Compartilhe!

“Essa vinda até a CBF é muito importante para nos reapresentarmos e discutirmos assuntos primordiais para o Sport neste ano de 2019. O apoio da CBF será fundamental e podemos ter um encontro muito proveitoso vindo até o Rio de Janeiro”

Esta foi a única declaração do presidente do Sport, Milton Bivar, ao site do clube, após a visita à sede da confederação brasileira, no Rio de Janeiro. Na ocasião, esteve acompanhado do vice, Carlos Frederico, e do presidente da FPF, Evandro Carvalho, num encontro com o secretário-geral da CBF, Walter Feldman.

A visita institucional aconteceu num momento de incerteza quanto à cota de televisão do leão na Série B. Com o fim da “cláusula para-quedas”, que nos últimos anos garantia a integralidade da cota mesmo fora da elite, o clube entra, em tese, no mesmo bolo dos 19 concorrentes. Em 2019 isso significa R$ 7 milhões – queda de 28 mi, só com a cota fixa. Na prática, o Sport deve ganhar um pouco mais, assim como Coritiba e Vitória, outros “cotistas da TV”, status criado no Clube dos 13, ainda na década de 90. Pouco antes deste episódio, o UOL trouxe a informação sobre os clubes já acertados com o pay-per-view nas Séries A e B, com este trio ausente. Parece óbvio que os jogos dos rubro-negros nordestinos e do alviverde paranaense serão exibidos, mas não pelo valor-base. Daí, a articulação política para desatar esse nó – entre outras possibilidades, como adiantamentos e novos contratos.

Questionado pelo blog sobre a situação relacionada à cota, Evandro Carvalho foi sucinto.

“Estamos tratando de tudo”

Até 27 de abril, a data da abertura da Série B, o acerto deve sair – o clube já considera o valor acima de R$ 7 mi. De toda forma, o caixa do Sport será bem apertado, com o menor repasse da Globo desde 2011, mesmo num comparativo nominal. Na época, a regra aos cotistas era o corte de 50% – que ainda assim era superior aos demais times na segunda divisão.

As cotas fixas de TV do Sport no Campeonato Brasileiro (pontos corridos)
2006 (B) – R$ 5,5 mi
2007 (A) – R$ 11,0 mi
2008 (A) – R$ 11,0 mi
2009 (A) – R$ 13,0 mi
2010 (B) – R$ 6,5 mi
2011 (B) – R$ 6,5 mi
2012 (A) – R$ 27,0 mi
2013 (B) – R$ 20,2 mi
2014 (A) – R$ 27,0 mi
2015 (A) – R$ 27,0 mi
2016 (A) – R$ 35,0 mi
2017 (A) – R$ 35,0 mi
2018 (A) – R$ 35,0 mi
2019 (B) – Entre R$ 7,0 mi (sem ppv) e R$ 16,8 mi (com ppv)

Receita total do Sport com TV (em todos os campeonatos, incluindo ppv)
2017 – R$ 52.836.664 (48,5% da receita operacional)
2018 – R$ 39.625.152 (36,6% da receita operacional*)
* Considerando os dados de janeiro a novembro


Compartilhe!