Compartilhe!

Sem o meia Jean Carlos, suspenso, o poder ofensivo foi quase nulo. Foto: Thiago Carvalho/Cuiabá.

O Náutico não jogava há 11 dias, devido à “folga” na rodada anterior, com a partida contra o Sampaio adiada. Nesse período, o técnico Gilson Kleina teria uma tarefa complicada. Era preciso armar o alvirrubro, de forma competitiva, sem o camisa 10 e artilheiro do time – tanto na Série B (4 gols) quando no ano (10 gols). Embora Jorge Henrique já tenha feito o papel, o desafio técnico sem o suspenso Jean Carlos seria bem maior.

Afinal, o time enfrentaria o líder Cuiabá no Centro-Oeste. O time mato-grossense não chega a demonstrar um futebol de imposição no Brasileiro, sendo mais ajustado na boa distribuição em campo. Assim, bem treinado, tornou-se difícil de ser batido. Em 12 rodadas, perdeu apenas um vez, tendo ainda sete vitórias e quatro empates. Com 25 pontos, já abriu 6 sobre o 5º colocado, o primeiro time fora do grupo de acesso. A campanha foi ampliada pelo placar de 1 x 0 sobre o timbu, na Arena Pantanal, num jogo que começou às 22h30 e acabou somente no dia seguinte, já na madrugada de quarta-feira.

Em campo, a impressão é que dificilmente o timbu reagiria após sofrer um gol, o que aconteceu de fato aos 5 da etapa complementar, na cabeçada do atacante Jenison. No 1T, o scout de finalizações havia sido 7 x 2 para o Cuiabá. No 2T, o mandante seguiu bem à frente, com 12 x 5. E das sete chances criadas pelos pernambucanos, apenas três foram na barra do goleiro João Carlos. Muito pouco. É importante destacar que o Náutico ainda teve outras duas ausências importantes, embora num grau de dependência bem menor. O centroavante Kieza e o volante Jhonnatan, de passadas largas e útil na transição ofensiva, algo quase inexistente nesta peleja. Assim, pela falta de futebol na atuação mais fraca sob o atual comando, um resultado injusto, empacando o timbu na marola, com 14 pontos através de 3V, 5E e 3D.

Náutico em 12 rodadas na Série B de 2020*
Mandante (6 jogos, 10 pts e 55.5%): 2V, 4E e 0D
Visitante (5 jogos, 4 pts e 26.6%): 1V, 1E e 3D
* O time tem um jogo a menos

Escalação do Cuiabá (melhores: Janison, Felipe Ferreira e Matheus Barbosa)
João Carlos; Lucas Ramon, Everton Sena, Luiz Gustavo e Hayner; Matheus Barbosa, Rafael Gava, Felipe Ferreira (Yago, 28/2T) e Elvis (Marino, 39/2T); Jenison (Elton, 28/2T) e Maxwell (Felipe Marques, 32/2T). Técnico: Marcelo Chamusca

Escalação do Náutico (piores: Erick, Dadá e Matheus Trindade)
Jefferson; Hereda, Rafael Ribeiro, Lombardi e Willian Simões; Rhaldney (Josa, intervalo), Djavan (Matheus Trindade, 15/2T), Jorge Henrique (Thiago, 15/2T) e Dadá Belmonte (Salatiel, 29/2T); Erick (Brítez, 25/2T) e Paiva. Técnico: Gilson Kleina

Os 3 jogos oficiais na história (2V do timbu e 1V do dourado)
1º) 28/02/2018 – Náutico 2 x 1 Cuiabá (Copa do Brasil)
2º) 14/03/2018 – Cuiabá 0 x 1 Náutico (Copa do Brasil)
3º) 29/09/2020 – Cuiabá 1 x 0 Náutico (Série B)

Curiosidade
Os dois jogos anteriores ocorreram pela Copa do Brasil, com o timbu vencendo lá e lô e faturando uma cota de R$ 1,8 milhão pela classificação à 4ª fase do torneio de 2018.

A análise do Podcast 45 Minutos (João de Andrade, Lucas Liausu e Rodolpho Moreira):

Abaixo, assista ao gol da partida, através do perfil oficial da Série B no Twitter.


Compartilhe!