Compartilhe!

Em 1919, a Liga Pernambucana de Desportos Terrestres (LPDT), a precursora da FPF, instituiu o “Torneio Initium”, como forma de confraternização entre os clubes filiados no início da temporada. A ideia começava a ganhar corpo no país, com o Rio de Janeiro realizando o evento desde 1916. No tal ‘festival da liga’, os times seriam apresentados ao público, um a um, num campo de futebol. Após o desfile, com direito à escolha da melhor apresentação, a disputa de um rápido torneio, jogado em uma tarde com a participação de todas as equipes da primeira divisão. Como? Reduzindo o tempo da partida de 90 para apenas 20 minutos.

Na primeira edição, numa época em que os times adotavam a formação 2-3-5, participaram América, Torre, Flamengo do Recife, Náutico, Santa e Sport. Com o goleiro Ilo Just sendo apontado como o destaque, o tricolor faturou o primeiro Torneio Início do futebol local. Ao todo, seriam 63 edições, com dez campeões distintos. Através do acervo digital do Diario de Pernambuco, à disposição na Biblioteca Nacional, trago detalhes sobre a competição oficial, extinta em 1981.

A seguir, 16 tópicos com curiosidades, álbum com 15 fotos e a lista de campeões e vices.

Em tempo: não há previsão da FPF sobre uma reedição. Fica a história…

1) O Torneio Início ocorria integralmente em um estádio, de 3h a 6h de duração. Ao longo dos anos, passou pelos principais campos do Recife, como Avenida Malaquias, Jaqueira, Aflitos, Ilha e Arruda.

2) A pioneira edição, em 1919, estava agendada para o antigo estádio do Sport, o Campo da Avenida Malaquias, mas a liga não concordou com o pedido do leão sobre a entrada franca para os seus associados. Então, o torneio acabou sendo levado para os Aflitos, já em posse do Náutico.

3) O formato consistia em eliminatórias com jogos únicos, boa parte a partir das quartas de final. Devido ao número flutuante de participantes, teve time largando já na semifinal em alguns anos.

4) O tempo de jogo seguia a regra básica de 20 minutos (dois tempos de 10), mas houve evolução. No fim dos anos 1940, a final tinha 30 minutos. Nos anos 1950, a decisão passou a ter 40. Não parou aí. Em 1967, houve uma prorrogação de 20 minutos, com a final chegando a uma hora!

5) Sobre o critério de desempate, recorrente devido ao pouco tempo de jogo, nas duas primeiras décadas avançava o clube com mais escanteios a favor (!). Em 1948 já havia a disputa de pênaltis, mas com uma particularidade: cada time indicava um jogador, responsável pelas 5 cobranças.

6) O torneio passou a ser organizado pela federação em parceria com a Associação de Cronistas Desportivos (ACDP). Havia troféu para o campeão, para o vice e para o melhor desfile, além de homenagens pontuais. Também havia Torneio Início para os juvenis e para a divisão suburbana.

7) Em 1943, Náutico e Santa Cruz não participaram – os jogadores ainda estavam de férias. Com isso, o América avançou de forma automática para a final. Descansado, enfrentou o Ferroviário (então chamado de ‘Great Western’), que jogara 2x. E deu Mequinha, com apenas uma peleja.

8) O Íbis, o pior time do mundo, já fez a festa na abertura do futebol pernambucano. Não uma, mas duas vezes. Nas finais de 1948 e 1950, o pássaro preto bateu Náutico e Santa nos pênaltis.

A última edição do Torneio Início, em 1981
« 15 de 15 »

9) Em 1961 e 1970, o Trio de Ferro caiu ainda nas quartas de final, nas maiores zebras do torneio.

10) Em 1973 e 1980, Central e Náutico ganharam as respectivas disputas com esta proeza: não marcaram gols no tempo normal. Ambos empataram os três jogos em 0 x 0, definindo nos pênaltis até a taça. Por outro lado, o timbu também detém o recorde de gols numa final: 5 x 1 em 1944.

11) A última edição foi realizada no Arruda, em 1981, com apenas 5.002 pagantes. Em 14 de abril de 1982, o então presidente da FPF, Dilson Cavalcanti, apresentou a proposta de extinção no conselho arbitral. Os clubes deixaram a decisão com a FPF, que acabou (no Rio terminara em 1977).

12) E foi justamente na derradeira edição que ocorreu a única final entre dois times do interior, envolvendo as cidades de Caruaru (Atlético) e Serra Talhada (Comercial).

13) Em 19 temporadas o campeão do Torneio Início também venceu o Campeonato Pernambucano. Eis a quantidade de ‘dobradinhas’: Sport 7, Santa 6, Náutico 4, América 1 e Torre 1. Entre 1930 e 1945 (16 anos), nenhum campeão do Torneio Início conquistou o Estadual do mesmo ano.

14) Ao todo, 17 times disputaram a final do Torneio Início, com dez levando a taça – dois do interior, ambos de Caruaru (Central e Atlético). Os sete vices: Flamengo (4), Santo Amaro (2), Tramways (2), Portela (2), Encruzilhada (1), Asas (1) e Comercial (1), todos extintos.

15) O histórico do Torneio Início traz uma lista de campeões bem mais equilibrada que a do Estadual, inclusive sobre as finais disputadas: Sport 27 (18 títulos, 66% de aproveitamento em 27 decisões), Santa 25 (12 títulos, 48%), Náutico 24 (14 títulos, 58%) e América 18 (11 títulos, 61%),

16) Em 21 oportunidades, o que corresponde a apenas 1/3, um clássico decidiu o título, sendo 10 Clássicos das Multidões (Sport 6 x 4 Santa), 7 Clássicos das Emoções (Náutico 4 x 3 Santa) e 4 Clássicos dos Clássicos (Náutico 2 x 2 Sport).


Compartilhe!