Compartilhe!
  •  
  •  
  •  
  •  

Jean fez um gol e Camutanga “fez” um gol. Placar, 0 x 1, lá. Foto: Heber Gomes/AGIF, via CBF.

Bastante desfalcado, incluindo a saída na véspera do zagueiro Wagner Leonardo, um dos destaques no ano, o Náutico foi a Goiânia para um jogo complicado contra o Goiás, também presente no G4. Se reinventando, já numa nova característica da equipe, o timbu arrancou a vitória e disparou na liderança da Série B de 2021.

Pela primeira vez, chega invicto à 10ª rodada, com 7V e 3E. Com 24 pontos em 30 disputados, o campeão pernambucano tem um aproveitamento de 80%, excepcional. Na classificação, já força o Coritiba, hoje vice-líder. Um cenário ampliado a partir da superação. Se contra o Operário o grupo respondeu bem aos desfalques, goleando, na Serrinha o desafio subiu mais um sarrafo, sobretudo em termos de obediência tática.

Além de Erick e Wagner, já fora, o time não pôde contar com o goleiro Alex Alves (Jefferson retornou bem e salvou no fim), Hereda (forçando o reposicionamento de Bryan) e Kieza, doente. Hélio optou por reforçar o meio-campo, exigindo bastante, com Marciel um pouco abaixo e Trindade dando conta. Porém, não entenda isso como um jogo de poucas chances – nem para o Goiás, até então com 100% em casa, e nem para o Náutico.

No 1T, o jogo foi baseado em contragolpes, de ambos os times, mas sem muita eficácia. No 2T a partida melhorou, principalmente para o Goiás, que forçou mais na primeira meia hora. Entre os principais lances alviverdes, Alef batendo para o gol vazio, com Camutanga aparecendo do nada para salvar de forma incrível. Como não lembrar do lance contra o Paysandu, no jogo do acesso na Série C? Balizaria, de novo, um grande resultado.

Sobre o tempo de “meia hora” citado há pouco, foi algo literal, pois o alvirrubro decidiu aos 30 minutos, com Jean Carlos pegando um rebote numa falta cobrada por ele mesmo. O camisa 10 chegou ao 5º gol na segundona. Pelo clube de Rosa e Silva o meia já soma 22 gols em 81 partidas, num ótimo rendimento para a posição. O placar de 0 x 1 seria definitivo, mas o visitante ainda acertaria a trave e o goleiro alvirrubro apareceria bem. No fim, 30 finalizações contabilizadas. Com 17 x 13 para o Náutico. Desfalcado, mas com força de líder.

Náutico em 10 rodadas na Série B de 2021
Mandante (5 jogos, 13 pts e 86.6%): 4V, 1E e 0D
Visitante (5 jogos, 11 pts e 73.3%): 3V, 2E e 0D

O desempenho do timbu nos 10 primeiros jogos na Série B (pontos corridos)
1º) 2021 – 24 pontos (7V, 3E e 0D; 1º lugar)
2º) 2010 – 23 pontos (7V, 2E e 1D; 1º lugar)
3º) 2015 – 21 pontos (6V, 3E e 1D; 3º lugar)
4º) 2006 – 17 pontos (5V, 2E e 3D; 3º lugar)*
4º) 2016 – 17 pontos (5V, 2E e 3D; 4º lugar)
6º) 2011 – 16 pontos (4V, 4E e 2D; 9º lugar)*
7º) 2020 – 14 pontos (3V, 5E e 2D; 9º lugar)
8º) 2014 – 12 pontos (3V, 3E e 4D; 12º lugar)
9º) 2017 – 2 pontos (0V, 2E e 8D; 20º lugar)**
* Subiu de divisão
** Caiu de divisão

Escalação do Goiás (melhor: Mezenga; piores: Alef e Dadá)
Tadeu; Apodi (Dieguinho, 39/2T), David Duarte, Reynaldo e Artur; Breno, Caio e Luan Dias (Everton Brito, 31/2T); Dadá Belmonte (Nicolas, 25/2T), Bruno Mezenga e Alef Manga (Vinícius, 39/2T). Técnico: Pintado

Escalação do Náutico (melhores: Jean Carlos, Camutanga e Trindade; pior: Marciel)
Jefferson; Bryan, Yago (Carlão, 13/2T), Camutanga e Rafinha (Breno, 20/2T); Matheus Trindade, Marciel (Giovanny, 20/2T), Rhaldney e Jean Carlos (Matheus Carvalho, 34/2T); Paiva e Vinícius (Iago, 34/2T). Técnico: Hélio dos Anjos

Histórico geral de Goiás x Náutico (todos os mandos)
29 jogos
8 vitórias alvirrubras (27,5%)
6 empates (20,6%)
15 vitórias goianas (51,7%)

A análise do Podcast 45 Minutos sobre a partida (do tempo 0h02 até 1h23):


Compartilhe!
  •  
  •  
  •  
  •