Compartilhe!

Texto e dados atualizados até 13 de fevereiro de 2019

Há tempos a Copa do Brasil é vista como uma grande fonte de receita a partir das cotas de participação, bancadas através do contrato de transmissão da Globo junto à CBF – cuja assinatura em 2017 valeu um salto enorme. Aqui, listo as cotas obtidas nos últimos anos pelos clubes de PE e por outros times tradicionais da região, espalhados em AL, BA, CE, MA, PB, PI, RN e SE.

A princípio, o quadro parte de 2011, o primeiro ano com todos os valores encontrados na web – à medida em que novas cifras surgirem o período da pesquisa será ampliado. Nos últimos oito anos, o clube nordestino que mais arrecadou – com repasses a cada fase disputada – foi o Vitória.

O curioso é que o leão baiano saltou para a liderança justamente após o surgimento das “supercotas”. Em 2018, quando chegou às oitavas, recebeu 52% de todo o apurado no período. O Bahia, que largou nas oitavas nesta edição, por causa do título da Lampions, também ganhou uma posição. Idem com o Ceará. Assim, o Sport, eliminado pelo Ferroviário na segunda fase, despencou do 1º para o 4º lugar após a edição de 2018.

Ranking de premiações de 2011 a 2018 (entre os clubes listados; em reais)
1º) 14,11 mi – Vitória (BA)
2º) 11,90 mi – Bahia (BA)
3º) 9,65 mi – Ceará (CE)
4º) 9,23 mi – Sport (PE)
5º) 7,31 mi – Náutico (PE)
6º) 6,12 mi – ABC (RN)
7º) 5,75 mi – Sampaio Corrêa (MA)
8º) 4,58 mi – ASA (AL)
9º) 4,48 mi – Santa Cruz (PE) e América (RN)
11º) 4,40 mi – CRB (AL)
12º) 4,30 mi – Ferroviário (CE)
13º) 4,22 mi – Fortaleza (AL)
14º) 4,16 mi – Botafogo (PB)
15º) 3,28 mi – Salgueiro (PE)
16º) 1,72 mi – CSA (AL)
17º) 1,24 mi – Confiança (SE)
18º) 1,04 mi – Campinense (PB), River (PI) e Treze (PB)
21º) 0,74 mi – Moto Club (MA)
22º) 0,46 mi – Sergipe (SE)

Obs. Além das cotas, em valores nominais, os dados dos clubes trazem a divisão do Campeonato Brasileiro no respectivo ano e o número de fases disputadas na edição da Copa do Brasil.

Vitória (2011-2018: R$ 14,11 milhões)
2011 (B) – R$ 100 mil (1 fase)
2012 (B) – R$ 940 mil (4 fases)
2013 (A) – R$ 530 mil (2 fases)
2014 (A) – R$ 280 mil (1 fase)
2015 (B) – R$ 440 mil (2 fases)
2016 (A) – R$ 1,56 milhão (3 fases)
2017 (A) – R$ 2,83 milhões (4 fases)
2018 (A) – R$ 7,43 milhões (5 fases)
2019 (B) – R$ 525 mil (1 fase; será computado no fim da edição)

Bahia (2011-2018: R$ 11,9 milhões)
2011 (A) – R$ 650 mil (3 fases)
2012 (A) – R$ 1,14 milhão (4 fases)
2013 (A) – R$ 530 mil (2 fases)
2014 (A) – R$ 1,52 milhão (3 fases)
2015 (B) – R$ 1 milhão (3 fases)
2016 (B) – R$ 540 mil (2 fases)
2017 (A) – R$ 1,12 milhão (2 fases)
2018 (A) – R$ 5,4 milhões (2 fases)
2019 (A) – em disputa*
* Já está na 2ª fase, com R$ 2,2 milhões

Ceará (2011-2018: R$ 9,65 milhões)
2011 (A) – R$ 1,41 milhão (5 fases)
2012 (B) – R$ 240 mil (2 fases)
2013 (B) – R$ 300 mil (2 fases)
2014 (B) – R$ 1,28 milhão (4 fases)
2015 (B) – R$ 1,69 milhão (4 fases)
2016 (B) – R$ 1,2 milhão (3 fases)
2017 (B) – R$ 300 mil (1 fase)
2018 (A) – R$ 3,23 milhões (3 fases)
2019 (A) – em disputa*
* Já está na 2ª fase, com R$ 1,91 milhão

Sport (2011-2018: R$ 9,23 milhões)
2011 (B) – R$ 100 mil (1 fase)
2012 (A) – R$ 440 mil (2 fases)
2013 (B) – R$ 300 mil (2 fases)
2014 (A) – R$ 560 mil (2 fases)
2015 (A) – R$ 1,33 milhão (3 fases)
2016 (A) – R$ 420 mil (1 fase)
2017 (A) – R$ 3,88 milhões (5 fases)
2018 (A) – R$ 2,2 milhões (2 fases)
2019 (B) – R$ 525 mil (1 fase; será computado no fim da edição)

Náutico (2011-2018: R$ 7,315 milhões)
2011 (B) – R$ 450 mil (3 fases)
2012 (A) – R$ 440 mil (2 fases)
2013 (A) – R$ 265 mil (1 fase)
2014 (B) – R$ 320 mil (2 fases)
2015 (B) – R$ 1 milhão (3 fases)
2016 (B) – R$ 240 mil (1 fase)
2017 (B) – R$ 300 mil (1 fase)
2018 (C) – R$ 4,3 milhões (4 fases)
2019 (C) – em disputa*
* Já está na 2ª fase, com R$ 1,15 milhão

ABC (2011-2018: R$ 6,125 milhões)
2011 (B) – R$ 200 mil (2 fases)
2012 (B) – R$ 240 mil (2 fases)
2013 (B) – R$ 700 mil (3 fases)
2014 (B) – R$ 2,02 milhões (5 fases)
2015 (B) – R$ 440 mil (2 fases)
2016 (C) – R$ 540 mil (2 fases)
2017 (B) – R$ 1,485 milhão (3 fases)
2018 (C) – R$ 500 mil (1 fase)
2019 (C) – em disputa*
* Já está na 2ª fase, com R$ 1,15 milhão

Sampaio Corrêa (2011-2018: R$ 5,755 milhões)
2011 (D) – R$ 200 mil (2 fases)
2012 (D) – R$ 120 mil (1 fase)
2013 (C) – R$ 150 mil (1 fase)
2014 (B) – R$ 320 mil (2 fases)
2015 (B) – R$ 440 mil (2 fases)
2016 (B) – R$ 540 mil (2 fases)
2017 (C) – R$ 1,485 milhão (3 fases)
2018 (B) – R$ 2,5 milhões (3 fases)
2019 (C) – em disputa*
* Começa nas oitavas, já com R$ 2,5 milhões

ASA (2011-2018: R$ 4,585 milhões)
2011 (B) – R$ 100 mil (1 fase)
2012 (B) – R$ 240 mil (2 fases)
2013 (B) – R$ 700 mil (3 fases)
2014 (C) – R$ 320 mil (2 fases)
2015 (C) – R$ 1 milhão (3 fases)
2016 (C) – R$ 240 mil (1 fase)
2017 (C) – R$ 1,485 milhão (3 fases)
2018 (D) – R$ 500 mil (1 fase)
2019 (B) – R$ 525 mil (1 fase; será computado no fim da edição)

Santa Cruz (2011-2018: R$ 4,48 milhões)
2011 (D) – R$ 200 mil (2 fases)
2012 (C) – R$ 120 mil (1 fase)
2013 (C) – R$ 300 mil (2 fases)
2014 (B) – R$ 750 mil (3 fases)
2015 (B) – n/d
2016 (A) – R$ 1,56 milhão (3 fases)
2017 (B) – R$ 1,05 milhão (1 fase)
2018 (C) – R$ 500 mil (1 fase)
2019 (C) – em disputa*
* Começa com R$ 525 mil

América de Natal (2011-2018: R$ 4,48 milhões)
2011 (C) – n/d
2012 (B) – R$ 120 mil (1 fase)
2013 (B) – R$ 300 mil (2 fases)
2014 (B) – R$ 2,02 milhões (5 fases)
2015 (C) – R$ 1 milhão (3 fases)
2016 (C) – R$ 240 mil (1 fase)
2017 (D) – R$ 300 mil (1 fase)
2018 (D) – R$ 500 mil (1 fase)
2019 (D) – em disputa*
* Já está na 2ª fase, com R$ 1,15 milhão

CRB (2011-2018: R$ 4,4 milhões)
2011 (C) – n/d
2012 (B) – n/d
2013 (C) – R$ 300 mil (2 fases)
2014 (C) – R$ 320 mil (2 fases)
2015 (B) – R$ 440 mil (2 fases)
2016 (B) – R$ 540 mil (2 fases)
2017 (B) – R$ 300 mil (1 fase)
2018 (B) – R$ 2,5 milhões (3 fases)
2019 (B) – em disputa*
* Já está na 2ª fase, com R$ 1,15 milhão

Ferroviário (2011-2018: R$ 4,3 milhões)
2011 (s/d) – n/d
2012 (s/d) – n/d
2013 (s/d) – n/d
2014 (s/d) – n/d
2015 (s/d) – n/d
2016 (s/d) – n/d
2017 (s/d) – n/d
2018 (D) – R$ 4,3 milhões (4 fases)
2019 (C) – R$ 525 mil (1 fase; será computado no fim da edição

Fortaleza (2011-2018: R$ 4,22 milhões)
2011 (C) – R$ 200 mil (2 fases)
2012 (C) – R$ 540 mil (3 fase)
2013 (C) – R$ 700 mil (3 fases)
2014 (C) – n/d
2015 (C) – R$ 440 mil (2 fases)
2016 (C) – R$ 2,04 milhões (4 fases)
2017 (C) – R$ 300 mil (1 fase)
2018 (B) – n/d
2019 (A) – em disputa*
* Começa nas oitavas, já com R$ 2,5 milhões

Botafogo de João Pessoa (2011-2018: R$ 4,16 milhões)
2011 (s/d) – R$ 200 mil (2 fases)
2012 (s/d) – n/d
2013 (D) – n/d
2014 (C) – R$ 320 mil (2 fases)
2015 (C) – R$ 200 mil (1 fase)
2016 (C) – R$ 2,04 milhões (4 fases)
2017 (C) – R$ 300 mil (1 fase)
2018 (C) – R$ 1,1 milhão (2 fases)
2019 (C) – em disputa
* Já está na 2ª fase, com R$ 1,15 milhão

Salgueiro (2011-2018: R$ 3,28 milhões)
2011 (B) – n/d
2012 (C) – n/d
2013 (D) – R$ 1,2 milhão (4 fases)
2014 (C) – n/d
2015 (C) – R$ 440 mil (2 fases)
2016 (C) – R$ 240 mil (1 fase)
2017 (C) – R$ 300 mil (1 fase)
2018 (C) – R$ 1,1 milhão (2 fases)
2019 (D) – n/d

CSA (2011-2018: R$ 1,72 milhão)
2011 (s/d) – n/d
2012 (D) – n/d
2013 (D) – R$ 150 mil (1 fase)
2014 (s/d) – R$ 160 mil (1 fase)
2015 (s/d) – n/d
2016 (D) – n/d
2017 (C) – R$ 300 mil (1 fase)
2018 (B) – R$ 1,1 milhão (2 fases)
2019 (A) – R$ 920 mil (1 fase; será computado no fim da edição)

Confiança (2011-2018: R$ 1,24 milhão)
2011 (s/d) – n/d
2012 (s/d) – n/d
2013 (s/d) – R$ 300 mil (2 fases)
2014 (D) – n/d
2015 (C) – R$ 200 mil (1 fase)
2016 (C) – R$ 240 mil (1 fase)
2017 (C) – n/d
2018 (C) – R$ 500 mil (1 fase)
2019 (C) – n/d

Campinense (2011-2018: R$ 1,04 milhão)
2011 (C) – n/d
2012 (D) – n/d
2013 (s/d) – R$ 300 mil (2 fases)
2014 (D) – n/d
2015 (D) – R$ 200 mil (1 fase)
2016 (D) – R$ 240 mil (1 fase)
2017 (D) – R$ 300 mil (1 fase)
2018 (D) – n/d
2019 (B) – R$ 525 mil (1 fase; será computado no fim da edição)

River (2011-2018: R$ 1,04 milhão)
2011 (s/d) – n/d
2012 (s/d) – n/d
2013 (s/d) – n/d
2014 (D) – n/d
2015 (D) – R$ 200 mil (1 fase)
2016 (C) – R$ 540 mil (2 fases)
2017 (D) – R$ 300 mil (1 fase)
2018 (s/d) – n/d
2019 (D) – R$ 525 mil (1 fase; será computado no fim da edição)

Treze (2011-2018: R$ 1,04 milhão)
2011 (D) – R$ 100 mil (1 fase)
2012 (C) – R$ 120 mil (1 fase)
2013 (C) – n/d
2014 (C) – R$ 320 mil (2 fases)
2015 (D) – n/d
2016 (s/d) – n/d
2017 (s/d) – n/d
2018 (D) – R$ 500 mil (1 fase)
2019 (C) – n/d

Moto Club (2011-2018: R$ 740 mil)
2011 (s/d) – n/d
2012 (s/d) – n/d
2013 (s/d) – n/d
2014 (D) – n/d
2015 (s/d) – R$ 440 mil (2 fases)
2016 (D) – n/d
2017 (C) – R$ 300 mil (1 fase)
2018 (D) – n/d
2019 (D) – em disputa*
* Já está na 2ª fase, com R$ 1,15 milhão

Sergipe (2011-2018: R$ 460 mil)
2011 (s/d) – n/d
2012 (s/d) – n/d
2013 (D) – n/d
2014 (s/d) – R$ 160 mil (1 fase)
2015 (s/d) – n/d
2016 (D) – n/d
2017 (D) – R$ 300 mil (1 fase)
2018 (D) – n/d
2019 (B) – R$ 525 mil (1 fase; será computado no fim da edição)

Central (2011-2018: nada)
2011 (s/d) – n/d
2012 (s/d) – n/d
2013 (D) – n/d
2014 (D) – n/d
2015 (D) – n/d
2016 (D) – n/d
2017 (D) – n/d
2018 (D) – n/d
2019 (D) – R$ 525 mil (1 fase; será computado no fim da edição)

Leia mais sobre o assunto
As melhores campanhas dos clubes do Nordeste na Copa do Brasil (1989/2018)

As cotas da Copa do Brasil de 2019, com R$ 291 milhões repartidos entre 91 clubes

O chaveamento da Copa do Brasil, com 80 clubes na primeira fase


Compartilhe!