Compartilhe!
  •  
  • 5
  •  
  •  

Erick vinha num longo jejum e marcou o seu 4º gol na Série B. Foto: Caio Falcão/Náutico.

Foi um jogo tenso como se esperava, devido ao caráter decisivo para os dois times, até então na zona de rebaixamento do BR. Só que o roteiro foi além da conta, com o Náutico desperdiçando dois pênaltis e ainda assim mantendo o foco para vencer o Paraná Clube nos Aflitos. Com o resultado, a 5 rodadas do fim, o timbu chegou a 38 pontos, saindo do Z4, garantido ao menos até América-MG (1º) x Vitória (16º), no sábado.

Sobre o jogo em Rosa e Silva, o tricolor de Curitiba veio com técnico novo, após a saída de Dal Pozzo, cujo trabalho não funcionou por lá, com o time entrando na zona. Neste cenário, mas com muita dedicação, o visitante abriu o placar numa jogada ensaiada aos 15 minutos, numa falta cobrada por Bressan, na ponta direita, e escorada pelo colombiano Hurtado – ensaiada pois ainda no 1T houve um lance quase igual.

Em desvantagem, o Náutico precisou se recompor de um pênalti perdido para balançar as redes. Aliás, essa situação aconteceu duas vezes na noite!. Ao menos, os gols saíram pouco depois dos vacilos. A primeira chance de empatar veio aos 31, com Kieza derrubado na área pelo zagueiro. Porém, ele bateu mascado e o experiente Renan defendeu. O centroavante se redimiu aos 37, concluindo uma ótima jogada construída pelo alvirrubro. Com um chute forte, marcou o 53º gol em 101 jogos pelo clube, somando todas as passagens desde 2011.

Na etapa complementar, o jogo foi bem mais favorável ao Náutico, sobretudo com a melhora dos pontas, Vinícius (esquerda) e Erick (direita). Teve “a” chance numa enfiada de bola aos 7. Kieza foi derrubado novamente, desta vez pelo goleiro. Só que Renan pegou outro pênalti, este de Jean Carlos, que bateu forte e no ângulo. Foi uma defesaça, levando desânimo ao banco timbu, que via o time empacando num jogo-chave. Só que a virada veio 8 minutos depois, com Vinícius buscando a linha de fundo e tocando para Erick, que finalizou com extrema categoria – só vacilou na comemoração, pois tirou a camisa e recebeu o 3º amarelo.

Enfim em vantagem, a partir dos 18 minutos, o Náutico explorou o desespero do Paraná, ainda mais necessitado que o time pernambucano. Isso deixou o jogo bem travado, sumindo as chances claras de gol. Chegou a passar do ponto, tanto que o árbitro deu 7 minutos para compensar. Mas o timbu segurou o 2 x 1 e venceu pela 5ª vez seguida como mandante, recuperando uma característica importante (e imprescindível) para esta sua campanha.

Náutico em 33 rodadas na Série B de 2020
Mandante (16 jogos, 28 pts e 58.3%): 7V, 7E e 2D
Visitante (17 jogos, 10 pts e 19.6%): 2V, 4E e 11D

Escalação do Náutico (melhores: Kieza, Rhaldney e Camutanga)
Anderson; Bryan, Carlão, Camutanga e Igor Miranda (Renan Foguinho); Rhaldney, Matheus Trindade (Jhonnatan) e Jean Carlos (Ruy); Vinícius (Marcos Vinícius), Kieza e Erick. Técnico: Marcelo Rocha (interino, pois Hélio dos Anjos testou positivo para Covid-19)

Escalação do Paraná (melhor: Renan; pior: Philipe)
Renan; Philipe Maia, Hurtado (Guilherme Biteco), Fabrício e Gabriel Pires (Juninho); Higor Meritão, Thiago Alves (Kazu) e Renan Bressan; Andrew, Bruno Lopes (Bruno Gomes) e Andrey (Jean). Técnico: Márcio Coelho

Histórico geral de Náutico x Paraná (todos os mandos)
18 jogos
6 vitórias alvirrubras (33,3%)
5 empates (27,7%)
7 vitórias paranaenses (38,8%)

A análise do Podcast 45 Minutos (Cassio Zirpoli, João de Andrade e Rodolpho Moreira):

Abaixo, assista aos gols da partida, através do perfil oficial da Série B no Twitter.


Compartilhe!
  •  
  • 5
  •  
  •