Compartilhe!

O timbu igualou a sua melhor largada nos pontos corridos. Foto: Celso Congilio/Guarani.

No primeiro tempo, no Brinco de Ouro, o Náutico emparelhou a disputa contra o Guarani, buscando um jogo franco, mas foi mal nas finalizações, com apenas três tentativas, todas erradas. Na retomada em Campinas, a atuação foi completamente distinta. Foram 10 finalizações, sendo quatro na barra. Três nas redes.

Com a marcação se mantendo ajustada, o ataque se acertou e acabou funcionando com sobras, numa análise a partir do apoiador, Jean Carlos. Goleador nas primeiras rodadas, desta vez participou na condução dos dois primeiros gols alvirrubros na noite, com assistência para Vinícius e o escanteio cobrado para o rebote de Kieza. Entre os lances, com apenas quinze minutos, ainda houve o gol de Régis, mas aquele empate não mudou o ritmo do segundo tempo, sob controle do campeão pernambucano.

Tanto que o visitante ampliou logo depois, aos 18 minutos. Num chute de Erick, Rodrigo Andrade cortou com o braço, com o pênalti bem assinalado. Numa batida firme, Erick completou o placar de 3 x 1, com gols dos três atacantes do Náutico. Embora Djavan tenha feito falta, pois Trindade não acompanha o sarrafo técnico (e tático), o timbu manteve a regularidade em campo, tanto que Hélio dos Anjos só foi promover a primeira substituição aos 33 minutos, com o placar já dilatado – até o apito final o treinador tirou as quatro peças ofensivas. O ótimo resultado no interior paulista foi o 4º triunfo seguido do Náutico neste confronto, todos válidos pela Série B (2005, 2020 2x e 2021).

Falando em boa sequência, o timbu segue 100% no Campeonato Brasileiro. Mais do que isso. Esta é a melhor largada do clube na era dos pontos corridos, com 9 participações em 16 edições da segunda divisão neste formato. Até hoje, só tinha vencido nas primeiras três rodadas uma vez, em 2015. Na ocasião, com 4 GP e 0 GC. Agora, 5 GP e 1 GC, além de ter feito duas partidas fora de casa, ao invés de uma, como na vez anterior. Não por acaso, o time volta ao Recife para dois jogos seguidos nos Aflitos, vs Vila Nova (15/06) e vs Botafogo (20/06). Chance considerável para criar gordura numa arrancada forte, pensando desde já no G4…

Náutico em 3 rodadas na Série B de 2021
Mandante (1 jogo, 3 pts e 100%): 1V, 0E e 0D
Visitante (2 jogos, 6 pts e 100%): 2V, 0E e 0D

O desempenho do timbu nos 3 primeiros jogos na Série B (pontos corridos)
2006 – 6 pontos (2V, 0E e 1D; 5º lugar)*
2010 – 7 pontos (2V, 1E e 0D; 1º lugar)
2011 – 4 pontos (1V, 1E e 1D; 14º lugar)*
2014 – 5 pontos (1V, 2E e 0D; 3º lugar)
2015 – 9 pontos (3V, 0E e 0D; 1º lugar)
2016 – 3 pontos (1V, 0E e 2D; 15º lugar)
2017 – 1 ponto (0V, 1E e 2D; 19º lugar)**
2020 – 2 pontos (0V, 2E e 1D; 18º lugar)
2021 – 9 pontos (3V, 0E e 0D; 1º lugar)
* Subiu de divisão
** Caiu de divisão

Escalação do Guarani (melhor: Davó; piores: Pablo e Rodrigo Andrade)
Gabriel; Pablo (Diogo Mateus, 18/2T), Thales, Carlão e Bidu; Rodrigo Andrade (Tony, 24/2T), Bruno Silva, Bruno Sávio (Lucão do Break, 18/2T), Régis e Júlio César; Davó (Matheus Souza, 35/2T). Técnico: Daniel Paulista

Escalação do Náutico (melhores: Jean Carlos, Erick e Alex Alves; pior: Trindade)
Alex Alves; Hereda, Camutanga, Wagner Leonardo e Bryan; Rhaldney (Marciel, 41/2T), Matheus Trindade e Jean Carlos (Luiz Henrique, 46/2T); Erick (Giovanny, 33/2T), Kieza (Paiva, 46/2T) e Vinícius (Rafinha, 35/2T). Técnico: Hélio dos Anjos

Histórico geral de Guarani x Náutico (todos os mandos)
22 jogos
9 vitórias alvirrubras (40,9%)
3 empates (13,6%)
10 vitórias paulistas (45,4%)

As três vitórias oficiais do Náutico sobre o Bugre em Campinas
1ª) 22/09/2005 – Guarani 1 x 4 Náutico (Série B)
2ª) 28/08/2020 – Guarani 1 x 2 Náutico (Série B)
3ª) 11/06/2021 – Guarani 1 x 3 Náutico (Série B)

A análise do Podcast 45 Minutos (a partir do minuto 15):

Abaixo, assista aos gols da partida, através do perfil oficial da Série B no Twitter.


Compartilhe!