Compartilhe!

Anderson Stevens/Sport Recife

A torcida rubro-negra atendeu ao chamado e marcou presença na Arena Pernambuco, com 18.403 torcedores, bem acima dos públicos na Ilha do Retiro nesta Série B. Em campo, porém, a atuação foi lamentável. Diante de um adversário enraizado na zona de rebaixamento, o Sport não conseguiu se impor, ficando num 1 x 1. Foi o 7º empate em 13 jogos.

Embora seja o time com menos derrotas na competição, o leão segue sem se firmar no G4 justamente pela falta de contundência – tem 5V, 7E e 1D. E parte da explicação vem justamente do desempenho como mandante, com 3 vitórias e 4 empates. Ou seja, já desperdiçou oito pontos em casa. Em São Lourenço, na “casa” de ocasião, o time foi a campo com mudanças devido ao desgaste físico, com quatro jogos em dez dias. Análise que também se aplica ao Guarani, diga-se.

No 1T, o que chamou a atenção foi a mudança de postura após ficar em vantagem. Mesmo errando, o leão começou dominando, com a posse de bola beirando 70%. Seguiu assim até balançar as redes aos 18 minutos, com Yan batendo de fora da área, após boa jogada de Ezequiel – depois, ambos abusaram da improdutividade. Em vantagem, os rubro-negros passaram a “dosar” a partida, de forma consciente ou não, com o controle da bola caindo para 55%. Ou seja, o adversário passou a tentar algo – sobretudo porque era necessário e tinha espaço. A mudança no volume se estendeu até o empate, com Davó – numa sequência de falhas, com Charles (no acompanhamento), Adryelson (no bote) e Ronaldo (só observou).

O que houve depois? O Sport retomou a posse de bola. Até o fim do jogo, a posse ficou em 65%, deixando aquele momento ainda mais inexplicável. Ou não, pois tecnicamente o Sport não se encontrou Ah, sobre o 2T, time pregou, perdeu jogadores por lesão e insistiu sem organização no ataque. Só que as duas melhores chances foram do visitante. Vaias.

Escalação do Sport (piores: 1 Ronaldo, 2 Leandrinho, 3 Brocador/Elton)
Mailson; Prata, Adryelson (Eder, 16/2T), Rafael Thyere e Lazaroni; Ronaldo, Charles e Leandrinho; Yan, Brocador (Elton, 16/2T) e Ezequiel (Guilherme, 25/2T). Técnico: Guto Ferreira

Escalação do Guarani (melhor: Davó; pior: Michel Douglas)
Jefferson (Klever, 5/2T); Bruno Souza, Ferreira, Luiz Gustavo e Giaretta; Deivid, Ricardinho e Igor Henrique; Vitor Feijão (Arthur Rezende, 38/2T), Michel Douglas (Deivid Souza, 27/2T) e Davó. Técnico: Roberto Fonseca

Histórico geral de Sport x Guarani (todos os mandos)
40 jogos
12 vitórias rubro-negras (30,0%)
15 empates (37,5%)
13 vitórias bugrinas (32,5%)

Sport como mandante na Arena Pernambuco
28 jogos
13 vitórias
11 empates
4 derrotas
59,5% de aproveitamento

Observação – Como mandante, em São Lourenço, o Sport já levou 637.068 torcedores em 28 jogos, o que corresponde a uma boa média de 22.752. Portanto, este jogo foi “abaixo” do histórico lá.

Leia mais sobre o assunto
Os maiores públicos do Sport como mandante na Arena Pernambuco

A análise do Podcast 45 Minutos (Cassio Zirpoli, Fred Figueiroa, Celso Ishigami e João Pereira):

Anderson Stevens/Sport Recife


Compartilhe!