Compartilhe!
  •  
  •  
  •  
  •  

O argentino Jonatan Gómez só criou uma jogada efetiva para o leão. Foto: Felipe Santos/Ceará.

A defesa do Sport não foi vazada pela 3ª rodada seguida. Consequentemente, estabilizou a campanha após a série de quatro derrotas no Brasileirão. Para isso, no Castelão, o rubro-negro repetiu a formação de três zagueiros, vista contra o Atlético Mineiro.

Neste caso, para tentar deter um adversário tecnicamente melhor, mas também para buscar uma solução devido aos desfalques – Patric, Prata, Marcão e Barcia, entre suspensão, lesão e Covid-19. Só que o mandante também vinha com muitos problemas, como a ausência do meia Vinícius, o principal jogador da região nesta temporada – “Vina” já marcou 15 gols em 2020. Inclusive, é uma preocupação que se estende à Copa do Brasil, pois o meia testou positivo.

Com mais opções no elenco, tanto para a escalação quanto para a reposição, me referindo especificamente ao jogo que encerrou a rodada no domingo, Guto Ferreira montou um time melhor. Buscando o gol a partida inteira, o Ceará teve 26 x 4 no scout de finalizações, sendo 6 x 1 tentativas certas. O objetivo do Sport era mesmo se defender e jogar pelo 0 x 0, pois o contragolpe quase não existiu – o jovem Ewerthon conseguiu duas escapadas, mas o cruzamento rasteiro não saiu direito. A primeira chance do visitante foi aos 29 minutos, só pra se ter uma ideia. Quanto ao campeão nordestino, a bola circulando em busca de espaço, sobretudo do lado direito – o esquerdo da defesa pernambucana.

Perigo mesmo, o Ceará levou três vezes, uma bola no travessão de Saulo Mineiro, além de defesas de Polli num chute de Lima e numa cabeçada de Vizeu, já nos acréscimos. Por sinal, esses três jogadores foram acionados no 2T, confirmando o banco mais produtivo. O empate sem gols foi mantido, com o Ceará – invicto há seis rodadas (2V e 4E) – tendo uma sequência difícil na Série A, com Grêmio fora e Galo em casa, além do Palmeiras nas quartas da Copa do Brasil, o foco absoluto no momento. Já o Sport, satisfeito com o resultado, volta ao Recife para dois confrontos diretos contra o rebaixamento, o principal objetivo do clube. Recebe Vasco e Atlético-GO na Ilha do Retiro. Imagino, consciente da necessidade de melhora na transição ofensiva. Até porque, nessas mesmas três rodadas pontuando, o time fez apenas um gol.

Sport em 20 rodadas na Série A de 2020
Mandante (9 jogos, 15 pts e 55.5%): 5V, 0E e 4D
Visitante (11 jogos, 10 pts e 30.3%): 2V, 4E e 5D

Escalação do Ceará (melhores: Sobral, Chú e Lima; pior: Naressi)
Fernando Prass; Samuel Xavier, Tiago, Klaus e Alyson; Charles (Wescley, 32/2T), Pedro Naressi (Saulo Mineiro, intervalo), Fernando Sobral e Felipe Baxola (Ricardinho, 32/2T); Cléber (Felipe Vizeu, 14/2) e Léo Chú (Lima, 14/2T). Técnico: Guto Ferreira

Escalação do Sport (melhores: Polli e Maidana; pior: Bruninho)
Luan Polli; Adryelson, Maidana e Chico (Rafael Thyere, 21/2T); Ewerthon (Márcio Araújo, 27/2T), Ricardinho (Ronaldo, 16/2T), Júnior Tavares, Sander, Lucas Mugni e Jonatan Gómez (Bruninho, 27/2T); Thiago Neves. Técnico: Jair Ventura

Histórico geral de Ceará x Sport (todos os mandos)
59 jogos
27 vitórias rubro-negras (45,7%)
17 empates (28,8%)
15 vitórias alvinegras (25,4%)

Histórico de Ceará x Sport pela Série A (todos os mandos)
10 jogos
6 vitórias rubro-negras (60,0%)
3 empates (30,0%)
1 vitória alvinegra (10,0%)

A análise do Podcast 45 Minutos (Cassio Zirpoli, Fred Figueiroa, Lucas Liausu e Thiago Minhoca):


Compartilhe!
  •  
  •  
  •  
  •