Compartilhe!
  •  
  • 3
  •  
  •  

Foi a 1ª derrota do timbu com Marcelo Chamusca, em seu 4º jogo. Foto: Heber Gomes/Agif, via CBF.

Nas 14 primeiras rodadas, uma arrancada histórica. A melhor da Série B na era dos pontos corridos. Na ocasião, o Náutico somou 8 vitórias e 6 empates. O desmanche da equipe tanto por saídas quanto lesões, num tema já abordado, acabou mudando o cenário. Além da conta, com o presente ficando “inversamente proporcional”. Ao perder do Vila Nova, fora, o campeão pernambucano deu sequência à má fase técnica.

Neste recorte, o time de Rosa e Silva conseguiu apenas 1 vitória, tendo ainda 3 empates e 6 derrotas, com 6 pontos em 30 disputados. Isso dá um aproveitamento de 20,0%. Para se ter uma ideia, o Confiança, o lanterna da competição, tem 20,2% de aproveitamento na campanha geral. Ou seja, o rendimento atual é fraquíssimo. Outrora líder, o timbu já está a duas rodadas do G4. E sem sinais claros de reação.

Em Goiânia, o Náutico até iniciou com mais ímpeto, dominando as ações e controlando a bola – a posse, ao longo de 90 minutos, foi de 70%. Porém, o mandante reforçou as ações nas laterais ainda no 1T e equilibrou as ações num empate condizente com o jogo. Até uma falha coletiva grotesca. No ataque, Paiva tocou mal, pra trás, e o Vila recuperou a bola. No meio-campo, Vinícius parou, indignado com o erro, dando espaço ao adversário, com o lançamento saindo nas costas de Bryan, que preferiu pedir impedimento em vez de acompanhar o lance, mesmo com o VAR. E o gol de Clayton, aos 46 minutos, naturalmente foi para revisão.

O pedido de Bryan não ajudou em nada, a não ser ao próprio Clayton, que fez 1 x 0. Gol legal e um 2T para tentar reagir, mas parando diante de um adversário fechado e obediente taticamente. Lutando contra o rebaixamento, o Vila vem reagindo, tendo apenas uma derrota nos últimos cinco jogos. Esse resultado em casa já assegurou o time acima do Z4 por uma rodada. Quanto ao Náutico, o Botafogo pela frente, fora de novo. Ex-time de Chamusca…

Náutico em 23 rodadas na Série B de 2021
Mandante (12 jogos, 20 pts e 55.5%): 5V, 5E e 2D
Visitante (11 jogos, 15 pts e 45.4%): 4V, 3E e 4D

A comparação da campanha com os acessos do timbu na Série B após 23 jogos
1º) 2006 – 41 pontos (12V, 5E e 6D; 1º lugar)
2º) 2011 – 41 pontos (11V, 8E e 4D; 3º lugar)
3º) 2021 – 35 pontos (9V, 8E e 6D; 7º lugar)

Escalação do Vila Nova (melhores: Donato e Clayton)
Georgemy; Moacir, Rafael Donato, Renato Silveira e Bruno Collaço; Pedro Bambu (Renan Mota, 20/2T), Dudu e Arthur Rezende (Alan Grafite, 40/2T); Kelvin (Maná, 20/2T), Clayton (Tiago Real, 30/2T) e Alesson (Willian Formiga, 40/2T). Técnico: Higo Magalhães

Escalação do Náutico (melhor: Rhaldney; piores: Bryan, Paiva e Vinícius)
Alex Alves; Hereda (Giovanny, 17/2T), Rafael Ribeiro, Camutanga e Bryan; Djavan (Matheus Trindade, 21/2T), Rhaldney (Juninho Carpina, 35/2T), Luiz Henrique (Thássio, 35/2T) e Jean Carlos; Vinícius e Paiva (Álvaro, 17/2T). Técnico: Marcelo Chamusca

Histórico geral de Vila Nova x Náutico (todos os mandos)
23 jogos
12 vitórias pernambucanas (52,1%)
2 empates (8,6%)
9 vitórias goianas (39,1%)

A análise do Podcast 45 Minutos sobre a partida (a partir do tempo 0h07):

Abaixo, assista ao gol da partida, através do perfil oficial da Série B no Twitter.


Compartilhe!
  •  
  • 3
  •  
  •