Compartilhe!

A comemoração do 2º gol alvirrubro numa noite de superação. Foto: Caio Falcão/Náutico.

O Náutico conseguiu uma grande vitória em Maceió, essencial em termos de classificação na Copa do Nordeste. Com uma tabela puxada nesta reta final, era preciso pontuar no Rei Pelé. E pontuar bem, diga-se. Porém, o momento do time não era bom, com quatro jogos sem vitória e seguidos desfalques – alguns de maior gravidade, como o atacante Matheus Carvalho e o zagueiro Ronaldo Alves. Além disso, o adversário vinha concentrado e com o mesmo objetivo de G4. Num roteiro com duas viradas, expulsão de técnico e qualidade na definição, o timbu venceu de virada, por 3 x 2 – tendo agora 11 pontos no grupo B, com 3V, 2E e 1D.

Gol no último lance da partida, com o nome que valeu pelo jogo todo, Jean Carlos. O meia era a peça efetiva que ainda seguia no time – no ataque, Erick e Kieza ainda não deslancharam no ano. Ele teve participação direta nos três gols alvirrubros, com um gol e duas assistências. O primeiro passe para gol aconteceu aos 18, num escanteio desviado por Luanderson. A vantagem, surpreendente ali, durou pouco, com Luidy empatando num chute de fora da área – depois, Dal Pozzo acabou expulso por invasão, numa discussão danada.

No 2T, com o time cansando, o rendimento foi caindo e o CRB viveu o seu melhor momento na partida, até achar a virada, com Rafael Longuine. O camisa 10 do mandante tabelou com Léo Príncipe, que acabara de entrar, e bateu bem. Já sem treinador na área técnica, o timbu promoveu três mudanças no ataque. Jorge Henrique, que havia sido acionado há pouco, talvez tenha tido a sua melhor performance desde a volta aos Aflitos. Marcou o gol de empate após boa jogada de Hereda e passe preciso de Jean Carlos. O 2 x 2 aos 30 minutos até seria interessante pela partida batalhada, mas não para o decorrer da Lampions. Tinha jogo.

Correr o risco ou não?
O Náutico não correu, optando por valorizar a posse, até porque também havia tensão do outro lado, com uma saída ruim, na qual JH quase virou, e numa falta na entrada da área, já nos acréscimos. Valia a continuidade na zona de classificação no regional. Jean Carlos decidiu.

Escalação do CRB (melhor: Longuine; piores: 1 Mardden, 2 Thalisson)
Edson Mardden; Lucas Mendes (Léo Príncipe, 10/2T), Thalisson, Ewerton Páscoa e Ígor Cariús; Claudinei, Carlos Jatobá (Dudu, 33/2T) e Rafael Longuine; Luidy (Dudu Alagoano, 40/2T), Léo Gamalho e Erik. Técnico: Marcelo Cabo

Escalação do Náutico (melhores: 1 Jean Carlos, 2 Jorge Henrique, 3 Hereda; pior: Nem)
Jefferson; Hereda, Lombardi, Rafael Ribeiro e Willian Simões; Luanderson, Jhonnatan e Jean Carlos; Erick (Rhaldey, 37/2T), Kieza (Salatiel, 28/2T) e Jefferson Nem (Jorge Henrique, 18/2T). Técnico: Gilmar Dal Pozzo

Histórico geral de CRB x Náutico (todos os mandos)
60 jogos
30 vitórias pernambucanas (50,0%)
14 empates (23,3%)
16 vitórias alagoanas (26,6%)

A análise do Podcast 45 Minutos (Clauber Santana, Fred Figueiroa e Lucas Liausu):

Abaixo, assista aos melhores momentos da partida, num vídeo do perfil da Copa do Nordeste.


Compartilhe!