Compartilhe!

O capitão Josa comemora o primeiro gol timbu numa noite de luta. Fotos de Léo Lemos/Náutico.

Em termos de classificação, era um jogo-chave para o Náutico, para se reaproximar da vaga e pressionar os demais adversários. A bronca era o adversário desta noite, o líder da da Série C. O Sampaio havia vencido os últimos cinco jogos e comprovou essa dificuldade nos Aflitos. Apoiado por 9.419 torcedores, o timbu suou bastante para virar o jogo. Com o 2 x 1, chegou a 27 pontos, três a mais que o 5º colocado – na prática são 4 pontos, devido à vantagem no nº de vitórias (8 x 6).

Para retomar o cenário favorável, após a má atuação contra o Globo, o time de Dal Pozzo precisou se ajustar durante a partida, numa atuação de muita entrega, mas de pouca inspiração técnica. No 1T, por exemplo, o timbu encontrou muitas dificuldades para trocar passes no campo ofensivo, com o visitante parando as jogadas antes da aproximação da área – no scout, 9 x 16 em faltas cometidas, com o tricolor de São Luís bem à frente .

Embora tenha sido um time faltoso, o Sampaio também foi uma equipe organizada ofensivamente, com 7 x 5 em finalizações – incluindo uma bola na trave de Romano (em cobrança de falta) e o gol de Salatiel (no rebote, fez o 5º gol na competição). Mesmo sem produzir bem, o timbu conseguiu arrancar o empate aos 44, a partir de uma saída de errada do rival. Após rápida troca de passes, Josa apareceu e finalizou bem.

A igualdade tranquilizou bastante a apresentação no 2T. Ainda mais após a virada aos 8 minutos, num pênalti cometido pelo zagueiro Paulo Sérgio – cortou o cruzamento de Rafael Oliveira com o braço. O chute certeiro de Jiménez estabilizou o jogo, no viés pernambucano. E as chances passaram a aparecer, com dois desperdícios – Diego (cabeçada), Thiago (chute rasteiro). Por não “matar”, passou aperreio até o fim, com os maranhenses levando perigo e reclamando de uma penalidade. Passou aperreio, mas venceu, com a torcida gritando “Vamos subir, Náutico! Vamos Subir, Náutico!”. Hoje, a tendência é que o apoio siga nas quartas.

Escalação do Náutico (melhores: 1 Josa, 2 Matheus, 3 Jefferson)
Jefferson; Hereda, Diego, Camutanga e Erick Daltro; Josa, Jiménez e Jean Carlos (Álvaro, 16/2T); Thiago, Rafael Oliveira (Wallace PE, 28/2T) e Matheus Carvalho (Jhonnatan, 39/2T). Técnico: Gilmar Dal Pozzo

Escalação do Sampaio Corrêa (melhor: Salatiel; pior: Paulo Sérgio)
Rodrigo Carvalho; Everton, Odair, Paulo Sérgio e Romano; Ferreira, Capanema (Alex Henrique, 31/2T) e Eloir (Diones, 17/2T); Roney, Salatiel e João Paulo (Welder, intervalo). Técnico: João Brigatti

Histórico geral de Náutico x Sampaio (todos os mandos)
20 jogos
10 vitórias pernambucanas (50,0%)
4 empates (20,0%)
6 vitórias maranhenses (30,0%)

A análise do Podcast 45 Minutos (Clauber Santana, João de Andrade e Rodolpho Moreira):

Abaixo, o pênalti cobrado pelo volante paraguaio Jiménez, virando o marcador de forma definitiva.


Compartilhe!