Compartilhe!

Luciano Marcos/ABC FC

O resultado foi ruim. Basta olhar para a tabela. Antes da partida em Natal, o Santa Cruz estava a 4 pontos do G4. Embora tenha somado um ponto fora de casa, a distância para a zona de classificação subiu para 5 pontos (23 x 18), restando apenas quatro rodadas.

Dito isso, com uma situação delicada pela frente, é preciso falar da atuação do goleiro Anderson, que já havia brilhado algumas vezes nesta temporada – na minha opinião, é o melhor jogador do time ao lado de Pipico, que se machucou no Frasqueirão logo aos 24 minutos. O camisa 1 do tricolor fez 14 defesas ao logo da partida, se esticando todo do início ao fim. Algumas intervenções foram impressionantes, como no rebote de Lohan no comecinho da segunda etapa.

Embora tenha o pior ataque do grupo A, com 14 gols, o ABC fez uma partida incisiva. Pressionando pela ameaça de rebaixamento, Roberto Fernandes escalou o time com dois meias e três atacantes. Já Milton Mendes apostou em três volantes. Em relação ao visitante, não deu certo, pois o volume de jogo do alvinegro potiguar foi enorme. Foram 12 finalizações do ABC no 1T, incluindo duas bolas no travessão, e mais 11 no 2T. O scout geral apontou 23 x 13, com o Santa Cruz conseguiu levar perigo somente no último lance, aos 51 minutos – Milton, que chegou a 4V, 3E e 3D em dez jogos, só abriu mão de um volante aos 24/2T.

É verdade que a chance coral quase desencadeou num dos maiores clássicos do futebol: “quem não faz, leva”. Entretanto, Dudu acertou a trave e Augusto, desequilibrado, bateu fraco no rebote. Pode ter ficado um gostinho de vitória pelo lance, que foi claro, mas não dá para ignorar que só havia jogo até ali porque Anderson havia espalmado chutes/cabeçadas de Wallyson, Lohan, Jefinho, Dione etc. A classificação tricolor está seriamente ameaçada, mas se um pontinho fizer diferença mais à frente, foi este aqui, conquistado basicamente pelo goleiro.

Escalação do Santa (melhor: Anderson; piores: 1 Kadu, 2 Victor, 3 Vitão)
Anderson; Cesinha, João Victor, Vitão e Victor; Charles, Kadu (Augusto, 24/2T) e Lucas Gonçalves; Misael (Guilherme, intervalo), Pipico (Jailson, 26/1T) e Dudu. Técnico: Milton Mendes

Escalação do ABC (melhor: Wallyson; pior: Dione)
Edson; Richardson, Joécio, Adalberto (Tito, 42/2T) e Hugo; Dione, Guede e Anderson Rosa (Mossoró, 25/2T); Lohan, Wallyson e Jefinho. Técnico: Roberto Fernandes

Os cinco duelos em 2019 (3V do Santa, 1E e 1V do ABC)
02/02 – Santa Cruz 1 x 0 ABC (Nordestão, Arena Pernambuco)
03/04 – ABC 1 x 0 Santa Cruz (Copa do Brasil, Frasqueirão)
10/04 – Santa Cruz 3 x 0 ABC (Copa do Brasil, Arruda)
25/05 – Santa Cruz 2 x 1 ABC (Série C, Arruda)
27/05 – ABC 0 x 0 Santa Cruz (Série C, Frasqueirão)

Histórico geral de ABC x Santa Cruz (todos os mandos)
59 jogos
30 vitórias tricolores (50,8%)
11 empates (18,6%)
18 vitórias potiguares (30,5%)

A análise do Podcast 45 Minutos (Cassio Zirpoli, Diego Borges e João Pereira):

Luciano Marcos/ABC FC


Compartilhe!