Compartilhe!

A comemoração do primeiro gol do leão no Estádio Olímpico. Fotos: Heber Gomes/AGIF, via CBF.

Numa noite com vários imprevistos, o Sport conseguiu uma importante vitória fora de casa, dando sequência à retomada iniciada no sábado. Com pouquíssimo tempo de recuperação, o rubro-negro viajou até Goiás, onde venceu o Vila Nova por 2 x 0, nesta terça, e encostou na pontuação do 3º lugar (29 pontos), aguardando o desfecho da rodada para saber a definição do G4. Neste momento, o mais importante era voltar a pontuar num ritmo maior, após uma enxurrada de empates.

Não foi fácil. O Sport já começou sem Marcão (suspenso) e Brocador (vetado). Na reta final do 1T, fez duas substituições por lesão, após dois choques em disputas de bola. Primeiro, Sander bateu o rosto, sangrando bastante – acabou deixando o estádio numa ambulância. Na sequência, Adryelson deslocou o ombro. Mesmo após o atendimento, não conseguiu seguir.

Com tamanha instabilidade, o visitante lutou para levar a igualdade até o intervalo – precisou jogar até os 55 minutos. Embora tenha tido 65% de posse, o leão não levou perigo algum à meta de Rafael Santos – o scout de finalizações, 7 x 5 pró-Vila, não traduz o futebol apagado.

A conversa no intervalo parece ter surtido efeito, pois o time que encontrava dificuldades no meio, com a criação restrita aos dois volantes, e rodava a bola sem efetividade acabou melhorando. Passou a ser, enfim, superior ao adversário. E o Vila também colaborou para isso, é verdade, pois os zagueiros falharam nos dois gols. No primeiro, Elivelton não dominou mal e Juninho recuperou a bola, deixando-a para o chute de Elton, de fora da área. Eram apenas 2 minutos, com a vantagem definindo o rumo da noite. Aos 18, foi a vez de Wesley se atrapalhar. Hyuri se aproveitou, driblou o marcador, avançou pela direita e mandou no ângulo, golaço. Quem sabe esta reta final de turno não possa balizar a competitividade já vista neste time…

Obs. No fim da partida, o atacante Bruno Mezenga, do Vila, fraturou o braço numa queda, também em disputa de bola. Desde já, fica a torcida pela recuperação dos três atletas lesionados.

Escalação do Sport (melhores: 1 Hyuri, 2 Juninho, 3 Charles)
Mailson; Norberto, Adryelson (Eder, 50/1T), Rafael Thyere e Sander (Prata. 43/1T); João Igor, Charles e Juninho (Leandrinho, 23/2T); Hyuri, Elton e Guilherme. Técnico: Guto Ferreira

Escalação do Vila Nova (piores: 1 Elivelton, 2 Wesley)
Rafael Santos; Felipe, Elivelton, Wesley (Bruno Mota, 36/2T) e Romário; Joseph, Ramon (Erick, 23/2T) e Alan Mineiro; Mateus (Capixaba, intervalo), Bruno Mezenga e Robinho. Técnico: Marcelo Cabo

Histórico geral de Vila Nova x Sport (todos os mandos)
11 jogos
6 vitórias rubro-negras (54,5%)
4 empates (36,3%)
1 vitória goiana (9,1%)

A análise do Podcast 45 Minutos (Cassio Zirpoli, Camila Aveiro, Celso Ishigami e Fred Figueiroa):

Foi a 2ª vitória seguida do rubro-negro, sendo a 7ª em 17 rodadas no Campeonato Brasileiro.


Compartilhe!