Compartilhe!

Lucas Figueirêdo/CBF

O Mané Garrincha recebeu 34.204 torcedores para o amistoso entre Brasil e Catar. O borderô correspondeu a 46,9% da capacidade do estádio em Brasília, com 72.788 lugares. Essa “baixa” parece relacionada ao nível do adversário, no penúltimo jogo antes da Copa América, mostrando a importância do produto para gerar demanda – sobretudo em amistosos.

A Seleção Brasileira venceu por 2 x 0, gols de Richarlison (4º tento) e Gabriel Jesus (14º tento) em apenas 23 minutos. Entre os dois lances, a lesão de Neymar, substituído após uma torção – em meio a uma polêmica na vida pessoal do atacante, acusado de estupro.

Sobre o jogo, o futebol de praxe da atual versão do time comandado por Tite, pouco contundente e sem brilho – e, durante 70 minutos, sem o principal expoente técnico, num provável problema técnico e tático no evento a ser realizado no país. Desde a eliminação na Copa do Mundo de 2018, o retrospecto da Canarinha em 9 jogos é de 8V e 1E, com três jogos nesta temporada (2V e 1E).

Atualização – Duas horas após o jogo, a CBF comunicou a lesão de Neymar, com uma ruptura ligamentar no tornozelo direito. Logo após a saída do jogo, o jogador foi encaminhado ao hospital para exames. Com o laudo, o atacante do PSG acabou sendo cortado do grupo da Copa América.

Escalação do Brasil
Ederson; Daniel Alves (Éder Militão, 34/2T), Marquinhos, Miranda e Filipe Luís (Alex Sandro, 30/2T); Casemiro, Arthur (Fernandinho, 20/2T) e Philippe Coutinho (Lucas Paquetá, 22/2T); Richarlison (David Neres, 17/2T), Neymar (Everton, 20/1T) e Gabriel Jesus. Técnico: Tite

Brasil de Tite, de 09/2016 a 06/2019
35 jogos (26 sem sofrer gols)
28 vitórias
5 empates
2 derrotas
73 GP e 10 GC
84,7% de aproveitamento

Lucas Figueirêdo/CBF


Compartilhe!