Compartilhe!

Desde que assumiu a FPF, em 2011, Evandro Carvalho ficou marcado pelas frases polêmicas.

De fato, o mandatário da entidade não costuma se furtar sobre assuntos relacionados ao futebol, concorde ou não com ele – particularmente, como jornalista, eu já discordei inúmeras vezes nesse tempo todo.

Não seria diferente neste ano. Evandro esteve presente no lançamento do Campeonato Pernambucano de 2019, sendo acompanhando de seus três vice-presidentes. Ao site oficial da federação, o dirigente fez o seguinte comentário sobre a nova edição, a 105ª:

“Essa parceria entre a Federação Pernambucana de Futebol e a Rede Globo é, sem dúvidas, a mais emblemática do Brasil. Eu quero registrar aqui que o primeiro contrato, a primeira renovação que a Globo se antecipou para esse período, foi para Pernambuco. Mais uma prova da confiança, mais uma prova da certeza que nós temos o maior campeonato do Norte-Nordeste do Brasil”

Em relação ao contrato com a emissora, o novo acordo vai de 2019 a 2022, com R$ 17 milhões ao todo – somando todas as cotas do período e as luvas pagas ao trio de ferro. Entretanto, a polêmica está na última frase. Em 2019 o futebol local terá a sua pior representatividade no Campeonato Brasileiro desde o início do sistema de acesso/rebaixamento. No caso, nenhum clube na Série A (o que não ocorria desde 2011), apenas um na B e dois na C. Enquanto isso, o Ceará tem times na elite e a Bahia um, sendo este o clube de maior receita na região. Em relação ao público presente, a média da última edição foi de 3.396 torcedores – até a decisão, que teve 42 mil pessoas na arena, o índice era de 2.778. Obviamente, o texto poderia se estender, mas cito esses pontos para colocar um mínimo de questionamento. Num passado recente, o PE foi, realmente, a maior competição neste recorte regional. Em 2019? Não parece.

Você concorda com a opinião de Evandro Carvalho? Qual é o nível atual do Estadual?


Compartilhe!