Compartilhe!

Desde que o real começou a circular, o Santa viveu o seu ápice financeiro em 2016, quando ganhou dois títulos (PE e NE) e disputou a Série A. Na ocasião, a receita chegou a R$ 36 milhões. Um volume seguido de dois rebaixamentos, com o clube ainda se adequando a uma realidade distante. Em 2019, a previsão inicial larga com austeridade, R$ 10 mi. A cifra sofreu uma queda em relação à última projeção, que já havia sido a menor do G7 do Nordeste.

Inicialmente, o coordenador de gestão do Santa, Roberto Freire, informou ao blog um dado ainda menor, de R$ 6 mi. Neste caso, com extrema austeridade, a receita só contabilizou as cotas já asseguradas no Arruda (Estadual, Nordestão e Copa do Brasil – sem adiantamentos). Geralmente, o planejamento soma outras frentes, conforme visto nos rivais regionais. O que também ocorreu no Santa, uma semana depois. Ao repórter Daniel Leal, o dirigente ampliou o cenário com outras três projeções: R$ 1,8 mi para o plano de sócios, R$ 1,2 mi com venda de camisas e R$ 1,0 mi com o valor da marca. Assim, o orçamento coral ganhou um cenário mais concreto.

E vale ressalvar que existem variáveis importantes para elevar o número total, como a renda dos jogos (só quatro passaram de 10 mil pessoas no ano), a venda de atletas (espera-se ao menos duas) e cotas de classificação a partir da 2ª fase. Caso efetue as duas transações e alcance a 2ª fase da copa nacional, a previsão já subiria para R$ 14 mi – lembrando que é uma estimativa, pois a receita realizada em 2018 atingiu só 57% da meta, com R$ 8 mi, num dado a ser fechado até 04/2019. Com uma frente de trabalho em questões tributárias e trabalhistas, os corais ainda visam o equilíbrio entre faturamento e despesa. No início de 2018, arrecadou R$ 300 mil/mês, com gasto R$ 950 mil/mês. Em julho a relação mudou para 500 mil/650 mil.

Texto e dados atualizados em 21 de dezembro de 2018

Previsão de orçamento do Santa Cruz
2018 – R$ 14.000.000
2019 – R$ 10.000.000 (-28,5%)

Faturamento do clube (balanços mais recentes)
2014 – R$ 16.504.362
2015 – R$ 15.110.061 (-8,4%)
2016 – R$ 36.854.071 (+143,9%%)
2017 – R$ 15.848.541 (-56,9%)

Alguns dados de receita em 2018
R$ 1.691.508 em bilheteria (renda bruta em 18 jogos)
R$ 2.900.000 em cotas de participação/premiação/transmissão na tevê

Competições em 2019 (4)
Campeonato Pernambucano, Nordestão, Copa do Brasil e Série C

Nota do blog
O torcedor pode até pensar que, de fato, seria melhor só contar com o que se tem em caixa, garantido, mas se fosse assim não haveria sentido em calcular uma “previsão de orçamento”. Num clube com faturamento de R$ 150 milhões, por exemplo, o modelo dificilmente funcionaria. Sobre a previsão, a melhora do Santa passa, sem dúvida, pela Copa do Brasil.


Compartilhe!