Compartilhe!

Lucas Figueiredo/CBF

Após a eliminação na Copa do Mundo, diante da Bélgica, a Seleção Brasileira disputou mais seis amistosos em 2018, já mirando um novo ciclo, tendo a Copa América de 2019, no próprio país, como ponto de partida. Foram seis vitórias, com 12 gols marcados e nenhum sofrido. Entretanto, o time treinado por Tite não agradou, inclusive com vitórias magras na reta final.

Eis os resultados: Estados Unidos (2 x 0), El Salvador (5 x 0), Arábia Saudita (2 x 0), Argentina (1 x 0) e Uruguai (1 x 0) e Camarões (1 x 0). Neste último, realizado novamente na Inglaterra, desta vez na cidade Milton Keynes, a canarinha manteve o ótimo retrospecto contra times africanos, com apenas 1 derrota em 35 partidas. Contudo, segue sem criatividade. Ainda mais sem Neymar, que sentiu uma lesão no comecinho. Foi substituído por Richarlison, que salvou o sonolento 1T ao marcar um gol de cabeça aos 44, se antecipando bem à zaga na cobrança de escanteio. Sem dúvida alguma, o atacante do Everton foi o convocado que mais aproveitou esse período.

É verdade que o time estava bem modificado em relação ao jogo anterior, com 6 trocas, e a ausência repentina de Neymar derrubou ainda mais a qualidade. Porém, ainda é uma equipe capaz de fazer mais – técnica e taticamente. Pressionando um pouquinho no 2T, mandou duas na trave e exigiu duas ótimas defesas do goleiro. O susto aos 46, com o adversário acertando a trave, serve como alerta mínimo. Jogar para o gasto uma hora pode não adiantar…

Escalação do Brasil (melhores: 1 Richarlison, 2 Arthur)
Ederson; Danilo, Marquinhos, Pablo e Alex Sandro; Arthur, Allan e Paulinho (Wallace, 23/2T); Willian (Douglas Costa, 23/2T), Firmino (Gabriel Jesus, intervalo) e Neymar (Richalison, 7/2T)

Brasil de Tite, de 09/2016 a 11/2018
32 jogos (25 sem sofrer gols)
26 vitórias
4 empates
2 derrotas
67 GP e 8 GC
85,4% de aproveitamento

Os maiores artilheiros da Seleção Brasileira (jogos oficiais)
1º) Pelé – 77 gols (92 jogos, 0.83)
2º) Ronaldo – 62 gols (99 jogos, 0.62)
3º) Neymar – 60 gols (96 jogos, 0.62)
4º) Romário – 55 gols (70 jogos, 0.78)
5º) Zico – 48 gols (71 jogos, 0.67)

Lucas Figueiredo/CBF


Compartilhe!