Compartilhe!

O presidente da coruja assinou um cheque adiantando 30 parcelas. Fotos: Romário Silva/Afogados.

A campanha até a 3ª fase da Copa do Brasil de 2020 rendeu R$ 2,69 milhões em cotas ao Afogados, de longe a maior receita já obtida pelo clube. O faturamento abriu uma rara possibilidade de estruturação, com o time sertanejo aproveitando para quitar as dívidas, para renovar com a base do elenco mesmo num cenário extremamente adverso, como este da pandemia, e, agora, para adquirir um centro de treinamento.

Com a injeção de recursos após a suada (e histórica) classificação diante do Atlético Mineiro (que valeu 55,7% do montante), a direção da coruja arrendou a “Toca do Galo”. Não há provocação alguma na informação, pois era este o nome do campo privado no início da zona rural de Afogados da Ingazeira, às margens do Rio Pajeú. O local já havia sido utilizado para alguns treinamentos do próprio Afogados, visando a preservação do gramado do Estádio Vianão, e também por equipes amadoras do município.

O acordo foi firmado por cinco anos, custando R$ 90 mil ao Afogados. O clube adiantou metade das 60 parcelas, pagando R$ 45 mil. Só daqui a 30 meses começará a pagar as demais parcelas mensais, fixadas em R$ 1,5 mil. O local, que ficará sob administração do clube até junho de 2025, conta com um campo de dimensões oficiais (105m x 68m) e área de apoio. Há necessidade de melhorias e a ideia do presidente da coruja, João Nogueira, é capitalizar o local, mantendo o aluguel a torneios amadores e eventos promovidos pelo próprio clube.

Paralelamente ao CT provisório, o clube deve iniciar as obras do seu próprio centro de treinamento ainda neste ano. Assim como o local arrendado, o futuro CT também fica a 1,5 quilômetro do centro da cidade, num terreno de dois hectares doado pelo ex-prefeito Totonho Valadores. O projeto, ainda em desenvolvimento, prevê dois campos. Até lá, o Afogados irá treinar na “Toca do Galo”, que, aliás, já foi oficialmente rebatizada como “Toca da Coruja”.

Obs – Em 2020, o Afogados ainda tem o restante do Estadual, a Série D e a própria Copa do Brasil, esta numa situação já complicada. Na ida da 3ª fase, em Campinas, o time perdeu da Ponte Preta por 3 x 0. A volta, ainda sem data, será no Vianão, valendo uma premiação de R$ 2 milhões.

Leia mais sobre o assunto
Os uniformes do Afogados para a 1ª participação na Copa do Brasil


Compartilhe!