Compartilhe!
  •  
  • 14
  •  
  •  

A competição tende a ser uma das mais difíceis. Em termos de tradição, já tem recorde.

A confirmação do rebaixamento do Vasco na 38ª rodada da Série A de 2020 definiu a composição da Série B de 2021. E dá pra cravar: será a maior edição na história da segunda divisão do Campeonato Brasileiro. Dos 20 clubes, 5 já conquistaram o título da primeira divisão, algo inédito. São 4 taças do Cruzeiro, 4 do Vasco, 2 do Botafogo, 1 do Guarani e 1 do Coritiba. Ao todo, 12.

Para se chegar a um cenário tão peculiar (veja a lista completa abaixo), a temporada acabou sendo marcada pela má campanha do clube mineiro, sendo o primeiro dos gigantes do país a não conseguir um “bate-volta” – e mesmo desconsiderando punição da Fifa, que retirou 6 pontos, não teria alcançado o G4. Além disso, houve o rebaixamento de dois cariocas de uma vez, algo inédito. O Z4 da Série A, aliás, teve três campeões brasileiros, incluindo ainda o Coxa, o dono de 1985.

Já o Guarani, campeão em 1978, também permaneceu na B. Além desses, a segundona desta temporada contará com clubes com passagens na elite já na era dos pontos corridos, como Avaí, CSA, Goiás, Náutico, Ponte Preta e Vitória, dos quais três já disputaram finais nacionais, contabilizando as principais competições oficias – Náutico (Taça Brasil), Goiás (Copa do Brasil) e Vitória (Série A e Copa do Brasil). Portanto, 11 já disputaram a Série A no formato atual.

Apesar do cenário de pandemia, com jogos de portões fechados em combate à Covid-19, também vale o destaque para o retorno de clubes populares como Remo (Belém) e Vila Nova (Goiânia), além de outros três nordestinos que permaneceram tendo perfil semelhante: Confiança (SE), CRB (Maceió) e Sampaio (São Luís). Do interior da região Sul, com bom nível de competitividade, quatro representante: Brasil de Pelotas, Brusque, Londrina e Operário.

Em 2021, os três maiores clubes presentes seguem imersos em crise financeira, evitando, num primeiro momento, a chance de quem algum deles desgarre logo na ponta. O cenário, na verdade, parece ser o de um torneio ferrenho, com nível acima do normal. A própria permanência até o 16º lugar, algo básico na Série B, passa a valer uma atenção maior…

Torcedor, quem pode ser a surpresa na próxima edição da Série B? Comente!

Dinheiro da TV: Cota fixa ou PPV?
A tendência é que contrato de transmissão seja o mesmo da edição passada, junto à Rede Globo e com um montante de R$ 160 milhões, sendo R$ 8 mi por clube. Como todos os times vão sofrer um “corte” de R$ 2 milhões, para bancar toda a logística da competição, a cota líquida deve ser de R$ 6 milhões. Entre aqueles com acordo diferenciado com a emissora, há a chance de escolha: a cota da Série B ou a cota do pay-per-view, cujo valor é flutuante, a partir da base de assinantes. Em 2020, o Cruzeiro, por exemplo, optou pelo PPV, projetando uma receita de R$ 17 milhões – ainda assim, muito abaixo do que recebia na A. Pela lógica, Vasco e Botafogo devem seguir o mesmo caminho.

Fórmula de disputa mantida pela 16ª vez
O sistema de pontos corridos na Série B foi implantado em 2006, já com 20 clubes, espelhando a Série A. E assim continuará sendo em 2021, com as 38 rodadas programadas entre 29 de maio e 27 de dezembro, segundo o calendário oficial da CBF. Os quatro primeiros vão à Série A de 2022 e os quatro últimos à Série C de 2022. Ao campeão ainda há a benesse de uma classificação imediata à 3ª fase da Copa do Brasil de 2022, o que pode render, por baixo, uma cota de R$ 2 milhões.

A seguir, os 20 clubes participantes da Série B de 2021, com a origem de cada um no último Campeonato Brasileiro, com rebaixamento na A, permanência na B ou acesso na C.

Série A (17º) – Vasco (RJ)
Série A (18º) – Goiás (GO)
Série A (19º) – Coritiba (PR)
Série A (20º) – Botafogo (RJ)
Série B (5º) – CSA (AL)
Série B (6º) – Sampaio Corrêa (MA)
Série B (7º) – Ponte Preta (SP)
Série B (8º) – Operário (PR)
Série B (9º) – Avaí (SC)
Série B (10º) – CRB (AL)
Série B (11º) – Cruzeiro (MG)
Série B (12º) – Brasil (RS)
Série B (13º) – Guarani (SP)
Série B (14º) – Vitória (BA)
Série B (15º) – Confiança (SE)
Série B (16º) – Náutico (PE)
Série C (1º) – Vila Nova (GO)
Série C (2º) – Remo (PA)
Série C (3º) – Londrina (PR)
Série C (4º) – Brusque (SC)

Divisão regional
Nordeste – 6 times (2 AL, 1 BA, 1 MA, 1 PE e 1 SE)
Sul – 6 times (3 PR, 2 SC e 1 RS)
Sudeste – 5 times (2 SP, 2 RJ e 1 MG)
Centro-Oeste – 2 times (2 GO)
Norte – 1 time (1 PA)


Compartilhe!
  •  
  • 14
  •  
  •