Compartilhe!

Tecnicamente, o ano foi ruim. Alvirrubros e tricolores não conseguiram o acesso na Série C e os rubro-negros acabaram rebaixados na Série A. Ainda assim, é possível pinçar destaques individuais nas três equipes. Por isso, o blog lista os melhores jogadores de Náutico, Santa Cruz e Sport neste ano. Em 2018, Ortigoza, Pipico e Anselmo, respectivamente. Concorda?

No caso timbu, o paraguaio chegou em fevereiro e ficou até o fim de agosto, com 13 gols, vários deles decisivos. Foi importante no Estadual, na campanha da Copa do Brasil, que fomentou o clube financeiramente, e na própria Série C, sendo o artilheiro do time. Experiente, o jogador chegou bancada por um grupo de torcedores influentes em Rosa e Silva. Em campo, correspondeu.

No tricolor, Pipico, de 33 anos, chegou durante a terceirona e encaixou no time, que enfim viu a figura do centroavante render no ano, após várias tentativas, como Robert, Halef Pitbull etc. Fez 6 gols na fase classificatória, empurrando a equipe ao mata-mata – o desempenho garantiu a renovação para 2019. Já na Ilha do Retiro, Anselmo não atuou até o fim da temporada. Inclusive, esta lacuna demorou demais para ser preenchida (por Jair, no finzinho). No primeiro semestre, fez 7 gols em 21 jogos, com marcação firme, condição física e passes precisos. Ainda rendeu R$ 1 milhão ao leão pela taxa de vitrine, na venda para o futebol da Arábia Saudita.

Player of the Year
Em clubes, a ideia do “melhor jogador do ano” começou no Chelsea, em 1967, com os destaques independentemente do desempenho do time. Um prêmio interno, à parte de federações e confederações, que regulam competições mundo afora. Em 2017/2018, o vencedor foi o volante N’Golo Kanté – o campeão mundial foi o primeiro francês nomeado no clube londrino. Manchester United e Liverpool adotam a ideia desde 1998 e 2002, respectivamente. Nesses casos, as escolhas costumam ser feitas com o engajamento da torcida, baseadas na opinião de sócios e da comissão técnica. As festas para os anúncios, com transmissões exclusivas, contam com outros prêmios, como a revelação, o gol mais bonito e os novos integrantes para o “hall da fama” particular.

No futebol pernambucano ainda não há nada do tipo, mas segue abaixo a lista feita pelo blog, com os melhores jogadores dos três grandes clubes do estado em cada ano desta década. Na região, o Bahia começou a escolher o destaque, o “Barril Dobrado”. O vencedor de 2018 foi o volante Gregore.

Náutico
2011 – Kieza (atacante), o artilheiro da Série B (21 gols), decisivo no acesso à elite
2012 – Kieza (atacante), 13 gols na Série A, levando o timbu à Sul-Americana
2013 – Maikon Leite (atacante), único destaque num ano horrível (8 gols na Série A)
2014 – Vinícius (meia), titular o ano inteiro, destaque no vice do Estadual
2015 – João Ananias (volante), pilar defensivo na boa campanha na Série B (5º lugar)
2016 – Rony (atacante), fez 11 gols atuando como ponta na Série B (de novo, em 5º)
2017 – Erick (atacante), estreando como profissional, fez 9 gols em 39 jogos
2018 – Ortigoza (atacante), 13 gols em 26 jogos no ano. Campeão estadual e craque do PE

2x – Kieza
1x – Maikon Leite, Vinícius, João Ananias, Rony, Erick e Ortigoza

Santa Cruz
2011 – Tiago Cardoso (goleiro), craque do Estadual e decisivo no acesso à Série C
2012 – Dênis Marques (atacante), artilheiro do Estadual (15 gols) e da Série C (11)
2013 – Tiago Cardoso (goleiro), destaque no tri do Estadual e no acesso à Série B
2014 – Léo Gamalho (atacante), 32 gols marcados durante a temporada
2015 – João Paulo (meia), destaque no título pernambucano e no acesso à Série A
2016 – Keno (atacante), com velocidade, ganhou o Nordestão e fez 10 gols na Série A
2017 – Anderson Salles (zagueiro), artilheiro do time num ano ruim (10 gols)
2018 – Pipico (atacante), 6 gols em 9 jogos na Série C, mesmo chegando só em junho

2x – Tiago Cardoso
1x – Dênis Marques, Léo Gamalho, João Paulo, Keno, Anderson Salles e Pipico

Sport
2011 – Marcelinho Paraíba (meia), o nome da campanha do acesso à elite nacional
2012 – Hugo (meia), apesar do descenso, até recuperou o time (fez 8 gols na Série A)
2013 – Marcos Aurélio (meia), 32 gols no ano e destaque no acesso à Série A
2014 – Neto Baiano (atacante), 18 gols e destaque nos títulos do Nordestão e do Estadual
2015 – Diego Souza (meia), 9 gols e 10 assistências no 6º lugar na Série A
2016 – Diego Souza (meia), 14 gols na Série A, sendo o artilheiro da competição
2017 – André (atacante), 16 gols na Série A, o recorde do clube em uma edição
2018 – Anselmo (volante), fez 7 gols em 21 jogos. Foi vendido por R$ 13 milhões

2x – Diego Souza
1x – Marcelinho Paraíba, Hugo, Marcos Aurélio, Neto Baiano, André e Anselmo

Fotos: Léo Lemos/Náutico, Rodrigo Baltar/Santa Cruz e Williams Aguiar/Sport


Compartilhe!