Compartilhe!

Em 13 jogos, o CAP teve 11 vitórias (recorde na Sula) e 2 derrotas. Foto: Conmebol/Twitter.

Campeão da Sul-Americana em 2018 e da Copa do Brasil em 2019, o Athletico Paranaense manteve a sua aura copeira, extremamente competitiva, e emplacou mais duas finais em 2021. Na primeira, pelo torneio internacional, o rubro-negro celebrou o bi em Montevidéu ao bater o Bragantino por 1 x 0, com um golaço de Nikão e muita aplicação tática para neutralizar o rápido e jovem time montado pela Red Bull.

Ascendente desde a construção de sua arena, com a primeira etapa em 1999, o CAP vai se firmando como um nome constante no continente. Na Sula, estava foi a 8ª participação, tornando-se o primeiro clube brasileiro com duas taças. Com isso, ganhou vaga na Libertadores de 2022, onde também chegará a 8 participações, todas de 2000 pra cá. É muita coisa, sobretudo por ser um clube fora do eixo futebolístico, com SP-RJ-RS-MG. Não por acaso, a cada passo o Athletico provoca uma redefinição do “G12”, mais datado que nunca. Haja malabarismo para não enxergá-lo numa prateleira maior.

No presente, o clube de Curitiba já é ponteiro em estrutura, com estádio de Copa do Mundo e centro de treinamento gigantesco. No elenco, se mantém forte (Santos, Thiago Heleno, Terans etc) mesmo com as saídas voltadas para o equilíbrio do caixa. Falando nisso, ganhou US$ 4 milhões pelo triunfo no Centenário, totalizando US$ 6,8 mi em cotas, ou R$ 38 milhões.

E em termos de resultados no campo, a regularidade de um grande, com títulos de ponta (1 Série A, 1 Copa do Brasil e 2 Sul-Americanas) e boas campanhas recorrentes (vice da Libertadores, por exemplo). Dentro de um mês esse mesmo clube já buscará outra taça, a da Copa do Brasil, numa final contra o Atlético-MG. E em 2022 ainda terá a Recopa Sul-Americana contra o campeão da Liberta, Flamngo ou Palmeiras. O Athletico trabalha com final. Bastante.

Pós-título da Sula, a 8ª ida à Libertadores: 2000, 2002, 2005, 2014, 2017, 2019, 2020 e 2022.

Ranking de títulos internacionais oficiais entre clubes brasileiros
1º) 12 vezes – São Paulo (M 3; L 3; SL 1; CS 1; CC 1; R 2; MT 1)
2º) 8 vezes – Santos (M 2; L 3; CC 1; RI 1; R 1)
3º) 7 vezes – Internacional (M 1; L 2; CS 1; R 2; LS 1)
3º) 7 vezes – Cruzeiro (L 2; SL 2; R 1; CO 1; MT 1)
5º) 6 vezes – Grêmio (M 1; L 3; R 2)
5º) 6 vezes – Flamengo (M 1; L 2; CM 1; R 1; CO 1)
7º) 4 vezes – Corinthians (M 2; L 1; R 1)
7º) 4 vezes – Atlético-MG (L 1; CC 2; R 1)
9º) 3 vezes – Palmeiras* (L 2; CM 1)
9º) 3 vezes – Vasco (L 1; SA 1; CM 1)
9º) 3 vezes – Athletico-PR (CS 2; LS 1)
12º) 1 vez – Chapecoense (CS 1)
12º) 1 vez – Botafogo (CC 1)
* O clube também venceu a Copa Rio em 1951

Legenda
Mundial (M), Libertadores (L), Sul-Americano de Campeões* (SA), Supercopa da Libertadores* (S), Copa Mercosul* (CM), Copa Sul-Americana (CS), Copa Conmebol* (CC), Recopa Intercontinental* (RI), Recopa (R), Copa Ouro* (CO), Copa Master* (MT) e Copa Levain/Suruga (LS); * torneio extinto

Ao todo, são 65 títulos internacionais oficiais do Brasil, em torneios envolvendo clubes, incluindo 10 Mundiais (Copa Intercontinental e Mundial da Fifa) e 20 Libertadores, com a primeira em 1962.

Abaixo, assista ao decisivo gol de voleio de Nikão lá no Uruguai, num vídeo da Sula no Twitter.


Compartilhe!