Compartilhe!

A soma das premiações da Libertadores, Sul-Americana e Recopa nos últimos 5 anos. Em dólar.

A premiação absoluta das competições de clubes organizadas pela Conmebol aumentou em 5,4% de 2020 para 2021 – confira as cotas abaixo. O valor nominal é de 11,76 milhões de dólares, a moeda adotada pela entidade para o pagamento das cotas aos participantes. E toda a verba “extra” foi direcionada não para a Libertadores, o principal torneio da confederação continental, mas sim para a Copa Sul-Americana.

A explicação vem da reformulação da Sula. Há anos tendo só mata-matas, agora passa a ter uma fase de grupos no início, também com seis rodadas, como na Liberta. Assim, o nº de jogos passará de 105 para 157, demandando um maior investimento, aprovado pelo conselho da entidade numa reunião em videoconferência. O montante da Sula passou de US$ 47,20 mi para US$ 58,96 mi, com aumento de 24,9%. Nesta repaginada, a nova fase de grupos corresponde à “2ª fase”, mas os representantes brasileiros já vão entrar nela. Ou seja, com US$ 900 mil garantidos, ou quase R$ 5 milhões – o que aumenta a “premiação” para o 14º lugar da Série A, com direito à vaga nesta temporada.

Em relação ao congelamento na Libertadores e na Recopa, a Conmebol alegou o momento econômico através da pandemia da Covid-19. Para os brasileiros, a conversão para o Real deixa a premiação maior, à parte do poder compra da moeda brasileira, claro. Na divulgação dos valores da edição passada, a cotação do dólar estava em R$ 4,08. Agora está em R$ 5,41.

Lista brasileira indefinida
Ao todo, o futebol brasileiro será representado por nada menos que 14 clubes em 2021, sendo 8 times na Libertadores e 6 na Sul-Americana – além de 1 na Recopa, que também estará presente na Liberta. Até esta publicação a lista brazuca ainda não estava definida. E os 4 nordestinos estavam na briga. O Ceará mirando a Libertadores, com a Sula virtualmente garantida, e Sport, Fortaleza e Bahia brigando conta o descenso, mas podendo ter a benesse de uma vaga internacional. A CBF só terá a sua lista final em 24 de fevereiro, na conclusão do Campeonato Brasileiro de 2020.

A evolução da cota total dos torneios interclubes da Conmebol*
2015 – US$ 71,19 milhões
2016 – US$ 125,85 mi (+54,66 mi, +76,7%)
2017 – US$ 135,45 mi (+9,60 mi, +7,6%)
2018 – US$ 141,00 mi (+5,55 mi, +4,1%)
2019 – US$ 211,10 mi (+70,10 mi, +49,7%)
2020 – US$ 217,50 mi (+6,40 mi, +3,0%)
2021 – US$ 229,26 mi (+11,76 mi, +5,4%)
* Libertadores + Sul-Americana + Recopa

Premiação máxima para o campeão de 2021 (soma das fases)
US$ 22,55 milhões (R$ 121,99 mi) – Libertadores (13 jogos, a partir da fase de grupos)
US$ 6,800 milhões (R$ 36,78 mi) – Sul-Americana (13 jogos, a partir da fase de grupos)
US$ 1,250 milhão (R$ 6,76 mi) – Recopa (2 jogos)

A seguir, todos os valores. Na moeda brasileira, a cotação em 27/01/2021: US$ 1,00 = R$ 5,41.

Cotas da Taça Libertadores da América 2021 (participação por fase)
1ª fase (Pré) – R$ 1,89 mi (US$ 350.000)
2ª fase (Pré) – R$ 2,70 mi (US$ 500.000)
3ª fase (Pré) – R$ 2,97 mi (US$ 550.000)
Fase de grupos – R$ 16,23 mi (US$ 3.000.000)
Oitavas – R$ 5,68 mi (US$ 1.050.000)
Quartas – R$ 8,11 mi (US$ 1.500.000)
Semifinal – R$ 10,82 mi (US$ 2.000.000)
Vice – R$ 32,46 mi (US$ 6.000.000)
Campeão – R$ 81,15 mi (US$ 15.000.000)

8 brasileiros (7 vagas regulares e o campeão de 2020)

Cotas da Copa Sul-Americana 2021 (participação por fase)
1ª fase – R$ 1,21 mi (US$ 225.000)
Fase de grupos – R$ 4,86 mi (US$ 900.000)
Eliminados – R$ 0,64 mi (US$ 120.000), para os 8 melhores
Oitavas – R$ 2,70 mi (US$ 500.000)
Quartas – R$ 3,24 mi (US$ 600.000)
Semifinal – R$ 4,32 mi (US$ 800.000)
Vice – R$ 10,82 mi (US$ 2.000.000)
Campeão – R$ 21,64 mi (US$ 4.000.000)

6 brasileiros (6 vagas regulares)

Cotas da Recopa 2021 (fase única)
Vice – R$ 4,05 mi (US$ 750.000)
Campeão – R$ 6,76 mi (US$ 1.250.000)

1 brasileiro: Palmeiras ou Santos

Leia mais sobre o assunto
As melhores campanhas dos clubes do Nordeste na Conmebol, de 1960 a 2020


Compartilhe!