Compartilhe!

A disputa na fase classificatória, já sem público. Foto: Felipe Santos/Ceará SC.

O Clássico-Rei é, sem surpresa, a final mais recorrente no Campeonato Cearense. Em 106 edições, contando definições de título em decisões e campeões de forma antecipada, a final com o maior clássico do estado ocorrerá pela 33ª vez, correspondendo a 31,1% do histórico. Se já era assim com os clubes buscando uma situação melhor, imagine com ambos na elite do futebol nacional. Dito e feito, com as duas temporadas na Série A sendo marcadas pelo Clássico-Rei no Estadual.

Em 2020, os clubes projetavam R$ 209,4 milhões em receitas, sendo R$ 109,0 mi do Fortaleza e R$ 100,4 mi do Ceará. A pandemia, com quatro meses de paralisação, saída de patrocínios e ausência de público, derrubará bastante a estimativa, mas a tendência é que as receitas sigam elevadas. Suficiente para justificar a obviedade da decisão, a 3ª seguida e a 6ª nesta década.

Nesta edição, o Fortaleza chega à final com 7V, 0E e 1D, enquanto o Ceará chega com 5V, 2E e 1D. Na semi, ambos venceram por 1 x 0, com Tiago Orobó (leão) marcando contra o Guarany de Sobral e Felipe Silva (vozão) balançando as redes do Ferroviário. A melhor campanha geral dá ao Fortaleza a chance de ser bicampeão com dois resultados iguais (pontos e saldo). Num cenário de entrosamento, com a 4ª final de Rogério Ceni no pici, é uma ótima vantagem. Quanto ao Ceará, o time segue buscando o encaixe – Guto Ferreira comandou o time em apenas três jogos até o momento. Em relação às datas, a federação cearense ainda irá definir os detalhes. Até mesmo porque há uma tendência de buscar uma brecha na Copa do Nordeste, onde ambos seguem na luta – antes do embate local, os rivais vão até Salvador.

Castelão vazio
Os dois jogos finais, no Castelão, serão de portões fechados. Em 2019 os dois jogos reuniram 74.290 torcedores, com R$ 1,45 milhão de renda bruta. O cenário incomum já aconteceu na penúltima rodada do octogonal de 2020, com vitória do leão do pici por 2 x 1, em 15 de julho.

33 ou 38 decisões?
Na história, esta será a 33ª decisão envolvendo os clubes, com vantagem alvinegra (18 x 14). Para algumas fontes, esta será a 38ª final, segundo o levantamento do Diário do Nordeste. Embora outros clássicos tenham definido o título, os jogos ocorreram em finais de turnos, com um dos times ganhando a competição de forma direta. Não considerei este cenário, aplicando o mesmo critério do histórico do futebol pernambucano, incluindo os supercampeonatos (no CE foram 4).

Títulos cearenses em finais com o Clássico-Rei
Ceará (18x): 1918, 22, 25, 62, 71, 72, 75, 76, 77, 78, 86, 90, 97, 2002, 06, 12, 14 e 18

Fortaleza (14x): 1924, 33, 59, 64, 74, 85, 87, 91, 2000, 04, 09, 10, 15 e 19

A cronologia das finais com o Clássico-Rei (entre parênteses, o scout de títulos)
1ª) 1918 – Ceará (C 1 x 0) – 2 x 0
2ª) 1922 – Ceará (C 2 x 0) – 4 x 1
3ª) 1924 – Fortaleza (C 2 x 1) – 6 x 3
4º) 1925 – Ceará (C 3 x 1) – 2 x 1
5ª) 1933 – Fortaleza (C 3 x 2) – 1 x 1 e 2 x 1
6ª) 1959 – Fortaleza (3 x 3) – 1 x 0, 1 x 1 e 0 x 0
7ª) 1962 – Ceará (C 4 x 3) – 3 x 1*
8ª) 1964 – Fortaleza (4 x 4) – 2 x 0*
9ª) 1971 – Ceará (C 5 x 4) – 1 x 0, 0 x 0 e 2 x 2
10ª) 1972 – Ceará (C 6 x 4) – 1 x 1
11ª) 1974 – Fortaleza (C 6 x 5) – 1 x 0 e 3 x 1
12ª) 1975 – Ceará (C 7 x 5) – 0 x 2 e 2 x 0
13ª) 1976 – Ceará (C 8 x 5) – 1 x 1
14ª) 1977 – Ceará (C 9 x 5) – 0 x 0
15ª) 1978 – Ceará (C 10 x 5) – 1 x 0
16ª) 1985 – Fortaleza (C 10 x 6) – 0 x 0*
17ª) 1986 – Ceará (C 11 x 6) – 1 x 0 e 2 x 1
18ª) 1987 – Fortaleza (C 11 x 7) – 0 x 0*
19ª) 1990 – Ceará (C 12 x 7) – 2 x 0 e 1 x 2
20ª) 1991 – Fortaleza (C 12 x 8) – 0 x 0 e 1 x 1
21ª) 1997 – Ceará (C 13 x 8) – 0 x 0 e 3 x 2
22ª) 2000 – Fortaleza (C 13 x 9) – 1 x 1
23ª) 2002 – Ceará (C 14 x 9) – 1 x 1
24ª) 2004 – Fortaleza (C 14 x 10) – W.O. (via STJD)
25ª) 2006 – Ceará (C 15 x 10) – 1 x 0 e 1 x 0
26ª) 2009 – Fortaleza (C 15 x 11) – 2 x 1 e 1 x 1
27ª) 2010 – Fortaleza (C 15 x 12) – 1 x 0 e 1 x 2 (pênaltis, 3 x 1)
28ª) 2012 – Ceará (C 16 x 12) – 0 x 0 e 1 x 1
29ª) 2014 – Ceará (C 17 x 12) – 0 x 0 e 0 x 0
30ª) 2015 – Fortaleza (C 17 x 13) – 2 x 1 e 2 x 2
31ª) 2018 – Ceará (C 18 x 13) – 2 x 1 e 2 x 1
32ª) 2019 – Fortaleza (C 18 x 14) – 2 x 0 e 1 x 0
33ª) 2020 – a disputar
* Última rodada do triangular final (ou “Supercampeonato” em PE)

Histórico geral de Fortaleza x Ceará (todos os mandos)
578 jogos
195 vitórias alvinegras (33,7%)
206 empates (35,6%)
177 vitórias tricolores (30,6%)

A análise do Podcast 45 Minutos sobre as semifinais (João Pereira, Lucas Liausu e Thiago Minhoca):


Compartilhe!