Compartilhe!

A camisa principal da segunda linha de uniformes da Cobra Coral foi inspirada no centenário de um jogo clássico. O padrão do Santa Cruz válido para a temporada 2018/2019 remete a uma vitória em 30 de janeiro de 1919. Na ocasião, vestindo a camisa apelidada de ‘cobra coral’, o tricolor venceu o Botafogo por 3 x 2, no Campo da Avenida Malaquias. O triunfo, com gols de Miranda, Pitota e Tiano, foi o primeiro de um nordestino diante de um time do eixo Rio-SP.

Além das faixas horizontais, ausentes na linha anterior, o padrão também se destaca pelas listras brancas maiores. Nesta versão, a parte superior toda preta e o escudo inserido na primeira listra vermelha. Já o padrão branco foi idealizado numa versão produzida em 1997 – embora o ano, tecnicamente, não tenha sido marcante.

Sobre a nova linha, o clube colocou à venda, a princípio, a versão profissional, com desconto para sócios. A tendência é lançar duas versões mais baratas, a ‘torcedor’ e a ‘popular’. A produção ocorreu novamente numa fábrica terceirizada no Ceará, a Bomache, que também tem contratos semelhantes com outros clubes do país, como o pioneiro Paysandu, dono da “Lobo”. Em 2017, no primeiro trimestre após o lançamento da marca própria do Santa, foram vendidas 13 mil peças, com faturamento de R$ 772 mil. Assim como na versão 2017/2018, um terceiro padrão também deve ser lançado em breve.

Os valores do uniforme oficial do Santa Cruz
R$ 229 – versão profissional (M); R$ 199 (sócio)
R$ 219 – versão profissional (F); R$ 199 (sócio)
R$ 199 – versão torcedor (M)*
R$ 179 – versão torcedor (F)*
R$ 99 – versão popular (M e F)*
* Remessa a ser disponibilizada

Número de peças vendidas*
2015 – 80 mil
2016 – 45 mil
2017 – 60 mil (estimativa)
* Dados da direção do Santa Cruz 

Abaixo, os novos padrões. Tricolor, o que você achou da nova linha do clube?

Uniforme I (coral, com faixas horizontais)

Uniforme II (branco)


Compartilhe!