Compartilhe!

Esta é a segunda temporada com 92 participantes inscritos. Em 2021 deu Atlético Mineiro, bi.

A premiação da Copa do Brasil de 2022 registrou um aumento nominal de R$ 34,425 mi em relação à edição anterior, ou +10,8%, num reajuste bem acima da última copa, de +4,0%. Ao todo, os 92 clubes, incluindo 26 do NE, poderão repartir até R$ 350,46 milhões em sete fases – veja abaixo. As cifras foram repassadas às federações e clubes em 21 de janeiro, num documento assinado pela direção de competições da CBF.

Desta vez, o campeão poderá receber até R$ 79,57 milhões, caso largue na 1ª fase. Entre os doze clubes que vão estrear apenas na 3ª fase, o total pelo título chegará a R$ 76,80 milhões. O 5º recorde consecutivo na receita total do torneio provém do contrato de transmissão na tevê, firmado com exclusividade com a Rede Globo por cinco edições, de 2018 a 2022. Ou seja, já fica o alerta sobre os valores da próxima edição, com o cenário econômico mais difícil devido à pandemia (ainda não foi firmado o novo contrato).

Sobre a divisão das cotas, existem regras distintas. Nas duas primeiras etapas, os 80 times envolvidos estão subdivididos em três categorias financeiras, mensurando o Ranking Nacional de Clubes à participação na Série A. Ou seja, valores diferenciados nos “64 avos de final” e nos “32 avos de final”, num modelo adotado há alguns anos. E a menor verba desta edição será de R$ 620 mil – superior à cota dos grandes no Campeonato Cearense de 2022, por exemplo.

Em relação ao Nordeste, só o Ceará terá a cota máxima na largada, uma vez que figura em 13º lugar no ranking recém-lançado. No Grupo II, nenhum time da região. Já no Grupo III estão nada menos que 23 times nordestinos, com Sport, Náutico e Vitória, entre outros. Na região, a benesse fica mesmo para Fortaleza e Bahia, que vão começar somente na 3ª fase devido à pré-classificação, mas sem acumular as cotas das duas primeiras etapas.

Premiação total na Copa do Brasil (receita de TV)
2018 – R$ 278,290 milhões (1º lugar: até R$ 67,3 mi)
2019 – R$ 291,090 milhões (1º lugar: até R$ 70,0 mi)
2020 – R$ 303,620 milhões (1º lugar: até R$ 72,8 mi)
2021 – R$ 316,035 milhões (1º lugar: até R$ 73,6 mi)
2022 – R$ 350,460 milhões (1º lugar: até R$ 79,5 mi)

Os três subgrupos de cotas nas duas primeiras fases em 2022
Grupo 1 (6 times) – Clubes entre os 15 primeiros colocados no Ranking da CBF (Grêmio 4º, Santos 6º, São Paulo 7º, Internacional 8º, Ceará 13º e Cruzeiro 14º)

Grupo 2 (6 times) – Clubes da Série A abaixo do Top 15 (Atlético-GO 16º, Cuiabá 22º, Goiás 23º, Juventude 24º, Coritiba 26º e Avaí 27º)

Grupo 3 (68 times) – Clubes inscritos na 1ª fase que estão abaixo do Top 15 e fora da elite em 2021

Pré-classificados (12 times) – A benesse de largar só na 3ª fase (16 avos de final) é valida aos nove representantes do país na Taça Libertadores da América (Atlético-MG, Flamengo, Palmeiras, Fortaleza, Corinthians, Bragantino, Fluminense, América-MG e Athletico-PR) e aos campeões do Nordestão (Bahia), Copa Verde (Remo) e Série B (Botafogo).

Abaixo, as cotas de 2022, fase a fase e com os subgrupos – entre parênteses, o aumento sobre 2021. Lembrando que o clube recebe pela participação. Na 1ª fase, por exemplo, cada time já começa com o valor certo, “disputando” a cota da etapa seguinte, em caso de avanço.

1ª fase, 64 avos de final
80 clubes (total distribuído: R$ 56,32 mi)
Grupo 1 – R$ 1,27 milhão (+120 mil)
Grupo 2 – R$ 1,09 milhão (+100 mil)
Grupo 3 – R$ 620 mil (+60 mil)

2ª fase, 32 avos de final
40 clubes (total distribuído: R$ 37,14 mi)
Grupo 1 – R$ 1,50 milhão (+150 mil)
Grupo 2 – R$ 1,19 milhão (+120 mil)
Grupo 3 – R$ 750 mil (+75 mil)

3ª fase, 16 avos de final
32 clubes* (total distribuído: R$ 60,8 mi)
Cota única – R$ 1,9 milhão (+200 mil)
* Os 20 classificados da fase anterior e os 12 pré-classificados

4ª fase, oitavas de final
16 clubes (total distribuído: R$ 48,0 mi)
Cota única – R$ 3,0 milhões (+300 mil)

5ª fase, quartas de final
8 clubes (total distribuído: R$ 31,2 mi)
Cota única – R$ 3,9 milhões (+450 mil)

6ª fase, semifinal
4 clubes (total distribuído: R$ 32,0 mi)
Cota única – R$ 8,0 milhões (+700 mil)

7ª fase, final
2 clubes (total distribuído: R$ 85,0 mi)
Campeão – R$ 60,0 milhões (+4 milhões)
Vice – R$ 25,0 milhões (+2 milhões)

Leia mais sobre o assunto
Ranking da CBF em 2022 traz o Fortaleza em 11º lugar e 12 clubes do Nordeste no Top 50


Compartilhe!