Compartilhe!
  •  
  •  
  •  
  •  

Os maiores devedores da União, considerando as dívidas abertas na consulta em 01/03/2021.

Os 60 clubes presentes nas três principais divisões do Campeonato Brasileiro de 2021 têm quase R$ 1 bilhão em dívidas abertas com a União Federal. De forma precisa, R$ 904.591.851, com aumento de 8,2 mi sobre 2020 (+0,9%). Os números estão à disposição através do aplicativo “Dívida Aberta”, da Procuradoria-Geral da Fazenda Nacional (PGFN). A consulta pública lista todos os contribuintes com dívida ativa junto à União e com o Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS).

Em 2020, o maior devedor era o Cruzeiro, com R$ 261,6 mi, mas o clube mineiro firmou um acordo com a PFGN em outubro, conseguindo um desconto considerável – sobre encargos, juros e multas. Assim, parcelou R$ 182 milhões em 145 parcelas (!). Embora tenha saído até do “top ten”, a raposa segue com R$ 22,4 mi em dívidas abertas. Ah, a liderança em 2021 acabou ficando com o Guarani, que estava em 2º no último ano. O valor do bugre é quase o mesmo.

E aqui vale uma explicação sobre o ranking, elaborado a partir dos códigos de CNPJ e nomes oficiais de cada clube brasileiro. Ao todo, 38 clubes aparecem com pendências. No entanto, os demais clubes, sem dados relevados, não estão necessariamente “zerados”, uma vez que a consulta não apresenta débitos parcelados, garantidos ou com exibilidade suspensa – o Botafogo, por exemplo, aparece com R$ 33 milhões, mas tem R$ 318 milhões em tributos parcelados. Ao todo, o clube carioca, recém-rebaixado, deve quase R$ 1 bilhão.

O aplicativo foi lançado em 2020. Assim, considerando a atualização anual, o trio de ferro do Recife aparece novamente entre os dez maiores devedores, e nas mesmas posições. Somando as cifras negativas de alvirrubros (4º), rubro-negros (5º) e tricolores (6º), chega-se ao montante de R$ 205.225.001, ou 22,6% do total divulgado pela PGFN nas três séries. Bronca. Dos três, só o Santa conseguiu reduzir o passivo, de 57,7 mi par R$ 53,7 mi (-6,9%). Já o Sport subiu de R$ 62,1 mi para R$ 71,1 mi (+14,7%!), enquanto o Náutico foi de R$ 78,8 mi para R$ 80,1 mi (+1,6%). Ao todo, o trio tem 431 pendências abertas. Só o timbu tem 184, o recorde no país.

Na contramão dos pernambucanos, os grandes cearenses seguem com dívidas controladas. O Ceará não aparece pela segunda vez, enquanto o Fortaleza não foi listado pela primeira vez.

A seguir, um balanço das três divisões em 2021. Na sequência, o ranking de cada série e um vídeo.

Total de dívidas ativas em 2021 (e o % sobre R$ 904,5 mi)
Série A – R$ 317.437.580 (35,0%)
Série B – R$ 448.016.013 (49,5%)
Série C – R$ 139.138.258 (15,3%)

Total de dívidas ativas em 2020 (e o % sobre R$ 896,3 mi)
Série A – R$ 252.456.080 (28,1%)
Série B – R$ 569.762.333 (63,5%)
Série C – R$ 74.098.298 (8,2%)

Os dez maiores devedores entre as Séries A, B e C de 2021
1º) R$ 152.249.371 – Guarani (SP), Série B
2º) R$ 125.143.111 – Fluminense (RJ), Série A
3º) R$ 119.621.294 – Vasco (RJ), Série B
4º) R$ 80.131.672 – Náutico (PE), Série B
5º) R$ 71.344.950 – Sport (PE), Série A
6º) R$ 53.748.379 – Santa Cruz, Série C
7º) R$ 50.037.191 – Figueirense (SC), Série C
8º) R$ 33.793.833 – Botafogo (RJ), Série B
9º) R$ 28.433.946 – Santos (SP), Série A
10º) R$ 26.910.016 – Corinthians (SP), Série A

SÉRIE A
Considerando os 20 clubes, a dívida aberta total da 1ª divisão junto à União, de acordo com a Fazenda Nacional, subiu de R$ 252,4 mi para R$ 317,4 mi, com 64,9 milhões a mais (+25,7%). O maior responsável pelo aumento é o Flu, que viu o passivo aberto subir de R$ 23,2 mi para R$ 125,1 mi, sendo agora o segundo maior devedor entre os clubes das três séries. A queda do Vasco “aliviou” a conta, mas outros times subiram os dados, como Sport, Inter e Santos – o colorado e o peixe, aliás, estavam zerados na lista anterior. Ainda como curiosidade vale dizer que Flamengo e Palmeiras, os clubes mais ricos do país, têm apenas uma dívida aberta, cada, ambas de FGTS.

Ranking de dívidas abertas com a União na Série A de 2021
1º) R$ 125.143.111 – Fluminense (RJ), 59 débitos
2º) R$ 71.344.950 – Sport (PE), 73
3º) R$ 28.433.946 – Santos (SP), 5
4º) R$ 26.910.016 – Corinthians (SP), 4
5º) R$ 20.952.020 – Internacional (RS), 39
6º) R$ 10.066.427 – Chapecoense (SC), 31
7º) R$ 8.771.490 – Palmeiras (SP), 1
8º) R$ 6.686.342 – Athletico (PR), 2
9º) R$ 4.914.464 – Juventude (RS), 72
10º) R$ 4.167.566 – Flamengo (RJ), 1
11º) R$ 3.214.519 – Grêmio (RS), 2
12º) R$ 2.510.508 – América (MG), 19
13º) R$ 1.773.055 – São Paulo (SP), 1
14º) R$ 1.581.711 – Atlético (GO), 4
15º) R$ 624.971 – Cuiabá (MT), 4
16º) R$ 342.484 – Bahia (BA), 8*
* Somando com as dividas do Bahia S/A

4 clubes sem dados na consulta: Atlético (MG), Bragantino (SP), Ceará (CE) e Fortaleza (CE)

SÉRIE B
A segundona deste ano conta com três dos quatro maiores devedores entre as três principais séries. Ainda assim, dívida aberta total junto à União caiu de R$ 569,7 mi para R$ 448,0 mi, com redução nominal de 121,7 mi (-21,3%). Apesar da chegada do Vasco, cuja dívida aberta aumentou 31,9 mi em um ano, o montante caiu por causa do Cruzeiro – explicação no início do post. De toda forma, a Série B segue pelo 2º ano como a divisão de maior passivo aberto, segundo a PGFN.

Ranking de dívidas abertas com a União na Série B de 2021
1º) R$ 152.249.371 – Guarani (SP), 149 débitos
2º) R$ 119.621.294 – Vasco (RJ), 78
3º) R$ 80.131.672 – Náutico (PE), 184
4º) R$ 33.793.833 – Botafogo (RJ), 36
5º) R$ 22.483.082 – Cruzeiro (MG), 7
6º) R$ 10.517.455 – Avaí (SC), 31
7º) R$ 9.022.187 – Brasil (RS), 57
8º) R$ 5.915.509 – Vila Nova (GO), 51
9º) R$ 5.180.629 – Remo (PA), 65
10º) R$ 4.493.735 – Vitória (BA), 12
11º) R$ 2.766.029 – Ponte Preta (SP), 14
12º) R$ 976.244 – Confiança (SE), 39
13º) R$ 859.118 – Londrina (PR), 24
14º) R$ 58.555 – Brusque (SC), 2

6 clubes sem dados na consulta: Coritiba (PR), CRB (AL), CSA (AL), Goiás (GO), Operário (PR) e Sampaio Corrêa (MA)

SÉRIE C
A dívida aberta da 3ª divisão teve, percentualmente, o maior aumento, saltando de R$ 74,0 mi para R$ 139,1 mi, com +87,7% (65,0 mi). Além dos rebaixamentos de Paraná e Botafogo (que figuram no “G4” desta divisão), também pesou a soma do “Figueirense Futebol Clube LTDA”, com R$ 11 milhões a mais na conta do clube catarinense. Na Série C há um ponto positivo, pois apenas oito times aparecem com pendências abertas, segundo a Procuradoria da Fazenda.

Ranking de dívidas abertas com a União na Série C de 2021
1º) R$ 53.748.379 – Santa Cruz (PE), 174 débitos
2º) R$ 50.037.191 – Figueirense (SC), 149*
3º) R$ 17.881.228 – Paraná (PR), 77
4º) R$ 11.802.581 – Botafogo (SP), 123
5º) R$ 4.246.515 – Paysandu (PA), 49
6º) R$ 1.160.810 – Oeste (SP), 21
7º) R$ 214.185 – Botafogo (PB), 11
8º) R$ 47.369 – Ituano (SP), 3
* Somando os dois CNPJs do clube, um deles “LTDA”

12 clubes sem dados na consulta: Altos (PI), Criciúma (SC), Ferroviário (CE), Floresta (CE), Jacuipense (BA), Manaus (AM), Mirassol (SP), Novorizontino (SP), São José (RS), Tombense (MG), Volta Redonda (RJ) e Ypiranga (RS)

Abaixo, assista a um comentário do blog sobre curiosidades do ranking, via Youtube.


Compartilhe!
  •  
  •  
  •  
  •