A honra da pioneira participação do Brasil em um torneio da Conmebol coube a um clube nordestino. O Bahia disputou a Libertadores de 1960 na condição de campeão da primeira Taça Brasil, hoje unificada ao Brasileirão. Em mais de 50 anos de competições sul-americanas oficiais, são contabilizadas 30 participações de 9 times da região. Aqui, apresento a compilação de todas as campanhas, com recortes em cada torneio.

Até hoje, três competições internacionais já contaram com representantes do Nordeste. Além da Libertadores (cuja vaga é a mais difícil, mesmo com recente ‘G6’ na Série A) e da extinta Copa Conmebol, a Sul-Americana veio para suprir a demanda por disputas do tipo. Já são dez edições consecutivas com ao menos um nordestino presente, de 2009 a 2018.

Em relação ao desempenho, o máximo alcançado foi a final, uma vez. Em 1999, no último ano da Copa Conmebol, o CSA decidiu o título contra os argentinos do Talleres, perdendo em Córdoba com um gol aos 45 minutos do segundo tempo. O time alagoano se aproveitou da vaga aberta à Copa do Nordeste, uma vez que o Vitória, campeão daquela regional, declinou do convite. O vice, Bahia, e o terceiro colocado, Sport, também. Na quarta posição, o alviazulino de Maceió topou e fez história. Aquela campanha foi suficiente para deixar o clube na 4ª colocação geral, somando todos os jogos internacionais da região.

A conquista continental segue inédita… Até quando?

Taça Libertadores da América
1960 – Bahia (quartas de final, 1ª fase – 2 jogos)
1964 – Bahia (pré-libertadores, 1ª fase – 2 jogos)
1968 – Náutico (fase de grupos, 1ª fase – 6 jogos)
1988 – Sport (fase de grupos, 1ª fase – 6 jogos)
1989 – Bahia (quartas de final, 3ª fase – 10 jogos)
2009 – Sport (oitavas de final, 3ª fase – 8 jogos)
Ranking de participações (6): Bahia 3; Sport 2; Náutico 1

Copa Conmebol
1994 – Vitória (oitavas de final, 1ª fase – 2 jogos)
1995 – Ceará (oitavas de final, 1ª fase – 2 jogos)
1997 – Vitória (quartas de final, 3ª fase – 4 jogos)
1998 – América-RN (oitavas de final, 1ª fase – 2 jogos)
1998 – Sampaio Corrêa (semifinal, 3ª fase – 6 jogos)
1999 – CSA (vice-campeão, 4ª fase – 8 jogos)
Ranking de participações (6): Vitória 2; Ceará, América-RN, Sampaio Corrêa e CSA 1

Copa Sul-Americana
2009 – Vitória (oitavas de final, 2ª fase – 4 jogos)
2010 – Vitória (16 avos/fase nacional, 2ª fase – 2 jogos)
2011 – Ceará (16 avos/fase nacional, 2ª fase – 2 jogos)
2012 – Bahia (16 avos/fase nacional, 2ª fase – 2 jogos)
2013 – Sport (oitavas de final, 3ª fase – 4 jogos)
2013 – Bahia (oitavas de final, 3ª fase – 4 jogos)
2013 – Vitória (16 avos/fase nacional, 2ª fase – 2 jogos)
2013 – Náutico (16 avos/fase nacional, 2ª fase – 2 jogos)
2014 – Bahia (oitavas de final, 3ª fase – 4 jogos)
2014 – Vitória (oitavas de final, 3ª fase – 4 jogos)
2014 – Sport (16 avos/fase nacional, 2ª fase – 2 jogos)
2015 – Sport (oitavas de final, 3ª fase – 4 jogos)
2015 – Bahia (16 avos/fase nacional, 2ª fase – 2 jogos)
2016 – Santa Cruz (oitavas de final, 3ª fase – 4 jogos)
2016 – Sport (16 avos/fase nacional, 2ª fase – 2 jogos)
2016 – Vitória (16 avos/fase nacional, 2ª fase – 2 jogos)
2017 – Sport (quartas de final, 4ª fase) – 8 jogos
2018 – Bahia (32 avos de final, 1ª fase) – 1 jogo (em andamento)
Ranking de participações (18): Vitória, Sport e Bahia 5; Ceará, Náutico e Santa Cruz 1

Observações sobre o ranking
1) Buscando a uniformização, a vitória vale três pontos em todos os jogos – oficialmente, começou em 1995. Na lista geral, todos os jogos têm o mesmo peso, à parte da importância de cada copa

2) Em 1968, na Libertadores, o Náutico perdeu os pontos de uma vitória devido a uma escalação irregular. A vitória está na lista, mas os pontos seguem descontados

3) O ‘Top 8’ no quadro se refere às campanhas a partir das quartas de final. Em 1960 o Bahia estreou na Libertadores já nesta fase, contando também, naturalmente

4) Dados atualizados até 11/04/2018 (Blooming 1 x 0 Bahia, Sula)

Pin It on Pinterest