Compartilhe!

Antônio Luiz Neto (Santa) e Laércio Guerra (Retrô)

Em 29/07, os presidentes selaram a principal polêmica. Foto: Constantino Júnior/Twitter.

Em 2022, Santa Cruz e Retrô se enfrentaram na 2ª fase da Série D, num duelo marcado pela alta precificação dos ingressos para o jogo de volta, na Arena Pernambuco e com mando da fênix. Inicialmente, os tricolores pagariam R$ 300! Após muita costura política, os presidentes dos dois clubes, Laércio Guerra (Retrô) e Antônio Luiz Neto (Santa), se encontraram e chegaram num entendimento, reduzindo a entrada para R$ 80 – ainda elevado numa 4ª divisão.

No campo, o Santa, mesmo com a pior campanha, eliminou o clube de Camaragibe, que tinha o melhor desempenho entre os 32 times no mata-mata. Aquele jogo em 1º de agosto foi o último do Retrô. Voltando um pouco mais no tempo, até 2020, ocorreram brigas em jogos na base, com o mandatário do clube-empresa vetando a presença dos corais em novas competições amistosas. Ou seja, vendo de fora, a relação não era boa. Entretanto, tudo isso ficou pra trás e agora, visando a temporada de 2023, um novo acordo está viabilizando a reforma do gramado do Arruda, que estava em péssimo estado neste segundo semestre.

Em um cenário profissional, entendo que a rivalidade deva ficar só no campo. E aí falo só do jogo mesmo. Já em relação ao nível do campo, o Retrô cedeu funcionários e máquinas, visando a utilização do local como contrapartida. Desde a sua profissionalização, em 2019, o clube vinha mandando basicamente todos as suas partidas na arena. Neste ano, por exemplo, jogou lá 13 dos 14 jogos “em casa”. A exceção foi uma apresentação na Ilha do Retiro, pelo BR. Esse tipo de mudança ocorre quando o empreendimento de São Lourenço da Mata agenda outros eventos, seja shows ou jogos de maior apelo na arquibancada.

Para não correr risco de ficar sem um bom gramado à disposição, num ano em que terá quatro competições no calendário oficial (Estadual, Nordestão, Copa do Brasil e Série D), o clube conversou com o Santa, numa informação antecipada pela repórter Camila Sousa, do site globoesporte. O acerto foi confirmado pelo clube da região metropolitana no dia seguinte, mas sem muitos detalhes. É natural que um episódio assim chame a atenção, considerando o tamanho e a tradição das duas equipes, mas a situação financeira atual mostra que não há nada de surpreendente nesta nova ordem. Inclusive, levando em conta as previsões iniciais já relatadas na imprensa, o Retrô, o atual vice-campeão pernambucano, terá uma folha maior que o Santa em 2023: R$ 300 mil x R$ 250 mil.

Abaixo, o registro do Retrô, no “stories” do seu perfil no Instagram, confirmando a parceria.

Acordo entre Santa e Retrô


Compartilhe!