queiroz (Elias, 8/2T) e Augusto (Charles, 21/2T). Técnico: Leston Júnior

Escalação do Ceará (melhores: 1 Baxola, 2 Bueno, 3 Wescley; pior: Roger)
Richard; Samuel Xavier, Valdo, Luiz Otávio e Thiago Carleto; Fabinho, Juninho e Ricardinho (Wescley, intervalo); Felipe Baxola, Roger (Ricardo Bueno, intervalo) e Chico (João Paulo, 30/2T). Técnico: Lisca

Histórico geral de Ceará x Santa Cruz (todos os mandos)
58 jogos
24 vitórias tricolores (41,3%)
14 empates (24,1%)
20 vitórias alvinegras (34,4%)

A análise do Podcast 45 Minutos (Cassio Zirpoli, Thiago Minhoca e João Pedro Pereira, 24-45min):

Mauro Jefferson/Ceará Sporting


Compartilhe!