Compartilhe!

A festa do acesso nos Aflitos. Invasão total. Fotos: Georgia Kyrillos/cortesia e Léo Lemos/Náutico.

Tudo indicava que o jogo nos Aflitos seria parelho. Pelo retrospecto e pela tradição de Náutico e Paysandu (13 jogos invicto), não havia como ser diferente neste mata-mata. E foi assim até o último lance, estendendo a disputa às penalidades. Com o triunfo, seguido de uma invasão massiva, o timbu conquistou o acesso à Série B de 2020. Retomou o calendário completo e assegurou uma cota de R$ 8 milhões, já mudando o seu patamar.

Até essa festa, a torcida sofreu além da conta. Pois o time não fez uma boa partida e viu o adversário jogar mais e abrir 2 x 0 aos 9 do segundo tempo. Àquela altura, o time pernambucano encontrava muitas dificuldades para chegar à meta do papão, sem alternativas de jogo. E continuou assim até o fim, tendo que insistir na bola aérea – diante de um time que ainda não havia sofrido um gol de cabeça nesta Série C. No coração, sem tanta convicção, o timbu chegou lá. Diminuiu com Álvaro numa cabeçada, após cruzamento de Simões, e empatou através de um pênalti assinalado aos 49 minutos, na última investida. Em outro cruzamento da esquerda, com a zaga paraense cortando a bola, tendo um desvio no braço – acesso à parte, acho que o árbitro Leandro Vuaden errou.

Haja sangue frio na cobrança, na barra da sede, aquela de outro jogo decisivo famoso. Desta vez não. Aos 53 minutos (!), Jean Carlos, que cobrara duas faltas por cima, acertou o pé e empatou, fazendo o Eládio de Barros Carvalho explodir pela primeira vez no domingo. Bem concentrado, o mesmo jogador abriu a série de pênaltis, com todas as cobranças certeiras – esta foi a terceira disputa de pênaltis do timbu no ano, sendo a primeira 100%.

Contando com uma defesa de Jefferson, Matheus Carvalho foi para a última cobrança tendo a chance de fechar. Fez 5 x 3 e confirmou a classificação alvirrubra, com a volta à segunda divisão após duas temporadas. Um lance seguido de uma invasão histórica da torcida, que transformou o verde do gramado num mar vermelho e branco, de uma festa merecida para uma campanha tão boa, a melhor desta edição (10V, 5E e 5D). Parabéns, Náutico!

Escalação do Náutico (melhores: 1 Simões, 2 Álvaro, 3 Jefferson)
Jefferson; Hereda, Diego Silva, Camutanga e William Simões; Josa, Jiménez (Jhonnatan) e Jean Carlos; Thiago (Matheus Carvalho), Rafael Oliveira (Wallace PE) e Álvaro. Técnico: Gilmar Dal Pozzo

Escalação do Paysandu (melhor: Vinícius Leite)
Mota; Tony, Micael, Perema e Bruno Collaço; Anderson Uchôa, Wellington e Tomas Bastos (Thiago Primão); Nícolas, Vinicius Leite e Hygor. Técnico: Hélio dos Anjos

Histórico de Náutico x Paysandu (todos os mandos)
31 jogos
9 vitórias pernambucanas (29,0%)
12 empates (38,7%)
10 vitórias paraenses (32,2%)

As participações do Náutico nas divisões entre 1971 e 2020*
Série A – 27x (54%)
Série B – 21x (42%)
Série C – 3x (6%)
Série D – 0x (0%)
* O clube disputou as séries A e B em 1981

Os maiores públicos dos Aflitos após a reabertura em dezembro de 2018
1º) 17.357 – Náutico 1 x 0 Newell’s Old Boys (16/12/2018, amistoso)
2º) 16.662 – Náutico (5) 2 x 2 (3) Paysandu (08/09/2019, Série C)
3º) 14.211 – Náutico 0 x 1 Sport (14/04/2019, Estadual)
4º) 11.962 – Náutico 2 x 0 Afogados (03/04/2019, Estadual)
5º) 10.678 – Náutico 1 x 3 Fortaleza (15/01/2019, Nordestão)

A análise do Podcast 45 Minutos (Cassio Zirpoli, Celso Ishigami, Fred Figueiroa e João Pereira):


Compartilhe!