Compartilhe!

Aos 24/2T, a melhor chance. Mikael foi bem, mas parou em Jandrei. Foto: Anderson Stevens/Sport.

O Sport até saiu aplaudido pelos 5.272 torcedores presentes na Arena Pernambuco, já num aumento da carga em relação ao jogo anterior, mas o empate sem gols com o Santos não ficou de bom tamanho, tanto pelo volume ofensivo superior quanto pela delicada situação na tabela. Após a sequência de três vitórias seguidas, potencializada ainda mais pelos resultados paralelos, o leão teve a chance de sair da zona de rebaixamento já contra o Cuiabá. Perdeu. Com a rodada colaborando novamente, mais uma chance para deixar o Z4 em caso de vitória. Empatou.

Hoje, está a 1 ponto do Bahia, o 16º colocado, mas com um jogo a mais que o rival baiano. Nesta noite de domingo, num horário “clássico” para o Sport neste Brasileirão, o leão esbarrou em suas limitações. Fisicamente já era algo esperado, devido ao pouquíssimo tempo de recuperação após a volta do Mato Grosso – tanto que Hernanes acabou poupado.

Em termos técnicos, apesar da estrutura tática bem definida, o time esteve aquém para decidir um jogo tão importante. O 1T foi bem movimentado, mas os dois times finalizaram pouco, com uma disputa forte pela bola. Gustavo apareceu bem na criação, mas o time teve dificuldade na sequência da jogada. Quanto ao Santos, uma bola na trave aos 41, com Lucas Braga, após um escorregão de Ewerthon – basicamente o seu único erro no domingo.

No 2T, o leão voltou levando mais perigo, a partir da ocupação de espaço no campo do adversário, que por sua vez tinha Marinho bem marcado. Esta diferença levou o técnico Carille a promover uma mudança tripla aos 17 minutos. Naquele instante, o scout de finalizações apontava 10 x 5 para o rubro-negro. O equilíbrio foi retomado, mas nivelado por baixo, apesar da insistência do Sport até o fim, mas, desta vez, foi mais condizente com aquele rendimento geral. Agora atualizado com 14 gols em 27 jogos. Como defensivamente segue seguro, 0 x 0.

Sport em 27 rodadas na Série A de 2021
Mandante (14 jogos, 14 pts e 33.3%): 3V, 5E e 6D
Visitante (13 jogos, 13 pts e 33.3%): 3V, 4E e 6D

A comparação da campanha com as permanências do leão na Série A após 27 jogos
1º) 2008 – 39 pontos (11V, 6E e 10D; 11º lugar)
2º) 2015 – 37 pontos (8V, 13E e 6D; 11º lugar)
3º) 2014 – 36 pontos (10V, 6E e 11D; 9º lugar)
3º) 2007 – 36 pontos (10V, 6E e 11D; 11º lugar)
5º) 2017 – 33 pontos (9V, 6E e 12D; 11º lugar)
5º) 2016 – 33 pontos (9V, 6E e 12D; 13º lugar)
7º) 2020 – 29 pontos (8V, 5E e 14D; 15º lugar)
8º) 2021 – 27 pontos (6V, 9E e 12D; 18º lugar)

Escalação do Sport (melhores: Gustavo e Ewerthon; piores: Sander e Tréllez)
Maílson; Ewerthon, Rafael Thyere, Sabino e Sander; Marcão, Zé Welison e Gustavo (Tréllez, 40/2T); Everaldo (Leandro Barcia, 24/2T), Mikael e Luciano Juba (Paulinho Moccelin, 22/2T). Técnico: Gustavo Florentín

Escalação do Santos (melhor: Camacho)
Jandrei; Danilo Boza, Emiliano Velázquez e Wagner Leonardo (Felipe Jonatan); Marcos Guilherme (Madson), Camacho, Vinícius Zanocelo, Carlos Sánchez (Luiz Henrique) e Lucas Braga; Marinho (Ângelo) e Raniel (Diego Tardelli). Técnico: Fábio Carille

Histórico geral de Sport x Santos (todos os mandos)
51 jogos
12 vitórias pernambucanas (23,5%)
17 empates (33,3%)
22 vitórias paulistas (43,1%)

Histórico de Sport x Santos pela Série A (todos os mandos)
42 jogos
11 vitórias pernambucanas (26,1%)
13 empates (30,9%)
18 vitórias paulistas (42,8%)

A análise do Podcast 45 Minutos sobre a partida (do tempo 0h22 até 1h14):


Compartilhe!