Compartilhe!

Em 20 de outubro de 2017, a direção da CBF convidou os 20 clubes da Série A para uma colaboração na preparação da Seleção Brasileira visando a Copa do Mundo da Rússia.

No caso, o departamento de análise de cada time ficaria responsável por uma seleção. Como a CBF já havia observado os sul-americanos nas Eliminatórias, a divisão partiu com 27 países para 19 clubes – apenas o Flamengo declinou, pois estava trocando o seu departamento.

Entre os presentes, três nordestinos: Sport, Bahia e Vitória. E o sorteio da Copa, em 1º de dezembro, acabou colocando o leão pernambucano numa rota direta, uma vez que a Sérvia é o terceiro adversário na primeira fase. Segundo a CBF, a “ideia era potencializar a análise dos possíveis adversários e trazer o conhecimento dos profissionais dos clubes para dentro do processo”.

Iniciando a preparação na Granja Comary, no Rio, o técnico Tite recebeu os relatórios da primeira fase.

Brasil x Costa Rica (Avaí, 20/05)
O primeiro dia de trabalho na Granja Comary já começou com a apresentação do trabalho de análise sobre a Costa Rica, a segunda adversária do Brasil no Mundial (em 22/06). O trabalho foi realizado pelos analistas do Avaí, Ricardo Henry Duarte e Vinícius Frasson, que esmiuçaram 5 partidas dos costarriquenhos, sendo 2 pelas Eliminatórias da Copa e 3 amistosos – dois deles presencais, em Glasgow, na Escócia, e em Nice, na França. A dupla dividiu a apresentação em três pontos: análise geral/estatísticas, análise/individual/convocados e análise coletiva/fases do jogo.

Brasil x Suíça (Grêmio, 21/05)
O analista de desempenho do tricolor gaúcho, Lucas Oliveira, foi o segundo a ser recebido pela comissão técnica da Seleção. Apesar disso, o país analisado é, na verdade, o da estreia do Brasil, em 17 de junho, na Arena Rostov. Foram 3 horas de reunião detalhando, sobretudo, o esquema defensivo do time suíço – curiosamente, o país conseguiu em 2006 a façanha de terminar a Copa sem sofrer gols, caindo nas oitavas, nos pênaltis, após um 0 x 0. Em relação ao profissional, ele já havia trabalhado na base da Seleção, tendo como ponto alto o título mundial Sub 20, em 2011.

Brasil x Sérvia (Sport, 22/05)
No terceiro dia de ‘espionagem’ em Teresópolis, foi a vez dos analistas do Sport, Thiago Duarte e Thiago Alves, se encontraram com Tite. O relatório sobre a Sérvia, a terceira adversária do país (27/06) trouxe um balanço de 14 jogos, com os quatro últimos já com o novo treinador, Mladen Krstajić. Duas partidas foram observadas in loco, a derrota por 2 x 1 para o Marrocos, em Turim, e a vitória por 2 x 0 sobre a Nigéria, em Londres. Segundo Duarte, o objetivo central foi ‘detectar padrões de comportamento individuais, setoriais e coletivos’, para ajudar a prever o estilo de jogo.

Espera-se que o Brasil siga na Copa após o grupo E. Portanto, eis as demais análises:

Grupo A
Rússia (Atlético-MG), Arábia Saudita (Corinthians), Egito (Vasco) e Uruguai (CPA*)

Grupo B
Portugal (Santos), Espanha (Ponte Preta), Marrocos (Grêmio) e Irã (Bahia)

Grupo C
França (Atlético-GO), Austrália (São Paulo), Peru (CPA*) e Dinamarca (Palmeiras)

Grupo D
Argentina (CPA*), Islândia (Atlético-PR), Croácia (Cruzeiro), e Nigéria (Vasco)

Grupo E
Brasil (CPA*), Suíça (Grêmio), Costa Rica (Avaí) e Sérvia (Sport)

Grupo F
Alemanha (São Paulo), México (Fluminense), Suécia (Botafogo) e Coreia do Sul (Atlético-PR)

Grupo G
Bélgica (Coritiba), Panamá (Corinthians), Tunísia (Palmeiras) e Inglaterra (Chapecoense)

Grupo H
Polônia (Cruzeiro), Senegal (Vitória), Colômbia (CPA*) e Japão (Botafogo)

* CPA, o Centro de Pesquisa e Análise da CBF


Compartilhe!