Compartilhe!

O chaveamento da 60ª edição da Libertadores, sorteado na sede da Conmebol, no Paraguai.

O mata-mata da Taça Libertadores da América de 2019 está carregado de tradição, com 11 campeões entre os 16 clubes classificados para esta etapa. Ao todo, são 27 títulos entre os 59 torneios realizados, com 45,7% das taças erguidas. Dos seis brasileiros presentes, na maior representatividade de um país, só o Athletico Paranaense ainda não foi campeão. No entanto, o CAP já foi vice uma vez e ainda é o atual campeão da outra disputa continental, a Copa Sul-Americana.

Em relação ao sorteio, que colocou os líderes dos oito grupos no pote A e os vice-líderes no pote B, o duelo mais pesado foi logo o primeiro, com River x Cruzeiro, que já disputaram o título em 1976. Curiosamente, aquela decisão se estendeu a uma partida extra, em Santiago. No Estádio Nacional, o mesmo palco escolhido abrigar a “final única”, uma novidade neste ano.

A seguir, algumas observações do blog sobre os oito confrontos, as respectivas campanhas na fase de grupos e o melhor desempenho de cada um na história da Liberta. Em relação às datas, os jogos de ida das oitavas de final vão acontecer entre 23 e 25 de julho, com a volta entre 30 de julho e 1º de agosto. Portanto, jogos programados após a Copa América.

River Plate (ARG) x Cruzeiro (BRA)
O time mineiro já conquistou três títulos internacionais em decisões contra o River: Libertadores de 1976, Supercopa da Libertadores de 1991 e Recopa de 1998. Carrasco histórico. No último mata-mata, porém, deu River, nas quartas da Liberta em 2015.

River Plate – 2V, 4E e 0D (campeão, 4x; 1986, 1996, 2015 e 2018)
Cruzeiro – 5V, 0E e 1D (campeão, 2x; 1976 e 1997)

San Lorenzo (ARG) x Cerro Porteño (PAR)
Ambos os times venceram os três jogos como mandante na fase de grupos. Ou seja, o fator casa tende a ser determinante neste duelo eliminatório, com uma possível definição no saldo de gols (será?). Fora de casa, só o Cerro ganhou, e apenas um jogo (na Venezuela).

San Lorenzo – 3V, 1E e 2D (campeão, 1x; 2014)
Cerro – 4V, 1E e 1D (semifinalista, 6x; 1973, 1978, 1993, 1998, 1999 e 2011)

LDU (EQU) x Olimpia (PAR)
Embora tenha passado na liderança da chave C, o Olimpia somou menos pontos que a Liga de Quito, que ficou em 2º lugar no grupo D, 9 x 10. De toda forma, o tradicional time paraguaio vai definir o confronto em Assunção. Duelo de campeões.

LDU – 3V, 1E e 2D (campeão, 1x; 2008)
Olimpia – 2V, 3E e 1D (campeão, 3x; 1979, 1990 e 2002)

Athletico-PR (BRA) x Boca Juniors (ARG)
Este confronto já aconteceu nesta edição, no grupo G. Na ida, no campo sintético da Baixada, o Furacão goleou por 3 x 0, com hat-trick do atacante argentino Marco Ruben. Na Bombonera, o Boca ganhou no último lance. Já dizia Riquelme: “A Copa começa nas oitavas”.

Athletico – 3V, 0E e 3D (vice; 2005)
Boca – 3V, 2E e 1D (campeão, 6x; 1977, 1978, 2000, 2001, 2003 e 2007)

Godoy Cruz (ARG) x Palmeiras (BRA)
O sorteio favoreceu o atual campeão brasileiro, franco favorito neste confronto – embora, historicamente, os times argentinos sejam cabulosos na competição. O verdão fez a melhor campanha na fase de grupos e Felipão tem história (é bicampeão).

Godoy – 2V, 3E e 1D (oitavas, 2x; 2017 e 2019)
Palmeiras – 5V, 0E e 1D (campeão, 1x; 1999)

Grêmio (BRA) x Libertad (PAR)
Outro confronto que já aconteceu em 2019. No grupo H, uma vitória para cada lado. O curioso é que os triunfos aconteceram fora de casa, com o time paraguaio fazendo 1 x 0 em Porto Alegre e o tricolor fazendo 2 x 0 em Assunção. A ordem dos jogos será a mesma.

Grêmio – 3V, 1E e 2D (campeão, 3x; 1983, 1995 e 2017)
Libertad – 4V, 0E e 2D (semifinalista, 2x; 1977 e 2006)

Emelec (EQU) x Flamengo (BRA)
Mais uma longa viagem do Fla ao Equador. Desta vez, sem a desvantagem da altitude, uma vez que Guayaquil fica no nível do mar. Após um perrengue na fase anterior, o time carioca, muito mais técnico, chega como favorito neste duelo.

Emelec – 2V, 3E e 1D (semifinalista, 1x; 1995)
Flamengo – 3V, 1E e 2D (campeão, 1x; 1981)

Nacional (URU) x Internacional (BRA)
Em 1980, este duelo decidiu o título sul-americano, com triunfo uruguaio – o colorado teve que esperar mais 26 anos para ganhar a Libertadores. Os dois times fizeram boas campanhas, com 4 vitórias. A vantagem gaúcha está na invencibilidade.

Nacional – 4V, 1E e 1D (campeão, 3x; 1971, 1980 e 1988)
Inter – 4V, 2E e 0D (campeão, 2x; 2006 e 2010)

Pitacos para as quartas de final
Cruzeiro x Cerro Porteño, Olimpia x Boca Juniors, Palmeiras x Grêmio e Flamengo x Inter.

Leia mais sobre o assunto
Santiago, 23/11/2019. A primeira final única da Libertadores. Vale a viagem?

Cotas da Libertadores e Sul-Americana de 2019 com aumento geral de 50%


Compartilhe!