Compartilhe!

A Cidade da Copa foi apresentada pelo então governador do estado, Eduardo Campos, em 15 de janeiro de 2009. O projeto era ambicioso, com a construção de uma nova centralidade urbana na zona oeste do Grande Recife, alavancando o desenvolvimento econômico da região. Entre 2014 e 2025, o investimento, com recursos públicos e privados, seria de R$ 1,59 bilhão, com a possibilidade de superar os R$ 2 bilhões. Hoje, quase no esquecimento.

A 19 km do Marco Zero, o novo bairro, inteiramente planejado, seria habitado por até 40 mil pessoas, contando com estádio de futebol, hospital, centro de convenções, dois hotéis, quatro escolas, faculdade e até o centro de comando da política. Como o nome deixa claro, o projeto foi a grande aposta de Pernambuco para ingressar na Copa do Mundo de 2014.

Até o evento, no entanto, apenas o estádio ficou pronto, com direito a uma obra arrastada, sem a anunciada cobertura de LED e ainda sem o preço final – com o governo e a Odebrecht discutindo uma diferença de R$ 241 milhões (!) sobre a construção da arena. E a principal rodovia de acesso, a Radial da Copa, só foi concluída após o Mundial. Então, imagine o restante.

A primeira mudança sobre a Cidade da Copa foi a transferência do Hospital Pelópidas Silveira para um terreno às margens da BR-232 – ao menos foi construído, com a inauguração no fim de 2011. As demais obras ficaram no papel, com a “mudança na realidade econômica do Brasil” sendo a justificativa do estado, embora nem a primeira etapa tenha sido feita. Não por acaso, o entorno da Arena Pernambuco continua com mata verde, como no restante do terreno de 270 hectares, localizado num rincão de São Lourenço. Abaixo, as quatro fases do projeto original, com a evolução escalonada – a estimativa era de 10 mil empregos diretos nas obras. Basta observar o primeiro módulo para entender que o cenário deveria ser bem diferente…

Fase 1 (até 2014)
1 – Arena Pernambuco (46 mil lugares), Arena Indoor (15 mil lugares) e Praça de Celebração
2 – Fase 1 das zonas de comércio, entretenimento e alimentação (72.000 m²)
3 – Fase 1 do Centro de Convenções (9.500 m²)
4 – Hotel com 300 quartos (1º)
5 – Campus Educacional
6 – Instalação de Segurança (Centro de Comando e Controle Integrado)
7 – Grande loja de varejo ao longo da BR-408
8 – Finalização da rodovia Radial da Copa
9 – Melhorias na área norte do Rio Capibaribe

Fase 2 (2015-2019)
10 – Fase 2 das zonas de comércio, entretenimento e alimentação (72.000 m²)
11 – Fase 2 do Centro de Convenções (9.500 m²)
12 – Distrito de uso misto e hotel com 250 quartos (2º)
13 – 1.510 unidades residenciais
14 – 82 mil m² de área para escritórios
15 – Escola primária (1ª)
16 – Melhorias na área sul do Rio Capibaribe

Fase 3 (2020-2024)
17 – 1.390 unidades residenciais (total no período: 2.900)
18 – 106 mil m² de área para escritórios (total no período: 188 mil m²)
19 – Escola primária (2ª)
20 – Escolha secundária (1ª)

Fase 4 (2025)
21 – 1.740 unidades residenciais (total no período: 4.640)
22 – 280 mil m² de área para escritórios (total no período: 468 mil m²)
23 – Escola primária (3ª)
24 – Land Bank (banco de terrenos)


Compartilhe!